sábado, 21 de janeiro de 2017

PROGRAMA DE 21/01/17

1 - Cave Story - Body of work
2 - Old Yellow Jack - Ten tons
3 - You Can’t Win, Charlie Brown - Pro procrastinator
4 - Nice Weather For Ducks - Marigold
5 - First Breath After Coma - Salty eyes
6 - Rainy Days Factory - Rain
7 - Mãozinha - Metamorfose
8 - Lula Pena - Pes mou mia lexi

9 - André Barros - Reynir (c/ Myrra Rós)
10 - Rodrigo Leão & Scott Matthew - Tath’s life
11 - The Loafing Heroes - O outro lado
12 - Sean Riley & The Slowriders. - Dili
13 - Gobi Bear - Sealion (c/ Surma)
14 - Minta & The Brook Trout - Old habits
15 - Golden Slumbers - The hunt

Criatura - Salão Brazil (Coimbra) - 20/01/17














Vários mundos em cima do palco. Criaturas de muitas paragens.
O mesmo fim. O nosso tradicional reinventado.
Cheiro a Brasil. A África, A Alentejo.
Sem nunca perder o nosso bilhete de identidade.
Uma energia contagiante. Uma parafernália de instrumentos.
Muito suor em quase duas horas de atuação.
Gente rendida e de corpo cheio.
Foi simplesmente... um GRANDE concerto!
Vindo da alma. Da raiz. Do que é nosso.
E nosso vai ficar  enquanto a aurora brilhar.














Texto & Fotos Nuno Ávila

“FRENÉTICA", O NOVO ÁLBUM DE PATRÍCIA CANDOSO














Depois de um longo período de maturação artística, Patrícia Candoso reactiva agora a sua carreira musical com a edição de um novo álbum, o terceiro do seu percurso.

“Frenética” reflete a maturidade de Patrícia enquanto mulher independente e artista consolidada na indústria do entretenimento, mantendo agora uma harmonização perfeita entre as vertentes de música, televisão e teatro.

Com o cunho criativo do cantor/compositor Mikkel Solnado e o selo da Music In My Soul, o novo álbum já se encontra disponível em edição digital, sendo antecedido pelos singles “Ready For It” e “Só Sei Que Nada Sei”. O lançamento físico será na próxima semana, a 27 de Janeiro.
 

PEDRO MELO ESTREIA-SE COM “THE STORYTELLER”














Depois de “Pete, The Little Giant” ter dado luz ao Outono que agora se despede, brindamos a chegada do Inverno com “The Storyteller” - o registo de estreia do cantautor bracarense Pedro Melo - uma compelativa colecção de canções imbuída na melhor tradição indie folk inspirada em nomes como Mumford & Sons, Damien Rice ou Of Monsters and Men.

Disponível para escuta nas principais plataformas de streaming, o EP surge com o selo da Music In My Soul. Para desfiar com encanto ao longo do rigoroso e gélido Inverno de 2017.

Pedro Melo nasceu a 21 de Dezembro de 1993 em Braga, onde reside até aos dias de hoje. Com o gosto pela música despertado pelos discos dos anos 70 e 80 que escutava em casa, foi já enquanto adolescente, aos 14 de idade, inspirado pelo álbum “Where The Light Is” de John Mayer, que decidiu comprar a sua primeira guitarra clássica, que aprendeu a tocar sozinho. Dois anos mais tarde começaria por acompanhá-la também com a voz, tendo registado as primeiras experiências no YouTube.

Aos 17 formaria a sua primeira banda com outros dois amigos, os Giant’s Magazine, de onde resultaram canções como “Tartarus” e trechos de letras que mais tarde deram origem a faixas como “The Storyteller” ou “The Bourbon Tissue”.

Pouco depois ingressaria na Universidade do Minho onde estudou Engenharia Informática durante dois anos, até que optou por mudar para Economia. Durante esse período, Pedro foi atuando em alguns eventos académicos e expandindo a sua vertente de instrumentista, ao aprender a tocar de forma autónoma banjo, bandolim e ukulele.

Aos 21 de idade, detetado pelos populares covers do seu canal de YouTube, foi convidado a participar na terceira edição do programa The Voice (RTP1) onde, na equipa de Mickael Carreira, enfrentou as “Provas Cegas” e as “Batalhas”, tendo sido eliminado na fase do “Tira Teimas”.

Com a participação no concurso chegaram as primeiras actuações ao vivo em nome próprio: Doçaria História à Mesa, A Toca e a B Concept Store foram alguns dos espaços que acolheram os primeiros originais de Pedro Melo.

Em 2017 edita o seu EP de estreia,“The Storyteller”, com o selo da Music In My Soul.
 

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

PROGRAMA DE 20/01/17

1 - Negra Branca - O espatelar do linho
2 - Criatura - Menina da paz
3 - Ararur - Abril
4 - Ana - Dia 4 (com Gobi Bear)
5 - Gobi Bear - Fall (ft Helena Silva)
6 - The Oafs - My superhero
7 - Captain Boy - Sailorman
8 - Lula Pena - Pes mou mia lexi
9 - Mãozinha - Palavra mágica
10 - David Fonseca com Aurea - Starman
11 - Dj Nigga Fox - 15 barras

LADO ESQUERDO COM NOVO TEMA









Após o single de estreia "Julho" ter atingido mais de 105.000 visualizações no Youtube (1º Lugar nos Tops Rock e Nacional do Tradiio), o Lado Esquerdo brinda-nos agora com "Destino Cretino".

O video oficial tem imagens captadas na Casa do Infante, no Porto, podendo ser desfrutado a partir de agora.

"Destino Cretino" é o segundo single do disco de originais com estreia marcada para Abril de 2017. O álbum conta com convidados como Zé Pedro (Xutos & Pontapés), Marco Nunes (Blind Zero, Jorge Palma, Pedro Abrunhosa), entre outros.

O Lado Esquerdo promete ainda um lançamento de um novo single para breve, seguramente num ambiente entre o Pop, Rock e Acústico em português ao qual nos tem habituado.

NOVO DISCO DE DANIEL CATARINO




















Novo álbum 'Panorama De Uma Vida Anormal' de Daniel Catarino será lançado dia 3 de Fevereiro pela SlowDriver Productions e Capote Música. Disco que comemora os 10 anos desde o lançamento do primeiro disco.

'Panorama De Uma Vida Anormal' é composto por 8 faixas disponíveis em formato digital e CD (Edição limitada a 50 cópias).

SINAIS DE FUMO EM SETÚBAL









Para começar 2017 em beleza, o Sinais de Fumo apresenta não um, mas dois concertos de uma só vez. No mês de Fevereiro, recebemos a visita de Norberto Lobo e dos Osso Vaidoso, que regressam a Setúbal para apresentar os seus novos trabalhos. O primeiro é dia 11, na Casa da Avenida, enquanto que os segundos vão à Casa da Cultura, no dia 25. Os preços dos bilhetes custam 5 e 3 euros respectivamente e podem ser adquiridos nos locais, no próprio dia, ou ser reservados através do email festivalfumo[arroba]gmail[ponto]com.

Norberto Lobo

Muxama” é o mais fresco capítulo realizado pela expressão artística do Norberto à guitarra, como sempre fruto do seu rico mundo interior, pujante curiosidade pela vida e pelas pessoas – músicos, seus pares, e público, outras pátrias e línguas e culturas – e uma particular inquietude estética perante a linguagem musical que vem oferecendo com a sua seis cordas.

 O estilo e o espírito que habitam os 9 temas de “Muxama”, composições afinadas entre o escrito e o acaso abraçado no momento da interpretação, sugerem as vias de acesso a uma harmonia e uma musicalidade próprias de outras paragens, espaços insituáveis onde o sonho e o mito fazem ouvir, em cada breve narrativa, a sua estranha e obsessiva voz. Revelando-se o seu álbum ‘mais eléctrico’ até à data, Norberto emprega agora pedais de efeitos e filtros em tempo real para com a sua técnica prodigiosa dar forma às suas ideias musicais, o que confere uma inspirada dimensão prismática à obra produzida, moldando noções de tempo, timbre e frases de maneira brilhante, simultaneamente clássica e póstera.

Osso Vaidoso

Miopia, segundo álbum dos Osso Vaidoso – cinco anos após Animal e depois de uma tentativa falhada de gravar um concerto com poemas de Cesariny – é a exacta negação de qualquer obsessão passadista. A representar alguma relação com o tempo, talvez aponte no seu achatamento, juntando poetas dos séculos XVI e XVII como Sá de Miranda e Nicolau Tolentino a luminárias do século passado como Rainer Maria Rilke ou Jorge Luis Borges e a contemporâneos como Alberto Pimenta e Gastão Cruz.

HOMENAGEM A DAVID BOWIE


















“BOWIE 70”
Data de Edição
17 Fevereiro 17
“STARMAN” de Aurea é o single de avanço de “BOWIE70”
“BOWIE70” Já disponível em Pré-venda no iTunes e na FNAC

Com produção artística de David Fonseca e um elenco muito especial, “BOWIE 70” celebra um nome maior da história da música: David Bowie. “STARMAN” cantado por Aurea é o primeiro avanço deste disco muito especial.

“A Aurea canta o Starman naquela que é uma das maiores transformações existentes no disco. A versão acabou por se situar num ambiente algo funk e soul e achei que Aurea poderia dar essa vantagem à canção, que podia explorar esse lado mais funk, mais soul, que podia trazer a canção para um outro território e acho que o fez muito bem.” David Fonseca

“A música que o David me convidou para interpretar foi uma agradável surpresa. Não era tão fácil de cantar quanto parecia; o refrão é mesmo muito enérgico e exige muito de nós. Foi mais um desafio e foi muito bom poder gravar esta música.” Aurea

 Sobre a Edição

“BOWIE70” é editado dia 17 de Fevereiro. A partir de hoje, dia 20 de Janeiro, já esta disponível para pré-venda no iTunes. Os fãs que adquiram o álbum, antecipadamente, recebem de imediato o single “STARMAN”. Na contagem decrescente, e até à data de edição, através da compra na loja iTunes, terão ainda acesso aos seguintes temas:

20 de Janeiro – “Starman” de Aurea
27 de Janeiro – “Life On Mars?” de António Zambujo
03 de Fevereiro – “This Is Not America” de Márcia
10 de Fevereiro – “Absolute Beginners” de Tiago Bettencourt

Para os fiéis aos suportes físicos, está também disponível em FNAC.PT a edição em CD com a particularidade da oferta de litografia em formato vinil da ilustração que compõe a capa de Bowie 70.

Sobre “BOWIE70”

“A ideia de fazer canções e versões do David Bowie assustava-me um bocadinho porque eu sou um fã gigantesco do trabalho dele, e muitas das músicas cruzam-se com a minha história pessoal. Mais do que um disco de versões, é mais uma espécie de uma carta de amor de um fã.” David Fonseca

Um elenco de luxo: Afonso Rodrigues (Sean Riley), Ana Moura, Aurea, António Zambujo, Camané, Catarina Salinas (Best Youth), Márcia, Marta Ren, Manuela Azevedo, Rita Redshoes, Rui Reininho e o próprio David Fonseca, emprestam a sua voz a alguns dos temas mais emblemáticos de David Bowie.

Chama-se ”BOWIE70”, e chega precisamente no ano em que Bowie completaria 70 anos. A coordenação artística e, ainda a interpretação de todos os instrumentos musicais, tem a assinatura de David Fonseca.

Alinhamento e primeiras imagens de “BOWIE 70”
“Absolute Beginners” Tiago Bettencourt ver trailer
“Modern Love” Manuela Azevedo ver trailer
“Let´s Dance” Afonso Rodrigues ver trailer
“Life on Mars?” António Zambujo ver trailer
“Space Oddity” Camané ver trailer
“Blue Jean” Catarina Salinas ver trailer
“Fame” Marta Ren ver trailer
Rita Redshoes “Heroes” ver trailer
Márcia “This is Not America” ver trailer
Ana Moura “The Man Who Sold The World” ver trailer
Aurea “Starman” ver trailer
Rui Reininho “Where Are We Now?” ver trailer
David Fonseca “Lazarus” ver trailer 
 
Pagina oficial FB | www.facebook.com/Bowie70TributeAlbum
Canal youtube | www.tiny.cc/Bowie70

Link Pré-venda iTunes www. tiny.cc/Bowie70_iTunes
Link Pré-venda FNAC http://www.fnac.pt/Varios-Nacional-Bowie-70-CD-Album/a1013243

“BOWIE70” é uma Edição SONY Music Portugal/ Universal Music Portugal | Distribuição SONY MUSIC Portugal.
 

RAKEL BRONZE EDITA DISCO




















 Rakel Bronze aliou-se ao produtor Miguel Camilo e criou um surpreendente álbum de estreia intitulado “Sing and Dance Your Emotions” - a ser digitalmente distribuído no próximo mês de Fevereiro – antecedido pela emotiva e poética balada “Why You?”, ilustrada por um vídeo que expressa, através da dança, a dor de perder um ente querido.

Do inglês ao português, do espanhol ao alemão, de poderosas baladas a temas frenéticos e nérgicos ou mesmo do salero latino ao som industrializado do centro da Europa, tudo tem lugar neste autêntico mar de influências onde navega uma das novas apostas da Music For All para 2017!
Rakel Bronze nasceu em Almada, decorria o ano de 1977. Sentiu cedo o chamamento da dança, estando ligada à área desde os cinco anos de idade. Quando atingiu a maioridade optou pela formação em Letras em detrimento do Conservatório, lançando assim as bases para aquilo que, anos mais tarde, viria a transformar-se na Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas que hoje possui.

Paralelamente foi-se afirmando no fascinante mundo da poesia. Com apenas 19 anos de idade publicou as primeiras obras na Editora Minerva (participou em duas Antologias de Poesia Portuguesa Contemporânea) estimulando assim uma faceta que, anos mais tarde, viria a desempenhar um papel deveras importante na composição do seu disco de estreia.

Ao longo dos anos passou por diversas profissões, todas elas ligadas à comunicação e à arte que pode ser expressar-se, e compreender os que se expressam à nossa volta. As aulas de dança estiveram sempre presentes, sendo uma vertente fundamental da sua existência, tendo pisado palcos enquanto bailarina, modelo, figurante e apresentadora de diversos eventos um pouco por todo o país. Em 2013 tornou-se instrutora oficial de Zumba, tornando realidade um sonho antigo, e aumentando ainda mais as suas competências e conhecimentos numa área que lhe é tão querida como é a dança.

Em 2015 dá início à maior aventura da sua vida: construir uma carreira no mundo da música! Depois de um período de intensa composição e gravação surgiu “Sing and Dance Your Emotions”, primeiro trabalho a solo de Rakel Bronze, constituído por treze viciantes temas.

Todas as suas diferentes facetas confluíram nesta obra: a escrita, a musicalidade, a dança e a presença em palco unem numa perfeita demonstração de talento e perseverança.

Produzido por Miguel Camilo este disco é uma autêntica viagem. Rakel Bronze demonstra toda a sua versatilidade e assume-se como uma artista ciente do mundo globalizado em que habitamos mas, simultaneamente, ligada de forma permanente às suas origens e raízes lusitanas.

A capacidade em transformar-se de música para música diferencia-a dos nomes que a rodeiam e colocam-na como uma das artistas mais camaleónicas da cena musical portuguesa. É que do inglês ao português, do espanhol ao alemão, de poderosas baladas a temas frenéticos e enérgicos, ou mesmo do salero latino ao som industrializado do centro da Europa, tudo parece ter lugar neste autêntico mar de influências onde navega Rakel e “Sing and Dance Your Emotions”.

Janeiro de 2017 é, então, a data reter. É no início deste novo ano que o álbum de estreia de Rakel Bronze será lançado oficialmente, prometendo revelar ao país e ao mundo uma dasnovas caras da Music For All.

LULA PENA COM NOVAS DATAS









A uma semana do lançamento de "Archivo Pittoresco", o seu muitíssimo aguardado novo álbum, Lula Pena anuncia uma série de concertos para este trimestre. E o primeiro é já amanhã, em Glasgow, no festival "Celtic Connections".

Entretanto saiu este artigo no "Herald" escocês.

Eis o resumo das datas ao vivo que se avizinham:
21.01 Celtic Connections, Glasgow (UK)
28.01 Teatro das Figuras, Faro (PT)
03.02 Ancienne Belgique Concerts, Brussels (BE)
11.02 Convento de São Cristóvão, Coimbra (PT)
17.02 Festival Cortex, Centro Cultural Olga Cadaval, Sintra (PT)
19.02 Teatro da Vista Alegre, Ílhavo (PT)
07.03 Studio L’Ermitage, Paris (FR)
11.03 Cafe OTO, London (UK)
12.03 Cafe OTO, London (UK)
13.03 Women in (e)Motion Festival, Radio Bremen, Bremen (DE)
30.03 Quintas de Leitura, Teatro Campo Alegre, Porto (PT)

Relembramos que na semana passada foi estreado o vídeo para o tema "Pes Mou Mia Lexi": Podem vê-lo aqui!


“Archivo Pittoresco” marca o regresso à edição de Lula Pena, cantora, compositora e poeta responsável por um par de pérolas da música popular portuguesa mais livre e exploratória das últimas duas décadas: “Phados” (1998) e “Troubadour” (2010). Discos de culto que lhe granjearam uma fidelíssima legião de admiradores que esgotam os seus concertos continuamente, por Portugal e lá fora. Também esses dois CDs estão há muito indisponíveis, tendo adquirido um estatuto de colecionável, confirmado por sucessivas transações a rondar os 50 euros em sites como eBay ou Discogs.

Com este novo disco regressa também um estilo interpretativo ímpar, à voz e à guitarra, que cruza mares e continentes em busca de matéria-prima como se não existissem fronteiras nenhumas no mundo. “Archivo Pittoresco” inclui poesia brasileira e portuguesa contemporânea musicada por Lula, inclui uma ária em espanhol do século XVII, uma canção mexicana do século XIX, sambas de Ederaldo Gentil, uma canção de Elomar, outra de Violeta Parra ou outra ainda do grego Manos Hatzidakis… Enfim, possui, até, um tema extraído da série televisiva “Twillight Zone”, piscar de olho de Lula àqueles que dizem que cada disco seu parece vindo da quinta dimensão.

Mas ouvindo-se “Archivo Pittoresco” nota-se acima de tudo a naturalidade com que tudo se desenrola, a maneira como as mais variadas melodias fluem de um instante ao outro, de como as curvas e contracurvas rítmicas surgem no momento certo, de como as fontes mais díspares resultam em algo tão integrado, coeso, unificado. O seu editor, Marc Hollander, fundador da Crammed, tem isto a dizer: “A voz de Lula Pena causa assombro e comoção, a sua técnica à guitarra é única. E é quase xamânico o seu jeito de se tornar una com o seu instrumento ao cantar estas longas peças errantes em que madeira, tripa, palavra, corpo, sopro e voz se transformam numa fabulosa fera sobrenatural.” E não há quem não assine por baixo.

JONNY ABBEY ESTREIA VÍDEO









Single sucede a "Hold On" Feat In Feathers
Vídeo conta com a realização de Vasco Mendes e animação VFX

"White" é o mais recente single de Jonny Abbey e está incluído no seu álbum de estreia, "Unwinding", a ser lançado no início de 2017.

Composta e interpretada por Jonny Abbey, misturada pelo mesmo nos estúdios O Silo e masterizada por Andrés Malta, é a música do disco que mais retrata a vibrante cena musical electrónica presente na vida nocturna portuense.

Vasco Mendes é o realizador do vídeo coreográfico que aqui apresentamos, em que os movimentos são estudados digitalmente para se criarem formas e esqueletos digitais, abordando a tensão e a intensidade de uma jovem que decide usar a dança como escapatória ao seu quotidiano. Tal foi amplificado pelos efeitos visuais de Jay e pela coreografia e interpretação de Rina Marques.
 

O SOL DA CAPARICA 2017














O festival que celebra a diversidade da música e da Língua portuguesa volta a marcar um dos pontos altos do próximo Verão.

Marquem já nas vossas agendas: 10 a 13 de Agosto.

De 10 a 13 de Agosto, o festival O Sol da Caparica regressará para a sua quarta edição.

Continuamos a apostar nos maiores talentos nacionais, na originalidade das suas propostas e nas novidades que nos oferecem os Artistas Portugueses, Brasileiros e dos Palop.

Carlos do Carmo, Criolo, Manel Cruz, Matias Damásio, Regula e Sam Alone

Estes os primeiros nomes revelados para o mais ambicioso cartaz de sempre.

O Sol da Caparica mantém o compromisso de apresentar o que de melhor se faz em Portugal e nos países onde o português é a língua oficial: além de talento nacional, nesta primeira amostra já se levanta o véu sobre um cartaz que também se pode alargar de Angola ao Brasil.

Mas nem todas as geografias que importam se encontram no mapa-mundo. Há que considerar, quando se fala da diversidade d'O Sol da Caparica, os diferentes territórios que hoje se estendem pelo planeta musical: desde a mais nobre tradição do fado, aqui representada no decano Carlos do Carmo, até ao fascínio com a folk Americana sentido por Sam Alone, do rap de Regula, ao rock poético de Manel Cruz, passando pelos diferentes balanços que se conjuram em Luanda ou em São Paulo, há por aqui um universo gigante de ideias musicais que vão também brilhar sob O Sol da Caparica.

As bilheteiras estão agora abertas e os passes estão já disponíveis. O Sol da Caparica tem crescido todos os anos, em propostas musicais e artísticas, em eventos paralelos aos concertos, em público e em atenção dos media.

2017 Trará ainda mais surpresas.

 Mantenham-se atentos, porque O Sol da Caparica vai brilhar ainda mais intensamente!

Manel Cruz – As canções carregadas de vida e de histórias, de poesia e imaginação. Um novo Cd para descobrirmos!

Quando se fala em expoentes geracionais é impossível não pensar em Manel Cruz como um fenómeno que se apresentou à música portuguesa nos anos 90 com os incríveis Ornatos Violeta, uma das mais influentes bandas portuguesas das últimas décadas.

Ao longo dos anos, Manel Cruz foi gerindo os períodos de silêncio com pontuais explosões de criatividade que renderam projetos como “Pluto”, “Supernada” ou “Foge Foge Bandido”.

Manel Cruz é uma das grandes vozes e um dos grandes autores da sua geração, muito graças às canções carregadas de vida e de histórias, de poesia e imaginação que nos foi oferecendo e que agora se voltam a agarrar à sua pessoa e ao palco. O Sol da Caparica? Momento para celebrar, pois claro!

Carlos do Carmo – A voz e a vez deste artista maior no Sol da Caparica

Mais de 50 anos de carreira e aplausos recolhidos nos mais importantes palcos mundiais, confirmam Carlos do Carmo como um dos maiores tesouros vivos da música nacional.

 A sua voz cantou os maiores poetas, como Ary dos Santos. Fados como “Por Morrer Uma Andorinha”, “Fado Lisboa” ou “Um Homem na Cidade”, imortalizados por Carlos do Carmo, são hoje vistos como clássicos.

Hoje continua a espalhar classe pelos palcos mundiais e é um dos artistas mais acarinhados pelo público nacional. É uma honra receber Carlos do Carmo no Sol da Caparica para um espetáculo que promete novidades e emoção.

Regula – A Primeira Linha do Rap Nacional no Sol da Caparica.

“Ouro Sobre Azul” é o novo álbum de Regula, anunciado para a primeira metade deste ano. Mais um trabalho que reforça a força com que Regula se tem apresentado na primeira linha do rap nacional. “Fenómeno” é mesmo a palavra que melhor lhe assenta! O já anunciado “Ouro Sobre Azul”, a julgar pela força das duas amostras já reveladas - Tarzan e Genuíno -, poderá mesmo tornar 2017 o melhor ano de Regula e a sua passagem pelo Sol da Caparica um dos sinais mais evidentes da sua consagração.
Sam Alone – Rock em estado Puro.

2017 promete ser um grande ano para Sam Alone acompanhado pelos Gravediggers.

Sam tem vindo, de forma tranquila, a construir uma carreira bastante elogiada.

“Tougher Than Leather” é o seu mais recente trabalho. Uma coleção de canções apoiadas na sua working class rifle, uma velha guitarra "áspera", como ele próprio a descreve.

Sam Alone tem um domínio de palco perfeito, com canções espalhadas por três álbuns altamente recomendados pela crítica, com canções que tocam no mais fundo da alma popular e uma legião crescente de fãs.

O Sol da Caparica será este ano testemunha destes atributos.

NO SALÃO BRAZIL

ÁLBUM DE RICARDO RIBEIRO EDITADO EM FRANÇA














“Hoje é assim, amanhã não sei”, o mais recente disco de Ricardo Ribeiro, é editado em França no próximo dia 3 de Fevereiro. Para assinalar a edição, Ricardo Ribeiro realiza hoje, amanhã e Domingo três espectáculos em França, um deles no Théâtre des Abesses em Paris (consultar agenda abaixo). Antes dos três espectáculos em território francês, Ricardo Ribeiro actuou ontem (19 de Janeiro) na Bélgica na cidade de Gante.

Desde muito cedo que Ricardo Ribeiro chamou a atenção de todos quanto o ouviam. Em 2008 é descrito pela prestigiada revista britânica Songlines como “The Rising Star of Fado”. Dois anos depois, com a edição de “Porta do Coração” (o segundo registo do artista que havia editado em 2004 o disco de estreia homónimo) é aclamado pela crítica e pelos seus pares como uma das maiores vozes do seu tempo. Em Outubro de 2013 edita “Largo da Memória” : “..um disco fundamental. Ficará na História”, escreve Miguel Esteves Cardoso no jornal Público. “A voz de Ricardo não se esquece. Ouvida uma vez, recordada sempre” escreve Alexandra Carita no Expresso. Os elogios repetem-se na imprensa dentro e fora de portas. A mesma Songlines que em 2008 antevia um percurso brilhante para Ricardo Ribeiro nomeia-o na categoria de “Melhor Artista” na edição de 2015 dos seus prémios de música.

Em 2016, mais precisamente a 1 de Abril, edita o seu novo álbum “Hoje é assim, amanhã não sei”. As reacções da crítica não podia ser mais entusiasta – recebe a cotação máxima (5 estrelas) no jornal Expresso, 4 estrelas no Ipsílon, na revista Blitz, na revista Time Out e na revista britânica Songlines, a qual nomeia ainda Ricardo Ribeiro como a melhor voz masculina do Fado da sua geração.

Espectáculos em Janeiro/ Bélgica e França

19 Jan – De Centrale T – Gante (Bélgica)
20 Jan – Chapelle Corneille Auditorium de Normandie – Rouen (França)
21 Jan – Théâtre des Abesses – Paris (França)
22 Jan – Maladrerie Saint-Lazare – Beauvais (França)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

BAIRRO DA MÚSICA APRESENTA









NO MUSICBOX




















O Musicbox Lisboa abre as suas portas no próximo dia 25 de Janeiro para acolher dois dos mis entusiasmantes projectos emergentes nacionais da actualidade: os Zuuzaa, com ailiação ao blues rock, e os WellMan, a despontar nos maravilhosos terrenos da indie pp/rock, ambos com o suporte da Music For All. Os primeiros acordes soarão por volta das 22h, sendo que os bilhetes apresentam um custo
de 6€.
 
O ano de 2016 marca a estreia de um dos projectos mais promissores da actualidade. São portugueses, dão pelo nome de Zuuzaa e propõem uma infusão de Rock, Blues e Soul com particular destaque para um coro feminino que nos transporta para os saudosos anos 60.

Após um intenso período criativo Rafael Ribeiro, guitarrista e vocalista, assumiu a árdua tarefa de formar uma banda que desse corpo, vida e sentimento às canções por si habilmente escritas. Primeiro muniu-se da doce voz de Inês Carvalho, sua amiga de longa data. Depois da talentosa dupla Mariana Matoso e Rafaela Pereira. Este distinto trio, de vozes marcadamente femininas, começou por colaborar numa só faixa. Contudo, rapidamente, se tornou perceptível que parte da magia da banda residia na alma, garra e emoção que as três davam às canções de Rafael Ribeiro. Foi com esta formação, que os então intitulados Zuuzaa &The Last Jesters, viram finalizadas as suas dez primeiras composições originais.

Com a entrada do baixista francês Matt Seybald e do baterista Bernardo Jorge a banda ganhou experiência e versatilidade, enriquecendo o seu trabalho em estúdio assim como a performance em palco. Graças aos contributos dos novos membros o número de temas originais subiu para 13 e o mês de Setembro marcou a estreia nos palcos nacionais.

Depois do lançamento do primeiro álbum de originais, intitulado “MARA”, está a decorrer o processo de gravação dos videoclips dos primeiros singles. Esta é também a fase em que surgem mais concertos e performances ao vivo, alimentando assim a paixão pelo palco, e pelo contacto directo com o público, espalhando a música, e a mensagem, por detrás de tãom astutas criações.

Por sua vez os WellMan nasceram ao mesmo ritmo da amizade de Afonso Teixeira (vocalista), Afonso Lima (guitarrista), José Miguel Saraiva (baixista) e Mateus Carvalho (saxofonista), recém-conhecidos estudantes do primeiro ano de Direito. Afonso Teixeira apresentou aos restantes membros uma série de originais que desejava que tivessem outra roupagem. Inicialmente apenas com o intuito de conferir às músicas uma outra dimensão, os cinco acabaram por "recriar" as mesmas. Em Junho de 2016, surgiu a oportunidade de ir a estúdio gravar os temas e aquilo que começou por ser uma forma de descontração da vida universitária sem qualquer divulgação pública, passou a ser uma verdadeira banda, à qual Afonso Teixeira emprestou o seu nome artístico (WellMan).

O quinteto que se move nas férteis águas do pop/rock, assume com orgulho a sua sonoridade viciante, envergando sempre um sorriso cativante e uma alegria contagiante. Para o primeiro trimestre de 2017 está marcado o lançamento oficial do seu single de estreia.
 



AFONSO PAIS & RITA MARIA AO VIVO












Culturgest (Pequeno Auditório) | 27 janeiro, 21:30
Ciclo "Jazz +351" · Comissário: Pedro Costa

Afonso Pais, referência estabelecida na cena musical nacional, desenvolve desde o início da sua carreira artística um trabalho de composição exploratório das vertentes e possibilidades da música escrita e da improvisação.

Tendo colaborado com cantautores como Edu Lobo, Ivan Lins, Rui Veloso ou JP Simões, partilhado o palco ou estúdio com cantores como Dee Dee Bridgewater, Camané e António Zambujo, e gravado com nomes maiores da música instrumental como por exemplo Peter Bernstein, Perico Sambeat ou João Paulo Esteves da Silva, Afonso Pais apresenta agora a sua parceria artística com a aclamada cantora Rita Maria, singular intérprete e improvisadora, com o projecto intitulado "Além das Horas".

"Além das Horas" foi editado em disco em 2016 pela editora alemã ENJA Records. Nesta colecção de canções Portuguesas, com e sem letra, pontualmente instrumentais, cada composição introduz o seu universo musical sem contudo o delimitar.

A narrativa musical leva-nos através das canções, pela voz de Rita Maria segundo o imaginário de Afonso Pais, que apresentam neste espectáculo a parceria no seu formato original: o Duo. Por este ser o formato no qual as ideias foram geradas, se desenvolveram e foram partilhadas primeiramente, o Duo expõe uma releitura particular e distinta das canções presentes no disco "Além das Horas", no qual a instrumentação é mais alargada. O repertório inclui ainda composições inéditas que dão continuidade ao universo musical delineado por "Além das Horas", universo esse que decorre da cumplicidade musical e parceria de longa data que consubstancia esta colaboração artística.

Mais do que uma combinação ou cruzamento de estilos musicais, o repertório reflecte uma assimilação, usando o formato de canção, a expressão da palavra cantada em português, abrangendo a improvisação, a unidade e interacção do Duo, sem compromissos de pertença a alguma tipologia musical pré-determinante ou predominante.

SEX 27 JANEIRO
Pequeno Auditório
21h30 · Duração: 1h
6€ (preço único)
M6

Informações e reservas
Bilheteira Culturgest
21 790 51 55
culturgest.bilheteira@cgd.pt
Ticketline

Reservas e informações:
1820 (24 horas)
Pontos de venda: Agências Abreu, Galeria Comercial Campo Pequeno, Casino Lisboa, C.C. Dolce Vita, El Corte Inglés, Fnac, Megarede, Worten e www.ticketline.sapo.PT

PEDRO BARROSO NO COLISEU DO PORTO









 
Pré-venda exclusiva para fãs com desconto de 10% aé dia 22 de Janeiro, clicar em COMPRAR e utilizar o código PedroBarrosoPorto

"Há poemas, temas, momentos e canções que nos ultrapassam e se tornam marcos colectivos. São vivências de uma geração, símbolos de resistência na luta pela Democracia, a Liberdade, a Diferença e o Sonho. Padrões de alma inteira projectados no espaço e no tempo. Subsistem; perduram. Correram o país. São de todos nós.

E quando - como me aconteceu - já estivemos no fundo mais fundo de tudo, há valores que redescobrimos, bem maiores que a nossa finitude; superiores à fragilidade da vida. Coisas que fizemos um dia, mas se tornaram muito mais que nós.

E essas, sim, é que vale a pena que nos sobrevivam e resistam aos tempos. São Cantos de sempre. Há que nunca os esquecer. São referências que merecem ser compartilhadas.

Até ver, sobrevivi dura e dificilmente a essa dúvida de mim mesmo. Vivi o último breu e a sala ficou-me, de súbito, vazia, após tantas noites de música e palavras. Mas vai ser bom voltarmos agora a enche-la, assim que subir o pano.

Após uma recepção notável - para lá de todas as expectativas - em Lisboa, foi minha vontade trazer este concerto agora ao Porto, onde já vivi muitas noites de emoção, magia e cumplicidade com gente muito especial e entusiasta. Conto convosco, amigos, após tão grande ausência, para celebrarmos a vida, numa noite bonita e que fique para a memória!", Pedro Barroso

M/6

PROGRAMA DE 19/01/17

1 - The Poppers - Peyote
2 - Galo Cant'às Duas - Marcha dos que voam
3 - The Black Mamba - I wanna be with you
4 - Cave Story - Body of work
5 - George Marvinson - Beni
6 - Ana Free - California
7 - The Black Teddys - BallRoom
8 - Lula Pena - Pes mou mia lexi
9 - Mãozinha - Água saborosa
10 - Duquesa - Norte litoral
11 - Elias - Talvez queiras ficar
12 - NBC - Nativo
13 - Mundo Segundo - Margens do Douro
14 - Maze - Entranhas (das tripas coração)

NA CASA INDEPENDENTE









Sábado - 21 de Janeiro
22h30 - Casa Ardente(Produções Incêndio)- Filipe Sambado + Jasmim + Eixo do Mal (concertos + dj set)

Produções Incêndio é uma muito jovem produtora de eventos que tem no último ano dedicando-se (e o primeiro da sua existência) a organizar espectáculos onde cruzam várias disciplinas: música, performance, artes visuais e afins.

Chegam em 2017 à Casa Independente estreando Casa Ardente, um ciclo de acontecimentos onde irá decorrer concertos, dj sets e exposições e pretende ocupar várias divisões cá de Casa com dinamismo e verdadeiro teen spirit.

Começa este sábado com a inauguração da exposição da artista Mafalda Pestana que estará patente nas casas de banho e poderá ser visitada entre os dias 21 e 27 deste mês).

 O programa segue no Salão Tigre com a pop onírica de Filipe Sambado e Jasmim em concerto e termina com o dj set da dupla Eixo do Mal.

Domingo - 22 de Janeiro
19h - They're Heading West convidam Old Jerusalem (concerto))

2017 chegou e com ele They're Heading West de regresso ao aconchego do lar.

Mariana Ricardo, Francisca Cortesão, Sérgio Nascimento e João Correia entram no quinto ano consecutivo de concertos cá em Casa.
Um sem número de domingos inesquecíveis repleto de convidados.

Este mês, a reentre faz-se com a presença do convidado Old Jerusalem, o músico Francisco Silva lançou o ano passado o memorável álbum "A Rose is a Rose is a Rose", disco de uma vida repleto de canções brilhantes. Francisco foi também dos primeiros convidados de They're Heading West em 2011 quando ainda tocavam na Barraca e foi graças a uma sugestão sua que começaram a trocar canções com quem se juntava em palco.

They're Heading West têm ao longo dos tempos construído uma rede de afectos composta pela simples partilha de músicas que gostam e interpretam com um jeito muito próprio, são assim os concertos familiares que juntam gerações todos os meses desde 2012.

CORVOS EM PALCO

MAFALDA VEIGA AO VIVO


THE OAFS MOSTRAM DISCO SAIDO EM FINAL DE 2016

Em finais de 2016 editaram o álbum “My Scars and Stories”, onde: “contamos histórias e expomos as marcas, boas e más, que nos constroem como pessoas. Contamos desabafos que nos saem da alma, nos acordam de noite e nos obrigam a escrever”, revelam os elementos de The Oafs.

Ouvir “My Scars and Stories” reverbnation >

Acompanhem os The Oafs no facebook >
 

SONS À MARGEM EM GUIMARÃES




















"Sons à Margem" é um festival emergente que irá decorrer em Arosa, no concelho de Guimarães, e que decorre da congregação e união de vontades e esforços de um grupo de amigo que, na sua maioria, se encontram em situação de desemprego, pretendendo, assim, tentar dar a volta à ineficácia de um sistema que não consegue, e não quer, dar resposta a estas e tantas outras situações similares.

Realizando-se entre os dias 4 e 6 de Agosto do corrente ano, irá abranger um espectro variado e ecléctico de sonoridades, abrangendo desde os sons mais tradicionais ou com fortes ligações à Folk ou músicas de cariz popular, até às mais diversas abordagens do universo Pop/Rock, mas sempre com um criterioso método de escolha que visa, antes de mais, a qualidade da música apresentada e não a sua potencialidade monetária.

Tal evento pretende, ainda, um interacção com a comunidade local e o potenciar de sinergias com os recursos humanos, naturais e paisagísticos do meio onde se vai inserir. Neste âmbito, natural destaque para o enquadramento de vários projectos e bandas de "garagem" do município, assunto sobre o qual daremos notícias mais para a frente.

Dos vário nomes contactados, e de tantos outros que nos fazem chegar o seu interesse em participar no acontecimento, destacam-se - para já - as confrimaçãoes de Paul Gilmartin's The Danse Society, dos Oz Projekt e dos Smartini.

Sons à Margem - Um Festival nas Margens do Som

10 ANOS DE BLOOP









É um número redondo este que envolve a história da Bloop Recordings, editora que nasceu com os discos e que, hoje, vai bem para além do infinito que a simboliza.

Fechem os olhos. Contem até 10, estes 10 anos que são vossos. 10 anos de encontros, esperas ansiadas e revelações na pista. 10 anos de amizades que já não se contam pelos dedos, entrelaçados com a dança a mais de mil mãos. 10 anos de festas, as melhores festas, que ficam para a memória à boleia de conceitos, artistas e espaços trabalhados como poucos. 10 anos de vinil, de projecto desenhado, reinventado e fortalecido pela paixão pela música - essa que move pistas e multidões que, hoje, não são um número: são família.

10 anos marcam, por isso, um novo caminho para a Bloop. Um ano de pura celebração, com novos artistas, um novo espírito e essa mesma paixão de sempre. Um ano que se inicia com uma tour por 10 cidades, com 10 festas pautadas pela melhor música electrónica.

Vai ser um ano em grande! E estes 10 são apenas o começo!

Para quem não conseguiu estar na #1 festa de comemoração dos 10 Anos de Bloop, a próxima é já este sábado, dia 21 de Janeiro, em Braga, no Clube del Mar! A Magazino e Kaesar (Bloop) vão juntar-se Miguel Rendeiro e Soundprofile. Sempre das 15h às 22h.

E, depois de 10 festas pelo país fora, já há data marcada para o grande final do aniversário: dia 25 de Março, a Bloop regressa a Lisboa!

MIGUEL ARAÚJO ANUNCIA NOVO ÁLBUM E NOVA DIGRESSÃO
















Miguel Araújo anuncia novo álbum e nova digressão em 2017. A digressão, que conta já com mais de 30 espectáculos marcados de norte a sul do país, servirá, na sua grande maioria, de apresentação do novo álbum de originais a editar na Primavera. Na digressão agora anunciada destacam-se os espectáculos nos Coliseus de Porto e Lisboa (4 e 11 de Novembro, respectivamente) e uma nova aventura fora de portas, desta vez no Luxemburgo. De acordo com a agência de Miguel Araújo, em breve serão anunciadas mais datas da digressão deste ano.

O novo álbum será o terceiro registo de originais de Miguel Araújo que se estreou em 2012 com “Cinco Dias e Meio” e editou dois anos depois “Crónicas da Cidade Grande”. Neste seu percurso Miguel Araújo afirmou-se como um dos nomes maiores da música portuguesa e como um dos compositores mais respeitados, tendo, além dos temas feitos para os seus discos e para os discos d’ Os Azeitonas, composto (letra e música) para nomes como Ana Moura, António Zambujo e Carminho.

O ano passado, Miguel Araújo concretizou a inédita façanha de realizar em conjunto com António Zambujo 28 datas nos Coliseus de Lisboa e Porto.

SLOW J COM NOVO SINGLE



Slow J está de volta em 2017 para lançar o sucessor "The Free Food Tape". "Pagar as Contas" é o novo single de "The Art of Slowing Down", o primeiro longa duração de um dos mais promissores artistas nacionais e que tem lançamento marcado já para 10 de Março.

"Pagar as Contas" conta com a participação de Papillon (GROGNation) e de Gson (Wet Bed Gang), que acabam por dar uma "visão" de três perspectivas diferentes sobre um dilema em comum.

O novo tema, como o próprio nome indica, fala sobre a pressão de pagar as contas, tanto as de água, luz ou gás, como as contas do karma, tanto do ponto de vista de um jovem adulto a atingir a independência financeira como da perspectiva de um filho que vê o pai chegar a casa cansado e deprimido anos a fio.

Fica a pergunta, será que é assim que a vida deve ser vivida?
 

POROS - "ACORDO"

NOVO DISCO DA UNIÃO DAS TRIBOS




















Dia 3 de Fevereiro "Amanhã", o novo disco da União das Tribos, chega às lojas. A banda apresenta o novo vocalista, Mauro Carmo e participações com Tim, Miguel Angelo, Anjos, Mafalda Arnauth, António Manuel Ribeiro e Carlão.

Ao vivo I 11 Fevereiro I Almada, Auditório Fernando Lopes Graça

Dia 11 de Fevereiro a banda apresenta-se ao vivo na companhia de Tim, Anjos e António Manuel Ribeiro, no Auditório Fernando Lopes Graça em Almada, pelas 21h30 para o concerto de apresentação do álbum.

Os bilhetes podem ser adquiridos ou reservados no auditório, através do email auditório@cma.m-almada.pt ou do nº de telefone  212 724 922
 

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

FRANKIE CHAVEZ - "MY RELIGION" (C/ SAM ALONE)

PROGRAMA DE 18/01/17

1 – Terra Batida – Um dia
2 – Capitão Capitão – Sessenta & quatro
3 – Valter Lobo – Oeste
4 – Samuel Úria – É preciso que eu diminua
5 – Um Corpo Estranho – Scarlett
6 – Medeiros/Lucas – Sede
7 - Lula Pena - Pes mou mia lexi
8 – Mãozinha – Você

9 - Ricardo Gama & João Correia – Canção da primavera
10 – Dead Combo e as Cordas da Má Fama – Quando a alma não é pequena
11 – Filho da Mãe – Júpiter
12 – Norberto Lobo – Legionella
13 – Palankalama – Esmeralda
14 – Urso Bardo – Journey back

FILHO ÚNICO APRESENTA




















Jejuno + Niagara + DJ Khabal              

Jejuno é Sara Rafael, também fotógrafa, no seu caminho musical por conta própria. Faz uma música artesanal, processualmente arquitectada a partir de loops, com uma respiração narrativa e revelações em "êxodo permanente do eu fechado em si mesmo para a sua libertação no dom de si”.

Niagara vêm presentear-nos com a estreia de um novo set, tocado ao vivo. Há uns meses editaram na Príncipe o seu mais recente EP “São João Baptista”, e espera-se novo 12’’ no seu próprio selo editorial Ascender em breve. Mais uma chance privilegiada de apanhar a sua música de dança biótica e de fibra emocional luminosa, e os seus mais recentes desenvolvimentos e realizações.

O Dj da noite é DJ Khabal; co-fundador da Golden Mist Records, promotor das noites Reitoria no DAMAS, tem mostrado argumentos de peso Jah sério, grooves PALOP-tronics e houses e technos e hip hops saturnianos, atlânticos e atlântidos, o que equivale a dizer que tem um gosto imaginativo, fora da caixa e excitante para desafiar a nossa pista de dança.

"Jejuno" cassette (2016, Urubu Tapes) https://urubutapes.bandcamp.com/album/jejuno
“São João Baptista” EP (2016, Príncipe) https://principediscos.bandcamp.com/album/s-o-jo-o-baptista-ep

DJ Khabal soundcloud https://soundcloud.com/dj-khabal

Filho Único Apresenta no Lounge
Jejuno + Niagara + DJ Khabal
Local: Lounge
Data: 19 de Janeiro
Horário: 22h30
Entrada: LIVRE               

BUDDA POWER BLUES EM PALCO


THE POPPERS COM NOVO SINGLE










"PEYOTE” é o nome do segundo tema de avanço para "Lucifer", o novo longa duração da banda lisboeta lançado digitalmente na passada sexta-feira, dia 13 de Janeiro. O disco chegará às lojas no final deste mês, tendo concerto de apresentação marcado para 28 de Janeiro, no Musicbox em Lisboa.

OUÇAM "LUCIFER"

Com a produção a cargo de Paulo Furtado, o disco foi misturado por Guilherme Gonçalves e Masterizado por Nelson Carvalho. Conta ainda com a participação de Filipe Costa (Teclados), Paulo Furtado (Baixo) e Ian Ottaway (texto e voz no tema Modern Wasteland).

"LUCIFER” será editado com o selo Discos Tigre e Blitz Records, e distribuição Sony Music. O artwork, é da responsabilidade de Tó Trips e tem por base uma fotografia de Kid Richards.
 
PRIMEIRAS DATAS DE APRESENTAÇÃO:

SÁBADO . 28 JANEIRO . MUSICBOX . LISBOA . 23H30
SEXTA . 3 FEVEREIRO . CAE . PORTALEGRE . 23H00
SÁBADO 4 FEVEREIRO . SOCIEDADE HARMONIA EBORENSE . ÉVORA . 23H00

ZARATAN APRESENTA




















a-nimal + Projéctil

Concerto / Concerto
21 de Janeiro às 19h00
Entrada Livre para sócios (quota anual 3 euros)

A Besta inicia o ano com uma residência sonora na Zaratan, com um conjunto de concertos. O primeiro desses concertos terá lugar no dia 21 de Janeiro, a partir das 19h, na Carvoaria.

a-nimal vive desde 2009 e tem assumido diferentes peles e integrado diferentes membros. Do seio de a-nimal e do seu contacto com o "outro" nasceu A Besta. Agora, depois de entender a completa futilidade de assumir seja o que for, a-nimal é um quarteto que toca a música que faz, mas nem sempre. Voltam à Zaratan para tocar temas novos, alguns novos até para o quarteto. Projéctil é o corpo embrulhado num lençol deixado na fábrica abandonada, a apodrecer, para nunca mais ser encontrado. É a nuvem de fumo e o forte odor a queimado, vindo do quarto. É o tombar inaudível do encontro do indivíduo com a sua natureza. Numa experiência sonora com raízes industriais, André Calvário (baixo/electrónica) junta-se a Tiago Eira (sintetizador/electrónica), de forma a explorar paisagens sonoras electrizantes e ritmicamente desconcertantes.

MATINÉ XITA

João Raposo + Migas + Tomás Varela + DJ Meiaz

Concertos
22 de Janeiro às 17h00
Entrada Livre 

No dia 22 de Janeiro, pelas 17 horas, a Zaratan convida para uma matiné de concerto organizada pela editora de música independente XITA RECORDS, com concertos de João Raposo, Migas e Tomás Varela e DJ set de DJ Meiaz.

João Raposo é um adolescente lisboeta que desde sempre aprendeu e esteve próximo da música como sua componente criativa.Toca guitarra e canta sobre o seu dia-a-dia questionando a sua existência e a dos que o rodeiam tendo em conta as suas relações amorosas e de amizade pura. As canções do Tomás Varela significam que o samba pode soar no Inverno de Lisboa. O sol surgirá em Janeiro se o rapaz de cabelo em excesso e óculos sobre explorados tocar na guitarra as suas letras de eleição. Migas são Manel Lourenço (Primeira Dama) e António Queiroz (Kerox), ou seja, são melhores amigos e fazem música. Produzem em palco doses prováveis de drum machines, teclas distorcidas e vozes repetidas em delays. A oscilação premeditada não afecta em nada a vontade, de em toada, cantar a muitas vozes. DJ Meiaz são Tomás Queiroz e Leonor Barroco, amigos de longa data que partilham um gosto musical extremamente pop, 00's, solto e repleto de um "à vontade" contagiante. Vieram lembrar -nos de que os "guilty pleasures " de guilty não têm nada. É a meias, mas as meias pausadas é o Tomás que manda.
 

REPORTÓRIO OSÓRIO EM AVEIRO














sábado 21 janeiro 22h00
Aveiro | Mercado Negro
8º aniversário de “A Certeza da Música”
https://www.facebook.com/acertezadamusica/
BILHETES À VENDA

GEORGE MARVINSON ESTREIA SINGLE















Single de de apresentação para o álbum de estreia "Chill Wild Life" chama-se "Beni" e já pode ser ouvido aqui.

"Beni" é o primeiro avanço para um daqueles que será, sem dúvida, um dos novos artistas a ter em conta este ano.

George Marvinson é o pseudónimo criado por Tiago Vilhena (baixista dos Savanna) para nos mostrar a sua visão do mundo em forma de canções.

"Chill Wild Life" será o nome do álbum de estreia e permitir-nos-á acompanhar George nos seus dilemas, paixões e devaneios sob a forma de letras simples e honestas acompanhadas de uma musicalidade ora divertida ora nostálgica, sempre com um descomprometimento fora do vulgar.

O disco foi gravado em família no estúdio da pontiaq pela mão do irmão Miguel Vilhena no final de 2016 e será lançado em Março de 2017 também pela pontiaq.

Enquanto esperamos por este primeiro longa duração podemos ouvir o primeiro avanço, o single “Beni” que reflecte a faceta mais sedutora deste George romântico.

NA ZDB




















Quinta, 19 de Janeiro às 22h
Filipe Felizardo & The Things Previous

Filipe Felizardo & The Things Previous
‘A Conference of Stones and Things Previous – VI’
I AM THE RES ERECTION

Quando em entrevista em 2011 Filipe Felizardo referiu um “fascínio por coisas pomposas, extáticas” e no dilema de “criar objectos musicais monumentais, mas que vivem de uma contenção e um trabalho minucioso” ficou desde logo no ar patente uma ambição de fé que viria a informar com toda a causa e substância um fascinante percurso à guitarra. Na altura a conversa recaía em torno do recém lançado ‘III = 207.8°, bII = ?56.3°’, segundo e último registo do músico lisboeta em torno do drone numa cartografia exploratória que o levaria no ano seguinte a encontrar nos Apalaches, no delta do Mississipi e no deserto do Dead Man do Neil Young ou The Hired Hand do Bruce Langhorne os pontos cardeais para ‘Guitar Soli for the Moa and the Frog’. Álbum que escancarou com toda a ferocidade e lirismo as premissas que viriam a ser continuamente trabalhadas por Felizardo daí em diante.

Tomando o tempo, a repetição e o silêncio como pilares fulcrais para o som, Felizardo enterra os pés nos blues – do Blind Willie Johnson ao Loren Connors, com a sombra tutelar do Fahey sempre em fundo – para daí erguer uma homenagem sentida aos fantasmas que abençoam a sua música, com citações/recriações a Peter Green, José Afonso e ao próprio Fahey em ‘Volume II – Sede e Morte – Guitar Variations for the Thirsty and the Dead’, antes de se atirar com uma pompa, honestidade e bravura pouco vistas por estes lados ao colossal ‘Volume IV – The Invading Past and Other Dissolutions’ – álbum duplo a encarar o infinito com a segurança dos grandes. Encontrando também em gente tão meritória como Margarida Garcia cúmplices para encontros mais ou menos ad hoc de comunicação simbiótica.

E é nesse mesmo continuum de exploração constante com vista a uma linguagem cada vez mais específica que Felizardo aparece agora em residência num espaço intimamente ligado a todo o seu trabalho. ‘A Conference of Stones and Previous Things – VI’ é o nome escolhido e sucinto para este work in progress ambicioso que precede o lançamento do novo álbum a solo – ‘Volume VI – The Sun Rises In Your Tummy & Other Christmas Illuminations’ – e onde irão ser reinterpretadas em formato banda as quatro composições deste último em quatro ocasiões diferentes, num processo de reordenação, aprendizagem, expansão e troca que é no fundo todo um acto de redescoberta pessoal.

Partindo de uma banda base formada pelo próprio e por Tiago Silva nas guitarras e por Gabriel Ferrandini na percussão denominada Filipe Felizardo & The Things Previous e com design de luz de António Júlio Duarte, Felizardo irá procurar com mais detalhe e num terreno que lhe é novo, todas as preocupações e referências que têm vindo a assombrar a sua música – blues, música tradicional japonesa e noise rock – abrindo espaço a mais colaboradores – prevendo-se desde já sopros e shruti boxes – naquela que é de acordo com ele e em última análise uma banda de rock, mas uma banda de rock bem diferente. E acima de tudo uma celebração de amor. BS

 Formação: Filipe Felizardo: voz, piano, guitarra | Gabriel Ferrandini: percussão | Tiago Silva: guitarra | Yuri Antunes: trombone | António Júlio Duarte: design de luz
.
+ info: Soundcloud | Three:Four records | Entrevista
Entrada: 6€ | Bilhetes disponíveis na Tabacaria Martins, Flur Discos e ZDB (quarta a sábado 22h-02h) | reservas@zedosbois.org

Sexta, 20 de Janeiro às 22h
Galgo | Alex Chinaskee & Os Camponeses | DJ Quesadilla

"Pareece que foi só ontem que encontrámos estes Galgo, quando ainda eram um cachorrinho irrequieto, alimentado a pilhas eléctricas e cheio de truques: fazia pular, fazia dançar, fazia abanar a cabeça quando as patitas se erguiam em direcção a minutos mais caóticos, a toda a velocidade, sem olhar para trás. Entretanto, os Galgo cresceram, ganharam corpo e força, passaram a ter consciência não só do que está em seu redor mas também daquilo que está dentro de si. Neste novo álbum, vemos uma banda mais introspectiva, mais pensativa – mesmo que ‘Pensar faça Emagrecer’ –, onde à urgência rock de sempre se junta agora a bagagem conquistada ao longo deste último ano. Quem inventou a expressão “dores de crescimento” não acompanhou, isso é certo, o quarteto de Oeiras à medida que se foram sucedendo palcos atrás de palcos, músculo atrás de músculo. Dantes podíamos pegar neste Galgo ao colo e agora é ele que nos carrega. Tenham cuidado para que não vos morda.” Paulo Cecílio, Bodyspace

Galgo
+ info: Bandcamp | Facebook | Vídeo | Vídeo | Vídeo |

Alex Chinaskee & Os Camponeses

“Alex Chinaskee é a personagem criada por Miguel Gomes para pôr as suas mágoas em forma de canção. Exemplo vivo da cultura DIY e letrista sem papas na língua, vai buscar inspiração a ídolos como Talking Heads, Os Pontos Negros ou Arctic Monkeys.

2016 começa com a composição e gravação (quase inteiramente a solo) do primeiro EP, “Campo”. Este é editado em Março pela French Sisters Experience Records & Co., editora co-fundada pelo próprio.

Finalmente com trabalho editado, reúne à sua volta Ricardo Oliveira, Luís Tojo (SunKing), Francisco Ribeiro e David Simões (Programa Irregular) para o acompanharem em palco, nomeando-os Os Camponeses. “Campo”, que em estúdio é notoriamente cru, ganha agora ao vivo uma outra dimensão grandiosa e espacial, só possível com a adição de teclados e de uma guitarra extra.
2017 arranca com a gravação do primeiro longa-duração, produzido por Filipe Sambado, e já composto em banda. A sua edição está prevista para esta Primavera.”

+ info: Facebook | Bandcamp

DJ Quesadilla
+ info: Mixcloud 
Entradas: 6€ | Bilhetes disponíveis na Tabacaria Martins, Flur Discos e ZDB (quarta a sábado 22h-02h)| reservas@zedosbois.org

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

MIRROR PEOPLE​ EM FAMALICÃO




















​Casa das Artes de V.N.Famalicão I Sábado | ​​2​1​ ​Janeiro​ 201​​7​ I 2​​​​​3h​​3​0 I ​​Café Concerto​​​​​​

Bio.

​Mirror People surge no imaginário de Rui Maia, seu mentor, no meio da América durante uma tour com os X-Wife. Um projecto com um universo musical que juntasse influências do “disco-sound” dos anos 70 com sons actuais da música de dança. Depois do sucesso do álbum de estreia Voyager, um disco com várias colaborações, Rui Maia convidou a banda que o acompanha em palco (Maria do Rosário, João Pascoal e Hugo Azevedo) e o vocalista Jonny Abbey para juntos gravarem o seu sucessor. Bring The Light dá o título ao segundo longa duração de Mirror People com edição prevista para 2017.

Redes sociais​:

http://afirma.pt/pt/mirror-people/
https://www.facebook.com/mirrorpeoplemusic/?fref=ts
http://www.mirrorpeople.net/

​RESERVAS E INFO

http://casadasartes.blogspot.pt
http://www.casadasartes.org
Bilhetes em: http://casadasartesvnf.bol.pt
Entrada: 6 EUROS/ Estudante e Cartão Quadrilátero Cultural: 3 Euros​

AMOR TERROR COM NOVIDADES












Após um ano de estúdio e muita estrada, Amor Terror entra em 2017 com um tema fresco. Solta é o nome do novo single da banda. Uma canção intima e descomplexada, que vai do alternativo à electrónica, banhada pelos ambientes mais contemporâneos da pop.

Tal como a canção, o teledisco foi inteiramente produzido e realizado pela banda. Na urgência própria de quem faz acontecer, Amor Terror acentua uma estética transparente que mais parece uma ligação directa entre o interior da banda e o mundo actual.

Solta está disponível nas lojas digitais.

Sinopse:

Ao fim do compasso nada será menos que um quinteto perigoso. Patologias por tratar. Crises de identidade em espectaculares penteados, numa ansiedade própria de quem ficará sem bateria brevemente. Realeza vadia. Pitxahubismo! Amor Terror é Fofidão! Seja lá isso o que isso for
 

SOUL BROTHERS EMPIRE AO VIVO














Depois de um single contagiante, de seu nome “Jah Of Creation”, e de um álbum de estreia surpreendente - “Creation” - chega-nos uma série de concertos intimistas dos Soul Brothers Empire onde o rock, o reggae e os ritmos fortes e viciantes não vão faltar!

Esta irmandade tem raízes em Proença-a-Nova e durante os meses de Janeiro, Fevereiro e Abril vão passar pelas FNAC de Alfragide, Vasco da Gama, Almada e Leiria, respectivamente. Confira abaixo todas as datas das actuações de uma das apostas nacionais da Music For All!

21.01 | FNAC @ Alfragide, 17h
28.01 | FNAC @ Vasco da Gama, 17h
18.02 | FNAC @ Almada, 17h
15.04 | FNAC @ Leiria, 17h

DANIEL CATARINO - "MADRUGADA FORA"


PLANALTO APRESENTA




















"Abril" é o primeiro álbum de Ana e foi lançado hoje, dia 17 de Janeiro. Os primeiros concertos de apresentação oficial deste disco acontecerão já esta semana:
19 de Janeiro - Pátio da Casa, Portalegre
20 de Janeiro - SHE, Évora
21 de Janeiro - FNAC, Faro
22 de Janeiro - FNAC, Algarveshopping

O disco pode ser escutado aqui. E porque algum mistério acrescenta longevidade a uma relação, a primeira e última faixas do disco ("Dia 1" e "Dia 5", respectivamente) reservam-se para as pessoas que assistirem aos concertos e/ou adquirirem o CD.

Créditos:
Produção - Gobi Bear
Artwork - Vanessa Costa

NO PLANO B












Riça - Apresentação Do "Bicho Com Mau Gosto"
20 janeiro, 22h

Após o lançamento em Novembro, Riça apresenta o seu EP de estreia “Bicho com mau gosto”, dia 20 de Janeiro no Plano B. A festa começa com dB, produtor de Vila Nova de Gaia e membro dos Conjunto Corona, seguido pelo colectivo valonguense G821. Riça irá fechar a noite, acompanhado por Kass e DJ Sir Cyber, num concerto cheio de energia e no qual será apresentado o vídeo de uma das faixas do EP. Neste trabalho, para além de algumas produções suas, Riça conta com as participações de Kass (G821), DJ SirCyber e Lazy (ambos do colectivo Corja Crew), Antiq (Microfome) e Extremista. Lazy foi também responsável pela produção, captação e mistura deste trabalho - masterizado ainda pelo rapper/produtor José ‘Kap’ Poças (Biruta) e entregue à imaginação plástica da Mariana Malhão.

FESTFADO COMEÇA EM FEVEREIRO













Festfado é um projecto que integra um concurso composto por diversas eliminatórias com a programação de Dora Maria. O objetivo é promover o fado, divulgando e incentivando novos fadistas, apadrinhados pela actuação de autores e interpretes consagrados

Dora Maria, alentejana de berço e fadista de coração, regressa em Fevereiro com a segunda edição do Festfado que este ano se estende à região do Ribatejo. Na sua discografia encontramos o álbum de estreia “Mar de Tanto Amar”, e o sucessor “Encontros”, de 2015, com a produção de José Cid, direcção musical de Custódio Castelo, e a participação de Jorge Benvinda dos Virgem Suta. Como a sua carreira não se limita às gravações, Dora Maria fundou o primeiro Festival de Fado da região do Alto Alentejo no ano passado, em Ponte de Sôr, distrito de Portalegre, que contou com as actuações de Maria Armanda, Joana Amendoeira, Custódio Castelo, entre outros.
Da planície alentejana à lezíria ribatejana, a segunda edição do Festfado vai envolver os municípios de Ponte de Sor, Benavente, e Samora Correia, na produção do Festfado Alentejo e Festfado Ribatejo. Para além da residência de Dora Maria acompanhada pelos músicos Pedro Amendoeira, na guitarra portuguesa, Pedro Pinhal, na viola, e Fernando Maia, na viola baixo, o festival apresenta os fadistas designados nas seguintes datas:

Festfado Alentejo - Cine-Teatro de Ponte Sor
17 de Fevereiro- Teresa Tapadas
17 de Março- Rodrigo Costa Felix
21 de Abril - Ana Sofia Varela
19 de Maio- Mafalda Arnauth
16 de Junho- João Chora
21 de Julho- Lenita Gentil

Festfado Ribatejo
10 de Março- Centro Cultural de Samora Correia - José da Câmara
7 de Abril- Cine-Teatro de Benavente - Maria Armanda
13 de Maio- Cine-Teatro de Benavente - Ana Lains
17 de Junho- Centro Cultural de Samora Correia - Teresa Tapadas
7 de Julho- Cine-Teatro de Benavente - António Pinto Basto

Sobre o concurso:

Os concorrentes deverão inscrever-se através do mail Festfado@gmail.com enviando os seus dados pessoais e uma gravação em áudio ou vídeo;

O vencedor receberá como prémio a gravação de um álbum em CD, e haverão prémios monetários para o segundo e terceiro qualificados;

O júri é composto por quatro elementos: dois membros residentes destinados pela autarquia e dois convidados em cada gala, um dos fadistas convidados, e uma figura pública de outra área artística.

NO SALÃO BRAZIL









CRIATURA
20 Jan, Sex, 22h30

Edgar Valente | voz, piano/teclados e percussões tradicionais
Paulo Lourenço | baixo eléctrico
João Aguiar | guitarra eléctrica
Fabio Cantinho | bateria e percussões
Tiago Vicente | percussões tradicionais portuguesas e do resto do mundo
Eloísa d' Ascensão | voz e percussões tradicionais
Gil Dionísio | voz, violino e eletrónicas
Yaw Tembe | trompete e percussões
Ricardo Coelho | gaitas-de-foles, flautas tradicionais, flauta transversal e percussões tradicionais
Acácio Barbosa | guitarra portuguesa, campaniça e cavaquinho
Alexandre Bernardo | guitarra acústica, cavaquinho e bandolim.

Fruto de uma odisseia entusiasta de quase dois anos de trabalho, a Criatura começou por ser o projecto pessoal de um único músico. Mas ao ganhar vida transformou-se naquela que muito provavelmente será uma das mais surpreendentes bandas de reinvenção da música tradicional portuguesa em Portugal dos últimos 20 anos.

 Em 2013, e com apenas 21 anos, Edgar Valente iniciou uma residência artística em Serpa, Alentejo, empenhado em explorar as diversas manifestações culturais e musicais portuguesas – materiais ou imateriais, físicas ou intangíveis, evidentes ou imaginárias.

 Com a evolução do trabalho e o amor por cada nova descoberta propiciada pelo contacto directo com cultores musicais vivos de norte a sul do país, surgiu naturalmente o apelo à fundação de uma banda que pudesse transmitir fielmente todas as nuances de uma nova música orgânica e pulsante de vida. No final, são 11 músicos e uma mão cheia de outros criativos, irmanados numa consciência onde a busca pelo consenso das mais diferentes perspectivas é a chave para a verdade. E, no disco ou em concerto, mais alguns cúmplices inspiradores e tutelares: o Grupo Coral e Etnográfico da Casa do Povo de Serpa e Rui Júnior; Tó Pinheiro da Silva (som) e Pedro Leston (desenho de luzes).

 Mas a Criatura não é apenas uma banda. A congregação de ideias e ideologias, saberes antigos e sabores do futuro, gerações diferentes e sensibilidades diversas, deixa-nos a sensação de que também um novo movimento está a nascer. É, principalmente, um trabalho feito de amor à Terra, de celebração das energias, de descobertas e redescobertas, em que se canta por um despertar; essa “Aurora”, da Criatura."

Bilhete: Bilheteira online (BOL) :6€/ Lojas Parceiras ( Gang of Four, Mau Feitio e Coimbra Concept Store): 5€, Bilheteira do Salão Brazil (dia do concerto): 7€