sábado, 27 de maio de 2017

BRIAN ENO E THE GIFT JUNTOS EM PALCO

O produtor e músico Brian Eno juntou-se em palco aos The Gift no concerto que a banda deu em nome próprio na emblemática sala londrina Bush Hall, no âmbito da ALTAR Tour Internacional.

Brian Eno, que produziu também o mais recente disco dos The Gift, ALTAR, surpreendeu o púbico reunido no Bush Hall ao interpretar em conjunto com Sónia Tavares "Love Without Violins", o single de apresentação deste álbum.

A digressão internacional de apresentação do disco despede-se do Reino Unido, depois da presença no The Great Escape em Brighton e no Bush Hall em Londres. Dirige-se agora para Berlim a 30 de maio e para Nova Iorque a 24 de junho.

O concerto na Alemanha acontece no Maschinenhaus em Berlim pelas 20H00. Já o concerto nos EUA em Nova Iorque está incluído na programação do Summer Stage, em pleno Central Park.
 

sexta-feira, 26 de maio de 2017

MAZGANI NO MONTIJO




















No passado dia 24 de Maio, MAZGANI apresentou-se ao vivo no Fórum Luísa Todi, no âmbito da Cerimónia de Setúbal Cidade Europeia do Desporto. Esta foi a primeira de várias datas ao vivo que o músico irá realizar antes do lançamento do novo álbum, que tem edição agendada para Setembro deste ano.

Este sábado, 27 de Maio, MAZGANI sobe ao palco do CT Joaquim de Almeida, no Montijo, para actuar no evento (A Música) Vai com as outras. Nos dias 1 e 22 de Junho, o músico apresentar-se-á ao vivo no Festival MIL, em Lisboa, e nas Quintas de Leitura do Teatro do Campo Alegre, no Porto.

THE TRAVELER” é a primeira amostra do novo trabalho, que foi co-produzido por Mazgani e PEIXE, que também gravou guitarras. O baixo ficou a cargo de Victor Coimbra e a bateria foi gravada por Isaac Achega. O novo álbum foi gravado e misturado por Nelson Carvalho, nos Estúdios Valentim de Carvalho.

MAZGANI - DATAS AO VIVO:

24 de Maio: Participação na cerimónia Setúbal Cidade Europeia do Desporto, Fórum Luísa Todi
27 de Maio: (A Musica) Vai com as outras, CT Joaquim d'Almeida, Montijo
01 de Junho: Festival MIL, Lisboa
22 de Junho: Quintas de Leitura, Teatro Campo Alegre, Porto

Mais info:
www.facebook.com/pg/mazgani

PROGRAMA DE 26/05/17

1 - Melech Mechaya - Fado saltério
2 - Lingua Franca (Emicida, Rael, Capicua e Valete) - Ideal
3 - Eléctrico Chamado Desejo - Foram cardos, foram prosas (com Dalila Carmo)
4 - Prana - Não te dás a ninguém
5 - Sebastião Antunes - Balada do desajeitado
6 - David From Scotland - Television
7 - David Fonseca - Life on Mars? (com António Zambujo)
8 - Evols - Father death
9 - Tape Junk - Only son
10 - Ricardo Remédio - Caça
11 - Storm & The Sun - Breathe me
12 - Xinobi - Skateboarding
13 - Moullinex - Love love love

GEEK DADDIES COM NOVIDADES












Geek Daddies são o lado menos próprio de João Araújo e Hugo Rilhó. Uma espécie de Quarteto dos Três Irmãos Pedro e Paulo, na versão de um rock’n’roll desbragado e sem sentido. Uma banda com boas intenções, que pulula à solta no Inferno… Com um som cru e devaneante alteram entre ritmos desproporcionados e riffs poderosos, como quem não consegue domar o animal que monta.

Influenciados essencialmente pelos Earth, Wind and Fire, Richard Clayderman e outras relíquias musicais, ao vivo revelam-se muito menos românticos.

Os Geek Daddies percorreram, sem saber, um longo percurso de mais de 10 anos para chegar a este ponto rebuçado sem açúcar.

Considerados como adequados para celíacos, diabéticos e hemofílicos, resta-nos a esperança de que eventualmente este seja o principio do fim desta banda. Com uma esperança média de vida de 72 horas os Geek Daddies estão em fase de casulo, a trilhar caminhos desconhecidos, motivados pela fecundação do rock, munidos apenas de guitarra e bateria, promovendo o som curto e grosso, como deve ser o rock’n’roll, para quem gosta dele assim.

Com o lançamento do seu EP atingiram a impressionante marca dos 74,3 metros, ficando a plateia eufórica com a perda da acuidade auditiva em 30%. Comeram a sopa toda e tocaram como se não tivessem a sesta da tarde. Fica agora um registo auditivo a mostrar o seu lado birrento mais original, num miniálbum, num tom agridoce que reflete as aventuras musicais da parentalidade.

Os Geek Daddies vêm confirmar que o tamanho não importa.

Web
Facebook

O SINGLE DE STORM & THE SUN

Como num filme Western de desertos e tons quentes, Storm & The Sun espelha a história de um romance inesperado entre Pedro e Sara, um casal que veio de mundos opostos: ele do hardcore e ela do jazz. Dois universos distintos cruzam-se sem querer e deflagram numa sonoridade nova de Pop Folk Blues. Uma história de amor onde as melodias transportam o ouvinte para um universo cinematográfico, mas não inatingível.

"Breathe me" é o single de estreia deste duo carregado de intensidade, onde as guitarras nos põem a viajar e uma voz que transborda emoções invade o nosso sentir

Breathe me" faz parte do EP de estreia dos Storm & The Sun que inclui canções sensíveis e marcantes na sua essência, tal como o cenário que o nome da banda nos deixa no pensamento. A edição do EP vai ser antecedida de mais 2 vídeo-singles que demonstram a sua verdadeira arte e paixão.

Para já, ficamos com "Breathe me", um videoclip intimista e extremamente intenso, realizado por Bruno Mira, mais conhecido por The Fellow Man. A paixão sente-se. As palavras doem. O amor vence. Uma visão simples e cinematográfica sobre o casal, sobre a génese da sua música e sobre aquilo que esta representa quando se toca e canta com o coração.
 

LHAST APRESENTA SINGLE

Lhast apresenta se ao público com o seu primeiro single sobre o seu nome. Para esta primeira história convidou o Gson, elemento dos Wet Bed Gang, para apresentar-nos uma narrativa vinda directamente da visão feminina da vida de um artista.

Conotado por ser produtor de Hip-Hop/R&B, este single de apresentação culmina esses dois mundos com a onda sônica mais contemporânea que se tem vindo a desenvolver nos dias de hoje.

Lhast tem se vindo a estabelecer enquanto produtor¨ produzindo os singles “Do You No Wrong”, “História”, “As Coisas”, “Tarzan”, “Arena”, “Xamã”, entre outros. As colaborações incluem artistas como Richie Campbell, Diogo Piçarra, Regula, Valas, Dillaz, Profjam, e muitos mais.

Visitem o website do Lhast para ouvir algumas das mais recentes produções: WEBSITE


MELECH MECHAYA LANÇAM NOVO DISCO E ANUNCIAM DATAS DA DIGRESSÃO.




















Os Melech Mechaya já estão na estrada a apresentar o novo álbum "Aurora", cuja edição está marcada para 26 de Maio pela Felmay (distribuição Compact Records). A comemorar 10 anos de carreira, o 4º álbum do quinteto conta com a participação especial de Noiserv (voz), Filipe Melo (piano) e da cantora espanhola Lamari de Chambao (nomeados para um Grammy Latino em 2012).

O disco foi misturado em Londres por Tony Harris (que trabalhou com grupos como R. E. M., The Verve e Sinead O'Connor) e masterizado por Dave Blackman (Coldplay, Keane, Echo And The Bunnymen, etc.). Os dois primeiros singles, "Un Puente" e "Fado Saltério", já rodam nas rádios e tiveram uma aceitação notável nas redes sociais.

Os Melech Mechaya são a primeira e mais proeminente banda de música klezmer em Portugal. Com mais de meio milhão de visualizações no YouTube, este quinteto de Lisboa e Almada actuou mais de 350 vezes em 10 países de 3 continentes. A banda trabalhou com artistas como Frank London, Mísia, Amélia Muge, Pedro da Silva Martins (Deolinda) e a companhia de teatro catalã La Fura Dels Baus, a que se juntam Noiserv, Filipe Melo e Lamari de Chambao no novo álbum "Aurora".

O disco “Aqui Em Baixo Tudo É Simples” (2011) figurou na lista de melhores discos do ano da revista Blitz e foi nomeado para Melhor Disco Instrumental nos Independent Music Awards, tendo figurado durante várias semanas nos topes de rádios dos EUA, Espanha e Portugal. “Gente Estranha”, o álbum editado em 2014, foi considerado o álbum do ano para os leitores da BandCom e atingiu o 3º lugar no top iTunes PT de Músicas do Mundo.

Após mais de 9 meses em estúdio, o novo disco "Aurora" representa o trabalho mais inovador e original dos Melech Mechaya, alargando os horizontes da música klezmer para uma sonoridade única que é só deles.
 
DIGRESSÃO "AURORA"

2 de Junho - Lisboa - Arraial da Mouraria
3 de Junho - Castelo Branco - Cine-Teatro Avenida
16 de Junho - Évora - Festival Lá Fora
30 de Junho - Idanha-a-Nova - Being Gathering
20 de Julho - Ciudad Rodrigo (Espanha) - Fiestas de Verano
6 de Agosto - Lubián (Espanha)
30 de Setembro - Almada - Fórum Romeu Correia

NOVAS DATAS SEAN RILEY & THE SLOWRIDERS














Depois de esgotarem o CCB e passarem por Castelo Branco e Famalicão, Sean Riley & The Slowriders continuam a promover o disco homónimo, editado em 2016, por todo o país.

A banda, cujo single "Greetings" é este ano a música escolhida para a campanha da Worten, passará pelos seguintes locais:

27 de Maio, Quinta da Companhia, Penafiel
1 de Junho, Festival A Porta, Leiria
2 de Junho, North Music Festival, Guimarães
16 de Junho, Festas da Maceira
11 de Agosto, Festival Carviçais Rock
12 de Agosto, tba
26 de Agosto, Festival OITO24, Espinho

SONOSCOPIA APRESENTA












27 MAIO 2017
Microscopiofonia: Henrique Fernandes & Gustavo Costa (pt)
Lisboa / CCB / Fábrica das Artes / 18:00
MÚSICA PRA TI - INSTRUMENTOS IMPROVÁVEIS

Henrique Fernandes e Gustavo Costa são dois músicos ligados às áreas da experimentação sonora. Neste miniconcerto irão explorar a amplificação de fenómenos sonoros microscópicos originados no meio aquoso, revelando um novo universo musical repleto de surpresas. Utilizando como base um conjunto de aquários, serão vários os artefactos que passarão sob a lente do microscópio sonoro e que irão dar o mote para uma pequena sinfonia de blobs, glups, plonks e plops!

27 - 28 MAIO 2017
Otolith Organs: Alberto Lopes (pt)
Barreiro / Reservatório Elevado do Alto da Paiva / 16:00 e 18:00
PERFORMANCE
Entrada livre com inscrição obrigatória.

O 80º Aniversário da Rede Pública de Abastecimento de Água do Barreiro, proporcionará espectáculos sonoros no Reservatório Elevado do Alto da Paiva, uma das mais icónicas e reconhecíveis estruturas na rede de abastecimento de água no Concelho. Na sequência de uma Open Call internacional para propostas artísticas, que resultou em mais de uma centena de candidaturas, foram escolhidos quatro projectos que celebram a relação entre a Água e o Som, oriundos do Reino Unido, França, Brasil e Portugal. Alberto Lopes é um dos artistas da Sonoscopia, associação que reúne vários dos mais destacados músicos e criadores sonoros do norte do país. "Otolith Organs" é um conjunto de instrumentos que emitem som em ambiente aquoso, inspirados nos otólitos - estruturas moleculares localizadas no ouvido interno e responsáveis pelo equilíbrio postural.

quinta-feira, 25 de maio de 2017

HÁ MUSICA NO TRINDADE












No próximo dia 23 de junho começa numa das mais belas salas de Lisboa, um conjunto de concertos pensado para levar ao encontro dos amantes de música alguns dos mais intensos e íntimos concertos em que a voz, a guitarra e o piano concentram paixões e atenções.

Tatanka a solo! A total devoção e entrega em palco de um artista completo

Quem já sentiu de perto a entrega de Tatanka em palco sabe bem que este é um artista completo, que se expressa com o corpo e com a alma, com a guitarra e a garganta, pegando no melhor da música - da soul ao rock, do jazz ao funk - para nos oferecer canções maiores que nos fazem dançar, pensar e apaixonar.

Tatanka é o rosto dos muito amados The Black Mamba, projecto com que percorreu o país e o mundo (apresentou-se, ao lado de Áurea, no Rock In Rio Brasil, por exemplo) colecionando um volume invejável de experiência. Vocalista de méritos reconhecidos, guitarrista de exceção, Tatanka tem sabido dividir palcos com algumas das maiores estrelas da música portuguesa – além de Áurea, já se cruzou com António Zambujo, Dengaz ou Rui Veloso, para mencionar apenas alguns exemplos – repartindo com todos o brilho da apresentação. Ao Trindade, Tatanka trará “O Imperio dos Porcos” um espectáculo especial: apresentando-se primeiro a solo, acompanhado apenas pela sua guitarra, desfiando canções e histórias, melodias nuas e acordes como quem se revela ao mundo.
Na segunda parte será com banda que desfilará argumentos, procurando mostrar outras dinâmicas e energias num concerto pensado especialmente para esta ocasião.

+ informações em: https://www.facebook.com/Hamusicanotrindade
http://www.inatel.pt/Fundacao/o-que-fazer/tti/p/Programacao.aspx

Os bilhetes para o programa Há Música No Trindade encontram-se agora à venda em: www.bol.PT

JOÃO GRANOLA ESTREIA-SE












Sábado 27 Maio 22h30 - Casa da Música do Porto

Depois de se ter dado a conhecer em alguns projectos, João Granola apresenta "Amigo Vaivém", single retirado do EP de estreia do seu trabalho em nome próprio e que tem data de lançamento em Setembro deste ano.

E qual a melhor forma de apresentar este single? Ao vivo, pois está claro!
Sábado, dia 27 de Maio, às 22h30 João Granola vai fazer a estreia nos palcos, na Casa da Música do Porto (entrada livre).

João Granola é o atual caminho musical de alguém que vê nas árvores a metáfora perfeita para a sobrevivência. A força das suas raízes complementa-se com a flexibilidade dos seus ramos, naquilo a que chamamos de resiliência. João Granola não é mais do que o ramo musical de uma vida atestada de ramos, assentes num tronco que se fez, quer e procura ser robusto.

Em João Granola a música é importante, mas é a palavra o ponto de partida. A palavra portuguesa, pois claro, uma vez que foi nela que começaram e acabaram todas as reflexões que transformaram ideias em 5 canções. Nelas, a pessoa é a primeira, a realidade a de terceiros.

 

PROGRAMA DE 25/05/17
















1 - a Jigsaw - Candy
entrevista João Rui (a Jigsaw)
2 - a Jigsaw - Return from winter
3 - Tape Junk - Ain't no shame in my game
4 - Evols - Father death
5 - Ana Bacalhau - Ciúme
6 - Luís Severo - Olho de lince
7 - Os Quatro e Meia - Sentir o sol
8 - Valter Lobo - O governo não sabe nada do nosso amor
9 - Cacique'97 - Sal
10 - Pega Monstro - Cachupa

NOISERV AO VIVO














Já amanhã, sexta-feira, Noiserv  terá o prazer de tocar pela primeira vez em Marvila e no festival Muro. Este concerto terá a particularidade de acontecer numa plataforma a alguns metros do chão.

No dia seguinte, sábado, viaja para Madrid onde toco no festival Poetas que acontece na sala Matadero:

#26 de Maio - Festival Muro - 18h00 - Lisboa | Marvila (Sexta-feira)
localização: https://www.google.pt/maps/dir//38.7437528,-9.1084626/@38.7433595,-9.1096643,17z
+info: https://gerador.eu/festival-muro-2017/

#27 de Maio - Matadero | Festival Poetas - 20h00 - Madrid (Sábado)
+info: http://poeticofestival.es/2017/

www.noiserv.net
www.noiserv.bandcamp.com

O SOL DA CAPARICA












Teresa Salgueiro, Virgul e Fogo-Fogo juntam-se ao Sol da Caparica!

É verdade que a música é o prato forte d'O Sol da Caparica, mas está longe de ser o único, num verdadeiro "banquete" recheado de "entradas" e "sobremesas" de total requinte. São quatro dias em que os mais crescidos e os mais novos vão poder dançar e cantar, apaixonar-se e sonhar ao som de uma alargada amostra de música portuguesa, mas também com muita dança, poesia, pintura, cinema. Teresa Salgueiro, Virgul e Fogo-Fogo são três das mais singulares propostas de um cartaz muito diversificado, multicultural e musicalmente ambicioso.

Teresa Salgueiro é uma estrela mundial e uma das grandes vozes que o publico identifica com o espírito da alma portuguesa

Teresa Salgueiro estende o seu olhar até ao "Horizonte", título do seu mais recente trabalho, mas também terá oportunidade de se focar nalguns dos mais importantes momentos da sua carreira que, como se sabe, ganhou enorme dimensão internacional com os Madredeus. Um regresso aos grandes palcos do nosso país aqui no Sol da Caparica!
 
Virgul regressa a casa! A Caparica aplaude o filho da terra!

Já Virgul, prepara-se para levar a sua "Rainha" até ao palco d'O Sol da Caparica. O cantor com um percurso longo ligado aos Da Weasel e aos Nu Soul Family prepara-se para lançar o seu álbum a solo e deverá apresentar algum material pela primeira vez no concerto da Caparica onde, tendo em conta a sua história, "joga" sempre em casa. Toca a dançar e cantar com Virgul!

Baile escaldante garantido! Funana lisboeta e Caparicano a abrir o festival! Imperdível!

Os Fogo-Fogo, colectivo onde militam músicos de diversas origens, como Francisco Rebelo (Orelha Negra), João Gomes (Orelha Negra) ou o cantor David Pessoa que tem um percurso a solo, acabam de editar vídeo para o clássico caboverdiano "M'Bem Di Fora" que mostra claramente que cada concerto que fazem é um pretexto para festa! No Sol da Caparica nada será diferente: a sua aproximação ao funana de Cabo Verde e a demais ritmos dançantes africanos assim o impõe.

É uma língua universal, a nossa, e merece uma celebração igualmente universal!

Esta celebração da multiplicidade da nossa língua realiza-se igualmente pelo projeto Debaixo da Língua, que passa por um novo volume do livro de conversas de Rui Miguel Abreu, que tem nomes variados da nossa música e cultura, mas também por encontros de artistas com o seu público num ambiente de grande intimidade e descontração, por leituras de poesia e por performances variadas. A não perder!

+ informações em: www.osoldacaparica-festival.pt

quarta-feira, 24 de maio de 2017

PROGRAMA DE 24/05/17

1 - Rão Kyao - Sete sóis (com Rita Maria)
entrevista Rão Kyao
2 - Rão Kyao - Gnomos e duendes na festa lusa
3 - Tape Junk - Under my feet
4 - Evols - Father death
5 - Alexander Search - A day of sun
6 - Miss Cat e o Rapaz Cão - Do you wanna jazz?
7 - Oioai - Ela melhora
8 - Benjamim / Barnaby Keen - Dança com os tubarões
9 - Fado Lelé - Vou dar de beber à dor

JOÃO PEDREIRA APRESENTA SEGUNDO TRABALHO MUSICAL


















02 de Junho em formato digital
João Pedreira apresenta o segundo trabalho discográfico, o EP “Encontros” em formato digital.

Autor e compositor dos 4 temas, acompanha-se à guitarra.
João Pedreira assume “cantar mensagens simples e quotidianas, histórias de amor, encontros e desencontros… Os arranjos são todos baseados numa guitarra simples mas com construções harmónicas maduras”.

“Poderes Ficar” é o primeiro single!

SOFIA RIBEIRO AO VIVO


NA CASA INDEPENDENTE









Quarta - 24 de Maio
19h30 - They’re Heading West convidam David Fonseca (concerto)

Nos próximos meses, They're Heading West, vão experimentar uma ideia nova: concertos com convidados de luxo, como sempre, mas ao final da tarde de quarta feira.
O primeiro é no dia 24, e o convidado é o dono de umas vozes mais incríveis do rectângulo: David Fonseca, que assim inaugura este novo formato de concertos durante a semana.

Sempre às quartas-feiras, uma vez por mês, canções para celebrar o encontro de músicos a partilhar com o público aquilo que melhor fazem.

Foto THW por Vera Marmelo
Foto DF ©DR

Sábado - 27 de Maio
22h30 - Casa Ardente (Produções Incêndio) – Constança Villaverde Rosado (exposição) Chinaskee & Os Camponeses + Alek Rein (concertos), Rosa Choq (dj set)

Nova edição de Casa Ardente, da responsabilidade das Produções Incêndio. Estas noites têm sido um sucesso esgotando quase sempre, assim sendo, aconselhamos vivamente a chegar cedo.

Este sábado última oportunidade para visitar os desenhos de Constança Villaverde Rosado.

Chinaskee & Os Camponeses abrem para Alek Rein, que lançou em Setembro de 2016 o LP "Mirror Lane", mais dois concertos de excelência a passar pelo palco do Tigre.

Depois dos concertos, até às duas da manhã Rosa Choq com um dj set intenso e festivo.

SAMUEL ÚRIA & AMIGOS A 27 MAIO NO TIVOLI




















Ana Moura, Golden Slumbers, Manuela Azevedo e Miguel Ferreira eram nomes já divulgados

Manel Cruz é o último nome a ser conhecido na lista de convidados que acompanharão Samuel Úria no concerto do próximo sábado, 27 de Maio, no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa.

Em Março passado, quando do anúncio deste concerto de celebração de “Carga de Ombro”, o seu último disco de originais, Samuel Úria divulgava como convidados especiais Ana Moura, as Golden Slumbers, Manuela Azevedo e Miguel Ferreira. Agora, a escassos dias do concerto, Manel Cruz junta-se a um elenco de luxo que seguramente fará da noite do próximo sábado uma noite única.

A colaboração e amizade de Samuel Úria com Manel Cruz é já antiga mas tem na partilha do tema “Lenço Enxuto” o seu ponto de maior destaque público – a canção (publicada no álbum de 2013 “O Grande Medo do Pequeno Mundo”, rapidamente se tornou numa das mais queridas junto dos fãs ou não fosse um “humilde hino à limitada condição masculina”. A co-interpretação de Manel e Samuel transformou-a numa das grandes canções dos últimos anos e tem já lugar garantido no alinhamento do Tivoli.

Mas o próximo sábado trará ainda algumas surpresas que só os presentes terão oportunidade de desfrutar e que prometem agitar ainda mais o espectáculo. Quanto às certezas…

De “Cantiga de Abrigo” (AQUI - https://youtu.be/9B4Ai-g83Sc) com Ana Moura, tema da autoria de Samuel e gravado pela fadista em “Moura”;

Também do Festival da Canção com “Para Perto” (AQUI - https://youtu.be/qz_bv67Lw9o), a canção interpretada pela irmãs Falcão aka “Golden Slumbers” por iniciativa de Samuel Úria;
 Com Manuela Azevedo, a voz mágica dos “Clã”, o tema “Canção de Água Doce” (AQUI - https://youtu.be/x0wIGAxfoWw), uma parceria com Hélder Gonçalves incluída no último álbum de originais da banda;

A participação do produtor de “Carga de Ombro” num número alargado de canções, juntando-se à habitual banda de Samuel Úria constituída por Jónatas Pires (guitarras); António Quintino (baixo, contrabaixo, lap steel guitar); Silas Ferreira (teclas); e Tiago Ramos (bateria); a que se juntará ainda um coro alargado, um “must” na música do “trovador das patilhas”.

E, uma vez mais, “preparam-se os aplausos”. Este autêntico “Samuel Úria & Amigos” invadirá a plateia.

Existem ainda alguns bilhetes disponíveis pelo preço único de 15€ em, www.ticketline.pt e na bilheteira do Teatro Tivoli BBVA.

MAZGANI EM VIAGEM




















No seguimento da edição de The Traveler, o novo single de Mazgani que antecipa o próximo álbum de originais que chegará às lojas em Setembro, o artista anuncia as primeiras datas ao vivo:

24 de Maio | Participação na cerimónia Setúbal Cidade Europeia do Desporto, Forum Luisa Todi
27 de Maio | (A Musica) Vai com as outras, CT Joaquim d'Almeida, Montijo
1 de Junho | Festival MIL, Lisboa
22 de Junho | Quintas de Leitura, Teatro Campo Alegre, Porto

Sobre o novo disco

Mazgani produziu o novo disco juntamente com PEIXE, que também gravou guitarras. No baixo contou com Victor Coimbra e na bateria Isaac Achega. Este novo trabalho foi gravado e misturado por Nelson Carvalho nos Estúdios Valentim de Carvalho.

"Entre a feitura dos arranjos e a gravação, todo o processo foi muito célere. Permitimo-nos uma abordagem orgânica e espontânea aos temas no estúdio, procurando não nos afastar do ímpeto inicial que as canções suscitaram na sala de ensaio. Muitas das primeiras soluções que encontrámos para as músicas são as que aparecem no disco. Esta abordagem só foi possível graças à singular capacidade de leitura das canções que o Nelson tem, ajustando imediatamente o leme de acordo com a direcção que queríamos seguir e a geografia que queríamos explorar". Mazgani
 

KAPPA JOTTA COM NOVIDADES














2017 é o ano de Kappa Jotta. Depois do grande sucesso do primeiro single do segundo álbum, o rapper da linha de Cascais volta agora com "Pela Cidade", tema produzido por dois nomes grandes do Hip Hop nacional, Lhast e Slow J e que antecipa o tão aguardado lançamento do álbum "Ligação".

"Pela Cidade" sucede ao muito aclamado "Chama" e fala das rotinas habituais das relações mal acabadas e das segundas oportunidades que frequentemente aparecem nestes momentos. Durante o tema, Kappa Jotta concluí também sobre o conforto que a Cidade lhe dá na resolução de todas duvidas e problemas.

Com lançamento previsto para o Outono de 2017, "Ligação" será certamente momento de afirmação de Kappa Jotta e um dos grandes registos do ano.

KAPPA JOTTA

Kappa Jotta, é um nome sonante e influente no mundo do Hip-Hop/Rap/Urban Music português, um dos nomes mais falados da nova escola, tendo ganho o prêmio de “artista revelação 2014” por um dos sites mais conceituados de hip-hop português (HipHopWeb).

Kappa Jotta já passou por alguns dos grandes palcos como o Mítico Hard Club, tendo partilhado palco com nomes como, Sam the Kid, Mundo Segundo, ou Allen Halloween, Kappa Jotta garante um Show bastante intenso , com uma enorme interação com o público.

Em outubro de 2015 lança o seu álbum de estreia “VIRUS” em formato físico, e plataformas digitais, Itunes, Spotify e MeoMusic, “VIRUS” leva-nos a uma viagem entre o “BOOM BAP” e as novas tendências do “TRAP”, 16 faixas que contam com participações muitos convidados especiais como, Carolina Deslandes, Bispo, Lhast, Jackpot BCV, João Tamura, Khapo, Dj BIG, entre outros.

Kappa Jotta já conta com cerca de 3.000.000 de visualizações no Youtube, 18.000 likes no Facebook e 24.000 seguidores no Instagram. 2016 foi também um ano em cheio para este artista, tendo pisado palcos como MEO SUDOESTE a convite de Dj Kwan, TOP FM BEACH PARTY, Queima das Fitas de Évora, Mirandela Music Fest, Festas do Município do Barreiro, Hard Club, Mega Final de Aulas do Fundão entre outros.

2017 vai trazer um novo disco
 

CLÁUDIA LUCAS APRESENTA "QUARTO CRESCENTE"




















Cláudia Leal no seu disco de estreia "Quarto Crescente" apresenta fundamentalmente fados tradicionais aos quais se juntam inéditos criados para a singularidade da sua voz.

Neste álbum Cláudia Leal apresenta-se pela primeira vez não só como autora e compositora com o tema "O Sal Vem da Saudade" mas também como executante de guitarra clássica no fado "Fado e Lisboa".
O álbum “Quarto Crescente” possui uma particularidade inovadora. Em vez de um produtor comum, cada tema tem uma produção própria: ou do compositor ou do músico executante.

Para além de contar com a participação de grandes músicos como:
Pedro Jóia, Rão Kyao, José Manuel Neto, Carlos Manuel Proença, Rogério Ferreira, Rodolfo Godinho, Pedro Henriques, Daniel Pinto e Vicky Marques.
Conta também com os grandes Poetas: António Botto, Mario Rainho, Guilherme Pereira da Rosa, António Calém, José António Sabrosa, Rui Manuel, Fernando Girão, António Laranjeira e Ricardo Maria Louro.

A qualidade deste trabalho deve-se também a excelentes compositores tais como, Francisco Carvalhinho, Pedro Joia, Maria Teresa de Noronha, Fernando Girão, António Sabrosa, Rão Kiao, Rogério Ferreira Rodolfo Godinho e Ricardo Ribeiro.

Primeiras datas da digressão!

2 de Junho - Auditório Zona Livre | Vila Real | 21:30h

3 de Junho - Lamego - Teatro Ribeiro Conceição
Bilhete - 10€ |Horas - 21:30h

10 de Junho | Festas de Proença a Nova | 21:00h

12 de Julho
Festas da Charneca de Caparica

06 de Outubro - Arcos de Valdevez
Casa das Artes - 22.00h


terça-feira, 23 de maio de 2017

PROGRAMA DE 23/05/17

1 - Barry White Gone Wrong – Tornado
2 – Blaze & The Stars – Blues for sister sally
3 – The Lemon Lovers – Cosmic lovers
4 – Sean Riley & The Slow Riders – Gipsy eyes
5 - Grandfather’s House - My love
6 – Serushio – Bad news (i don’t need you)
7 – Tape Junk –  Buzz
8 – Evols - Father death

9 – Destroyers Of All – Tormento
10 – Switchtense – Flesh and bones
11 - The Psycho Tramps - Chainsaw sunset
12 – Glockenwise – Heat
13 – The Twist Connection – Turn off the radio
14 – The Poppers – Peyote

FILHO ÚNICO APRESENTA




















Esta Quarta-feira há Filho Único Apresenta no Lounge. A partir das 22h30, com entrada livre, tomarão lugar os concertos de Vasco Alves, dos Veenho e dj set dos Ciberpapi.

Entretanto atentem no já anunciado monumental arraial de lançamento do novo disco “Casa de Cima” das Pega Monstro, a acontecer no entardecer e noite de Santo António, no Jardim do Palácio do Machadinho, na Madragoa, em Lisboa, com entrada livre.

Vasco Alves + Veenho + Ciberpapi              

Vasco Alves iniciou a sua actividade artística em Londres, em 2007, vivendo e trabalhando em Lisboa desde 2014. O seu trabalho, segundo o próprio, "baseia-se na exploração de plataformas electro-acústicas instáveis, através do uso de rádios, objectos/instrumentos personalizados e/ou danificados, e de diversas formas de amplificação. Estes processos tendem a ser de natureza bastante volátil pelo que na sua apresentação estão sujeitos a rigorosos métodos de intervenção.” Tem também editado discos e organizado eventos através da PORTA (com nomes como Helm, Calhau!, Lee Gamble) e é um terço do trio VA AA LR.

 Veenho é uma banda de rock de garagem tuga cujo nome surgiu aos seus perpetres “da união de conceitos como a vizinhança e a bebida sacra, que é da mesma homofonia”. Os Belenenses António (na guitarra e na voz), Martim (na bateria), Tó Bea, entretanto substituído por Valera (na guitarra), e Xixo (no baixo) remontam a formação do grupo a 2009, mas é a partir do Verão de 2015 que a banda começa a ensaiar com regularidade e consistência. Gravaram ao vivo e em directo, com o incontornável Filipe Sambado, um EP de 5 temas cuja edição em cassete no início deste ano teve o selo Xitra Records.

 Dj set da noite será por Ciberpapi. Néh brincadeira.

Vasco Alves http://vascoalves.info
Vasco Alves "Volume 1 (excerpt)” (2013, Single sided cassete, Wasted Capital Since 2013) https://youtu.be/N-XEHBJOi1M
Vasco Alves "Volume 2 (Pt.2)” (2016, CD, We Can Elude Control) https://youtu.be/35zAxPeiTm8

Bandcamp Veenho https://veenho.bandcamp.com/releases
Vídeo Veenho “Saideira” https://youtu.be/pY1RoM5WTh0

Filho Único Apresenta no Lounge
Vasco Alves + Veenho + Ciberpapi
Local: Lounge
Data: 24 de Maio
Horário: 22h30
Entrada: LIVRE  
Arraial de lançamento de “Casa de Cima” das Pega Monstro

A Filho Único e a Cafetra têm o prazer de vos convidar para o arraial de lançamento do novo disco das Pega Monstro, quando o final da tarde do dia 12 de Junho encontrar a noite de Santo António, no Jardim do Palácio do Machadinho, na Madragoa. A partir das 18h e com entrada livre, teremos a selecção musical a cargo de DJ Tempos Livres antes, entre e depois dos concertos. Contem com sardinhas, bifanas e veggie burgers na grelha, e bares com vinho e cerveja a rolar do arranque até ao recolher do convívio lá pela Meia-noite.

 A música ao vivo terá início pelas 20h com um concerto de Pato Bravo, a identidade reservada de B Fachada para a sua música de síntese electrónica de direcção singular, seguindo-se pelas 21h as Pega para nos apresentarem as canções de “Casa de Cima”, o seu maravilhoso terceiro longa-duração, uma edição conjunta Upset The Rhythm e Cafetra Records.

Pega Monstro “Partir a Loiça” https://soundcloud.com/upset-the-rhythm/pega-monstro-partir-a-loica-1
Pega Monstro “Cachupa” https://soundcloud.com/upset-the-rhythm/pega-monstro-cachupa

Arraial de lançamento de “Casa de Cima” das Pega Monstro
Pega Monstro + Pato Bravo + DJ Tempos Livres
Local: Jardim do Palácio do Machadinho, Madragoa
Data: 12 de Junho
Horário: 18h - 00h
Entrada: LIVRE

Com o apoio da Divisão de Ação Cultural da Câmara Municipal de Lisboa

ALCOOLÉMIA CELEBRAM 25 ANOS DE CARREIRA














Novo disco "XXV ANOS" a 09 de Junho

Ao vivo dia 25 de Maio, Lisboa, Cinema S. Jorge, 21h00
Não Sei Se Mereço" é um dos temas revisitados, com a participação de Carlos Tavares (Grupo de Baile) e Nuno Norte, para recordar ou descobrir, incluído no novo trabalho dos Alccolémia - "XXV Anos".

"XXV Anos” (Ed. Display) marca o regresso dos Alcoolémia num disco que celebra duas décadas e meia de rock e estrada do grupo de “Não Sei Se Mereço”, e que estará à venda no dia 09 de Junho.

O grupo lançou o convite a uma série de amigos que admiram, para celebrar e revisitar os seus maiores sucessos. Entre as vozes de músicos já consagrados, e novos valores, os Alcoolémia contam com a participação de António Manuel Ribeiro (UHF), Nelson e Sérgio Rosado (Anjos), Carlos Tavares (Grupo de Baile), Nuno Norte, Zeal (Dr. Estranho Amor), Maria João, Vasco Duarte (Ossos do Oficio), Alfredo Costa (Skills and Bunny Crew) e Tiago Estrela (Rock em Stock). Paulo Borges (GNR) está a cargo das teclas.

"XXV Anos" é um álbum de celebração, para os fãs do grupo, e de descoberta para novos públicos.

No dia 25 de Maio, os Alcoolémia apresentam-se, ao vivo, em Lisboa no Cinema S. Jorge, pelas 21h00.

Preço dos bilhetes: 6€, à venda em Ticketline
Alcoolémia Formação:

Manelito: Guitarra
Pedro Madeira: Guitarra
João Beato: Voz, guitarra
Márcio Monteiro: Bateria
Bruno M. Paiva: Baixo

10 ANOS DE DISCOTEXAS EM CD









Dia 26, sexta-feira, chega às lojas a Colectânea 10COTEXAS que tem já como primeiro single "Family Affair", e é este o pretexto para uma grande festa com Moullinex, Xinobi e Da Chick a trazerem de volta a The Discotexas Band, dia 7 de Junho, no Musicbox em Lisboa.

2017 é um ano importante. Foi há dez anos que Moullinex e Xinobi criaram a Discotexas, e por muito que soe a lugar-comum, a verdade é que ninguém imaginava que 10 anos depois a Discotexas ainda existisse e muito menos alcançado tudo o que alcançou.

A 7 de Junho a The Discotexas Band actua no Musicbox e fará jus a este aniversário.

"Family Affair”, o primeiro original da The Discotexas Band, é uma síntese musicada dos 10 anos de Discotexas que agora se comemoram. Inaugura também a compilação 10COTEXAS (com edição a 26 de Maio) que celebra este aniversário tão importante para Moullinex, Xinobi e Da Chick que conceberam a banda para tocar o catálogo da editora, na velha tradição da Motown e Salsoul.

O Disco, o Funk e as melodias contagiantes imperam o solarengo e orelhudo "Family Affair", que não é mais que uma celebração da união através da música, uma extensão natural do espírito do colectivo.

 A música foi composta durante uma residência artística num local recôndito da ilha da Madeira, a convite do Festival Aleste. Durante uma semana a Banda viveu numa casa transformada em sala de ensaio e estúdio e onde, com uma vista extraordinária para o oceano Atlântico, se magicou "Family Affair".

NO PLANO B

BOMS SONS ANUNCIA ULTIMO NOME




















Ele diz que não está velho, que está mais novo do que nunca mas com o dobro da experiência. O nome surpresa do cartaz do BONS SONS é finalmente divulgado e é a cereja no topo do bolo do melhor cartaz da música portuguesa deste Verão.

Em 2017, José Cid vai sentar-se aos comandos da nave espacial que aterra em Cem Soldos para o concerto de celebração do álbum icónico da sua carreira – "10.000 anos depois entre Vénus e Marte". Num registo de rock progressivo, pelo qual é menos conhecido do grande público mas que é aclamado por especialistas e melómanos, Cid transporta-nos numa viagem de ficção científica estelar com notas de alucinação psicadélica.

REVIVER "10.000 ANOS DEPOIS ENTRE VÉNUS E MARTE" NO BONS SONS
O PROG-ROCK DE JOSÉ CID

O álbum lançado em 1978 pela editora Orfeu conta a história de um homem e uma mulher que regressam à Terra após 10.000 anos da autodestruição da humanidade. Viajam através do espaço em direcção ao planeta azul para o repovoar. Na altura não foi imediatamente reconhecida a virtude deste álbum, com vendas a não irem além das 1000 cópias, mas como acontece às obras de génio editadas à frente do seu tempo, foi ganhando o estatuto de álbum de culto tanto em Portugal como além-fronteiras. É este o grande motivo para celebrarmos os quase 40 anos deste álbum com o seu compositor e intérprete original no Festival da Música Portuguesa.

"10.000 anos entre Vénus e Marte" não foi nave que se pilotou sozinha. Na gravação, além do versátil músico, talentoso teclista e reverberante vocalista José Cid, juntaram-se Zé Nabo no baixo e na guitarra, que partilhou com Mike Sergeant, enquanto as baquetas da bateria e a percussão estavam nas mãos criativas de Ramon Galarza.

A sonoridade astral, muito particular desta obra, deve-se ao instrumento musical Mellotron, uma marca constante no rock progressivo e uma característica comum a outras bandas da época como Pink Floyd, Genesis, King Crimson ou Moody Blues. Este instrumento data de uma era pré-sampling musical e dá ao controlador a possibilidade de reproduzir som gravado numa fita de áudio alterando-lhe o tom e ritmo.

O Mellotron empresta também o nome ao Planeta Fantástico, uma das músicas do álbum. O álbum contém ainda os temas "O Último Dia na Terra", "O Caos", "Fuga para o Espaço", o homónimo "10.000 anos depois entre Vénus e Marte" "A partir do Zero", "Memos" e "Vida (Sons do Quotidiano)", este último incluído como faixa bónus no álbum original e já tinha sido editado como EP em 1977.

O espectáculo contará ainda com temas que datam da mesma época como "Onde, Quando, Como, Porquê, Cantamos Pessoas Vivas", uma incursão no rock sinfónico que precedeu o álbum, e também "Vozes do Além" cuja gravação contém poemas de Sophia de Mello Breyner e de Natália Correia. Este tema tem sido prometido para um aguardado álbum, com o mesmo nome, em que José Cid estará a trabalhar, empreendendo um regresso a esta estética musical com o tema da reincarnação e da vida após a morte.

FAZEM AINDA PARTE DO CARTAZ DO BONS SONS 2017

Rodrigo Leão, Orelha Negra, Mão Morta tocam Mutantes S21, Capitão Fausto, Samuel Úria, Paulo Bragança, Virgem Suta, Frankie Chavez, Né Ladeiras, Medeiros/Lucas, Glockenwise, Throes +The Shine, Holy Nothing, The Poppers, Thunder & Co, Manuel Fúria e os Náufragos, Señoritas, Octa Push, Whales, Filipe Sambado, Captain Boy, Marco Luz, Surma, LST - Lisboa String Trio, Joana Barra Vaz, Valter Lobo, Sonoscopia, Les Saint Armand, Sampladélicos, Ana Jezabel e António Torres, Lander&Jonas, Carlota Lagido, Band'olim, Lucía Vives + João Raposo, Moços da Vila, Sanct'Irene, SingularLugar, Filipe Valentim, Moçoilas, Rodrigo Affreixo, Puto Anderson, DJ NinOo e K30 (Firma do Txiga), Groove Salvation, Zé Nuno, Sam U, Beatdizorder e Inês Lamim.

BILHETES À VENDA NOS LOCAIS HABITUAIS
PASSE 4 DIAS: Março—Agosto 40€ / Agosto (recinto) 45€
BILHETE DIÁRIO: Março—Agosto 20€ / Agosto (recinto) 22€

WE BLESS THIS MESS EM NOVA IORQUE














We Bless This Mess, banda encabeçada pelo músico Nelson Graf Reis e que integra o catálogo Lusitanian, empresa portuguesa de edições musicais, actua na A2IM Indie Music Week, em Nova Iorque, num showcase do Reeperbahn Festival, no dia 7 de Junho.

Relembre-se que o projecto participou ano passado no Reeperbahn, na sua cidade sede - Hamburgo (na Alemanha) - no mês de Setembro.

Antes, We Bless This Mess participa no festival-conferência You Bloom, que acontece em Dublin (na Irlanda), no dia 3 de Junho.
  

BLESS THE MESS EDITAM E APRESENTAM EP DE ESTREIA ESTA SEMANA




















Primeiro surgiu “Never Too Old”, o single que apresentou os Bless The Mess ao mundo. Recentemente fomos apresentados a “Dawn”, segundo tema extraído do EP de estreia. E agora, finalmente, temos acesso total a “Low Blow”, EP Digital composto por cinco faixas, disponível no iTunes, na Amazon, no Google Play e na The Store.

Mas as novidades, felizmente, não ficam por aqui! Já no próximo dia 27, Sábado, a banda portuguesa vai subir ao palco do EKA Palace, em Lisboa, para apresentar ao vivo o EP que hoje editam. Tudo começa pelas 21h30 e os bilhetes têm o preço único de 5€. Esta é mais uma das apostas nacionais da Music For All.
 

O GAJO AO VIVO

AGENDA ALAIN VACHIER MANAGEMENT



CARUMA
04 Junho| 21H00 – Marinha Grande (Recinto das Festas)

Duarte
15 | 21H30 – Sully - França
(http://www.festival-sully.fr/concerts-2017/duarte)
21 | 21H30 – Castelo Branco Homenagem a AMÁLIA

Júlio Pereira
06 | 21H30 - Teatro da Trindade (participação – Gala fim do Congresso CISAC/ SPA)
10 | 21H30 – Albergaria a Velha – Teatro Alba
25 | 18H00 – Esporão

Maria Alice
17 | 21H30 – Auditório do Fórum Cultural no Seixal

Rogério Charraz
23 | 21H30 – Espinho (recinto das Festas)
25 | 21H30 – Évora – Jardim Municipal

Sebastião Antunes (apresentação do novo disco “Singular”)
02 | 21H30 - FNAC Oeiras
04 | 15H00 - Largo 1º de Agosto – Santa Iria de Azoia
11 | 17H00 - FNAC Fórum Almada
18 | 21H00 - FNAC Colombo
24 | 21H30 – Sebastião Antunes & Adufe em Lisboa –Idanha (Festival Salva a Terra)

Peste & Sida
24 | 22H00 – Proença a Nova – Rock Fest - Parque Urbano

WE BLESS THIS MESS EM FESTIVAIS INTERNACIONAIS














We Bless This Mess, em formato solo, segue caminho rumo a quatro festivais durante o mês de Junho. Depois de três datas no Reino Unido, inclusive a presença em banda no "The Alternative Escape" em Brighton, inserido nas celebrações do Festival "The Great Escape".

Estas participações vêm reforçar o projecto português como um frequentador assíduo em festivais de cariz internacional, sobretudo festivais de carácter profissional (com conferências "pro").

3.06 | You Bloom​, DUBLIN (IRL)
7.06 | Reeperbahn Festival​ NYC Edition, NOVA IORQUE (EUA)
24.06 | Arezzo Wave Love Festival​, MILÃO (IT) *Banda*
30.06 | Festival Europavox​, CLERMONT-FERRAND (FR) 

JÚLIO PEREIRA AO VIVO


















25 de Maio - Coimbra, Auditório do Conservatório de Música, 21h30
27 de Maio - Tavira, Santo Estevão, Largo da Igreja, 21h30
06 Junho – Lisboa, Teatro da Trindade, Gala CISAC (org. SPA)
10 de Junho - Albergaria-a-Velha, Quinta do Torreão (Festival Pão de Portugal)
25 de Junho – Esporão, 18h00

Júlio Pereira revisita, ao vivo, o seu último disco, Cavaquinho.pt. Acompanhado por Miguel Veras na guitarra, Sandra Martins no violoncelo e Pedro Dias na guitarra portuguesa, nestes espectáculos o som da pequena viola de quatro cordas alia-se aos seus parentes madeirenses e americanos, numa criação de contemporânea mestiçagem. Em palco, resulta numa diversificada viagem por múltiplas paragens sonoras, que não dispensa, até, um piscar de olho ao fado.

Júlio Pereira prepara-se para editar um novo trabalho, com data de lançamento prevista para o último trimestre de 2017.

Júlio Pereira site Oficial

segunda-feira, 22 de maio de 2017

PEDRO BAROSO RECEBE MEDALHA DA SPA

PEDRO BARROSO, autor, compositor e cantor, é distinguido hoje pela Sociedade Portuguesa de Autores, com a Medalha de Honra no âmbito das comemorações do “Dia do Autor”, que decorrerá hoje pelas 18h.

Um merecido reconhecimento pelo seu percurso artístico.

Para definir este fantástico novo disco, com poemas, músicas, produção e Direcção musical de Pedro Barroso nada melhor que citar o que o proprio escreveu:.

Artes do futuro é uma espécie de “Manual de sobrevivência” para sonhadores.

 Nele se registam, mais propriamente, doze sonhadores e um vigarista. Eu explico.

Baseada em aturados estudos e arriscadas experiencias sem credibilidade alguma, a excêntrica criatura que se propôs tão peculiar empreitada, tentou observar pessoas, factos e exemplos vários, aleatoriamente recolhidos em passados, presentes e futuros, com seus diversos modos de viver. Ora bem.

De facto, em todos os temas abordados, respectivos heróis e seus velados conselhos, ressaltam a fantasia positiva, o aprumo de coragem, o anseio de um amanhã melhor, uma crença de probidade futura, uma teimosa busca, amor pela verdade, sonho de perfeição.

Enfim, poetas…- Vossências perdoarão.

Tal houvera de aplicar-se, urgentemente, ao homem público. Mas reside ainda, talvez, no íntimo de alguns de nós. Os que ainda temos mantido o saudável exercício de acreditar em tão improváveis prodígios através dos tempos. E - até no menos recomendável caso de um megalómano e engenhoso Comendador - há, de certo modo… fantasia. Menos positiva, é obvio, e ditada pela cupidez. Mas todos sabemos que o mundo não é perfeito.

Face às malfadadas e desditosas ocorrências limite que enfrentou, o debilitado autor deste manual, provavelmente, terá algum permitido conhecimento técnico para falar de certas matérias - tais como a brevíssima validade de prazos, datas, passaportes, carimbos e planetas para este acto tão exótico de existir.

Que deve ser vivido em pleno, portanto, dada a sua confirmada transitoriedade.

Somos, com efeito, sempre bem mais efémeros, provisórios, frágeis e breves do que desejávamos. E ficamos sempre aquém do sonho que para nós mesmos tínhamos preparado. A meio caminho de tudo o que ainda há-de haver. Injustiças.

Partimos quando começávamos, timidamente, a vislumbrar alguma coisa.

Mas o árbitro das madrugadas assim o determina.

Deixamos, pois, aos vindouros, muitos rumos colectivos por desbravar. Em que não fomos, está visto, competentes. E, despudoradamente, a História nos sonegará a nossa sede imensa de sucessos e glórias transcendentes. Obrigando-nos à mais plebeia arte de enfrentar um diário resistir. Com nossas hipócritas mentiras e nossos irrisórios paliativos.

E a tal cidade nova, a catedral maior, a sociedade justa, o futuro perfeito, ficam sempre para amanhã. Utopia, talvez. Há quem lhe chame Sonho, outros Liberdade. Pormenores, claro.

Entretanto, ciclicamente, outros visionários virão. E outros ainda.

E farão versões doutras Artes do Futuro. Rumo ao tal dia luminoso; o que vai recompensar-nos de termos escarpado tanto promontório. E de, eventualmente, ter valido a pena sonhar.

Pois é esse dia - em que nos sentaremos à mesa com o Futuro - que nos virá dar razão.

E só então os velhos navegantes poderão, enfim, repousar.

Para festejar este tão desejado regresso, o teatro Tivoli e o Coliseu do Porto esgotaram para ouvir e aplaudir o autor, o músico, o cantor que indiscutívelmente pelo seu talento, pela sua obra não pára de nos surpreender.

Um canto à vida, o toque nobre e mágico naquilo que compõe e que escreve à sua maneira que nos transforma, nos engrandece, nos faz acreditar!
 

PROGRAMA DE 22/05/17

1 - Júlio Pereira - Pulga saltitante
entrevista Júlio Pereira 
2 - Júlio Pereira - Ler devagar
3 - Evols - Father death
4 - Tape Junk - Tombstone
5 - Black Smoke of Buddha - Black magic rites
6 - Palankalama - Um pires branco com um pão quente a fumegar
7 - Lama Lemur - Sono estival

PEGA MONSTRO COM NOVO SINGLE














A Cafetra tem o prazer de anunciar o lançamento do segundo single "Cachupa" do disco " Casa de Cima".

O disco tem data prevista de lançamento para 2 de Junho e como forma de celebrar as Pega Monstro em parceria com a Filho Único vão montar um arraial na noite de Santo António, dia 12 de Junho, no Palácio do Machadinho, na Madragoa ENTRADA LIVRE. O programa das festas conta também com o Pato Bravo aka B Fachada e a DJ Tempos Livres. Para começar às 18h e terminar à 00h.

O segundo single, "Cachupa" já está disponível para escuta aqui:
https://soundcloud.com/upset-the-rhythm/pega-monstro-cachupa
Maria explica a canção - " Cachupa é um estufado tradicional cabo verdiano que tem como ingredientes principais milho, feijão e mais feijão! Há amores que, tal como este prato, são de digestão complicada. A canção é enunciada como uma ópera-balada dividida em 3 actos - a gingar na angústia, elevada pelo lamento e a travar-se à resolução. Cantamos, no último acto, uma quadra do Fernando Pessoa a Gosto Popular. "

A pré-encomenda pode ser feita através deste endereço:
http://upsettherhythm.bigcartel.com/product/pega-monstro-casa-de-cima-pre-order

KEEP RAZORS SHARP EM LYON NO FESTIVAL NUITS SONORES














Depois de Inglaterra e Espanha (onde ganharam o Prémio Revelação nos Pop-Eye Awards 2015 e foram considerados a 3ª Melhor Banda Rock Ibérica) os Keep Razors Sharp seguem agora para França onde vão atuar no Festival Nuits Sonores em Lyon no dia 26 de Maio.

Criado em 2002 como um "laboratório cultural, artistico e urbano", este festival tornou-se, nos últimos 15 anos, numa curadoria das representações mais modernas e cutting edge nas areas da cultura independente, electrónica e digital. Depois de dar Carta Branca a Varsóvia, Bruxelas, Tokyo, Nova Iorque e Seol, este ano é a vez de Carte blanche to Lisbonne que contará também com The Legendary Tigerman, Jibóia e Pega Monstro.

Mais detalhes aqui

A banda, que passou este final de semana pelo Maus Hábitos, no Porto, está neste momento em estúdio a preparar o seu segundo álbum, e passará, em Julho, pelo Festival Mêda+.

PRANA A PREPARAR NOVO DISCO














"Não Te Dás a Ninguém’ avança a chegada do terceiro álbum de originais dos PRANA que sucede o ‘Amor e Outros Azares’. O tema retrata o antagonismo entre atração e fatalidade, onde a banda tenta jogar com conceitos muitas vezes distantes como o rock e a eletrónica ‘É uma metáfora que descreve aquelas situações em que vemos 'perigo' escrito em todo o lado, mas não conseguimos não seguir. Um braço de ferro e de seda, da sedução.’ A tensão musical manifesta-se numa toada vibrante, em jeito de coro, com um crescente rítmico marcado por uma guitarra hiperativa que encontra na bateria, com tonalidades mais eletrónicas, o seu circuito energético. ‘Se não me queres o que queres de mim’ exprime toda a matéria e energia da música. Os PRANA percorrem também um novo universo, novas formas de vida, onde buscam unificar o cinema e a música.

O tema vem acompanhado de um videoclipe ilustrativo com a estética de neo noir. Se por um lado exploram os recursos de iluminação destacando aspetos das personagens e alimentando a tensão no espectador, por outro, através de uma aparente ação arbitrária, tem o poder de estabelecer a relação entre as personagens e as suas ruturas. A letra dita o mote para este tipo de estética debruçando-se sobre uma temática mundana de protagonistas arruinados pelo fatalismo e pela injustiça quotidiana.

O videoclipe foi produzido pela equipa de Ricardo Leite, que entre outros trabalhos, adaptou com sucesso a narrativa de Zink, ‘A Instalação do Medo’, para a grande tela. A curta-metragem foi galardoada pela Academia Portuguesa de Cinema, com o prémio Sophia 2016 que esteve em exibição em vários festivais de cinema no país e no estrangeiro, como por exemplo, no Berlin Student Film Festival (março), e estará também no Short Film Corner em Cannes, em maio.


DULCE PONTES NO COLISEU DO PORTO










11 de Outubro

Peregrinar é percorrer um caminho para encontrar algo. Foi o que Dulce Pontes, cantora, instrumentista, compositora, arranjadora, produtora, fez nos últimos 5 anos. Álbum duplo, Peregrinação é o resultado deste caminho, uma viagem interior e emocional sobre a vida em momentos difíceis e menos difíceis. Cantado em português, castelhano, galaico-português e com um tema em inglês, Peregrinação reflecte a vivência da artista, conciliando harmoniosamente diferentes autores e estilos musicais. M/6

RICARDO RIBEIRO EM DIGRESSÃO NA EUROPA














Dias depois de ter visto o seu mais recente álbum ser editado no Reino, Ricardo Ribeiro inicia hoje em França (país onde o seu disco também se encontra disponível) uma série de espectáculos que nos próximos meses o levará a várias cidades europeias.

O primeiro concerto acontece hoje (22 de Maio) em Le Mans, seguindo-se Londres a 1 de Junho. Nesta digressão Ricardo Ribeiro actuará ainda em Junho em Moscovo e São Petersburgo e no mês seguinte na Noruega, Viena de Áustria e novamente em França. Além das datas fora de portas Ricardo Ribeiro tem ainda algumas datas marcadas para Portugal, como se pode constatar pela agenda de concertos abaixo transcrita.

Desde muito cedo que Ricardo Ribeiro chamou a atenção de todos quanto o ouviam. Em 2008 é descrito pela prestigiada revista britânica Songlines como “The Rising Star of Fado”. Dois anos depois, com a edição de “Porta do Coração” (o segundo registo do artista que havia editado em 2004 o disco de estreia homónimo) é aclamado pela crítica e pelos seus pares como uma das maiores vozes do seu tempo. Em Outubro de 2013 edita “Largo da Memória” : “..um disco fundamental. Ficará na História”, escreve Miguel Esteves Cardoso no jornal Público. “A voz de Ricardo não se esquece. Ouvida uma vez, recordada sempre” escreve Alexandra Carita no Expresso. Os elogios repetem-se na imprensa dentro e fora de portas. A mesma Songlines que em 2008 antevia um percurso brilhante para Ricardo Ribeiro nomeia-o na categoria de “Melhor Artista” na edição de 2015 dos seus prémios de música.

Em 2016, mais precisamente a 1 de Abril, edita o seu novo álbum “Hoje é assim, amanhã não sei”. As reacções da crítica não podia ser mais entusiasta – recebe a cotação máxima (5 estrelas) no jornal Expresso, 4 estrelas no Ipsílon, na revista Blitz, na revista Time Out e na revista britânica Songlines, a qual nomeia ainda Ricardo Ribeiro como a melhor voz masculina do Fado da sua geração.

Próximos concertos:

22 de maio | Le Mans | França
1 de junho | Kings Place | Londres | Reino Unido
6 de junho | Moscovo | Rússia
7 de junho | São Petersburgo | Rússia
17 de junho | Local a anunciar | Portugal
30 de junho | Centro Cultural e Congressos Caldas da Rainha 
5 de julho | Førde Festival | Noruega
6 de julho | Førde Festival | Noruega
12 de julho | Local a anunciar | Portugal
14 de julho |Theater am Spittelberg | Viena de Aústria
16 de julho | CookSound Festival | Forcalquier | França
23 de julho | Local a anunciar | Portugal 
14 de agosto | Local a anunciar | Portugal
15 de setembro | Cine Teatro António Lamoso | Santa Maria da Feira | Portugal
26 de outubro | “Carta Branca” | CCB | Lisboa
24 de novembro | Cine Teatro São Pedro |Abrantes | Portugal 

CAPTAIN BOY AO VIVO















Depois do Cine Teatro António Lamoso em Santa Maria da Feira e de uma passagem por Amarante, no Festival Confluências, Captain Boy regressa hoje a Guimarães. O Artista vai estar no evento Guimarães no Ponto pelas 21h30 para apresentar o seu novo disco "1" editado em Janeiro com o selo digital da Moon Records.

O porto seguinte será nos Banhos Velhos nas Caldas das Taipas, no dia 27 de Maio, onde Captain Boy tocará no mesmo palco que Minta & The Brook Trout.

Captain Boy continua em tour de apresentação do seu primeiro trabalho de longa duração, a primeira viagem do cantautor, a que deu o nome de “1”. Um álbum sobre fragilidades que começa no número um da capa escrito numa placa de ishihara, que Captain Boy não lê porque é daltónico, e que termina quando chegamos a casa, na última música.

Próximos espectáculos:
22 Maio | Guimarães no Ponto | Guimarães
27 Maio | Banhos Velhos | Caldas das Taipas
30 Junho | Concerto Solidário | Braga
1 Julho | 2º Festival dos adeptos do Desportivo das Aves 1930 | Vila das Aves
13 Agosto | Festival Bons Sons | Cem Soldos
 

JOANA RIOS NA CASA DA MÚSICA















Joana Rios pisará o palco da Casa da Música no Porto, dia 27 de Maio às 21h30. A acompanhá-la vão estar os músicos Luis Coelho na guitarra portuguesa e Pedro Pinhal na viola de fado.

http://www.casadamusica.com/pt/agenda/2017/05/27-maio-2017-joana-rios/46766/?lang=pt#tab=0

Joana Rios nasceu em Lisboa na freguesia do Campo Grande e desde muito cedo demonstrou um grande interesse pela música; começou por estudar piano com 9 anos mas a sua paixão foi sempre o canto e por influência familiar teve oportunidade de ouvir desde tenra idade cantoras como Amália Rodrigues, Elis Regina, Ella Fitzgerald ou Maria Callas.

Talvez estas influências tão diversas quanto importantes tenham sido decisivas para o seu percurso musical que foi também ele diverso e que se iniciou aos 16 anos como vocalista de uma banda de standards de Jazz e Bossa Nova. Aos 19 anos teve o seu primeiro encontro com o Fado, momento que foi proporcionado por Fernando Maurício e que viria a deixar-lhe uma marca indelével com efeitos na sua carreira anos mais tarde.

Joana Rios estudou na Academia de Amadores de Música e no Conservatório Nacional, ingressando posteriormente na escola de Jazz Luís Villas-Boas; aos 19 anos iniciou o curso de Ciências Musicais na Universidade Nova, curso esse interrompido por motivos profissionais e que viria a terminar anos mais tarde.

Em 2005 Joana Rios edita o seu primeiro disco em nome próprio, disco esse que resultou de uma série de concertos nos quais a cantora fez uma homenagem a uma das suas grandes influências - Ella Fitzgerald; o facto deste disco ter esgotado a sua edição de 2000 cópias, fez com que Joana Rios se lançasse artisticamente, no entanto, os discos que lhe seguiram - Universos Paralelos (2007) e 3Desejos (2011) - já apontavam para um universo musical bastante distinto desse disco de estreia, sendo estes cantados em português contendo maioritariamente música original composta por Joana Rios.

Em 2013 deu-se o encontro entre Joana Rios e o mestre da guitarra portuguesa António Parreira, encontro que reavivou uma memória perdida duma relação antiga de Joana Rios com o Fado. Foi o despertar dessa memória, da importância da palavra e da interpretação do fadista que deram origem a uma dedicação intensa e total nos últimos anos, do qual o seu disco de estreia como fadista “Fado de cada um” editado a 24 de Junho de 2016 é testemunho.

Ao longo da sua carreira Joana Rios teve oportunidade de cantar nos mais importantes palcos nacionais, pontuada com actuações fora do país.

Com os concertos “Fado de cada um”, que têm acontecido um pouco por todo o país, em Junho, Joana Rios vai estar na Dinamarca.

Próximas datas:

2 e 3 Junho - Smaeran Torshavn
5 Junho - Posthus- Teatret Copenhaga
26 de Junho - Pateo Alfacinha – lisboa

EVOLS COM NOVO SINGLE











Father Death é o nome do novo single dos Evols que antecipa o terceiro disco do colectivo de Vila do Conde. O tema parte do poema de Allen Ginsberg "Father Death Blues", aqui reinventado pelo balanço entre a secção rítmica com poderes ilimitados e o renovado culto pelas guitarras, herdeiras profanas da música psicadélica.

Composto, gravado e misturado pela própria banda, Father Death contou com a masterização de Joe Lambert e apresenta-se em vídeo pelo olhar de Carlos Lobo. O disco novo chegará ao mercado no segundo semestre de 2017, mas até lá vão ser várias as oportunidades de ver o quinteto ao vivo. A primeira é já em Junho, em mais uma edição do NOS Primavera Sound, no Porto.

A morte é a única certeza que existe. Quem somos, de onde vimos, para onde vamos, todas essas questões são respondidas de formas distintas por todos os povos do mundo. Mas em todos eles está presente essa ideia de morte – apenas morte, se início ou finalidade, depois se decidirá. No seu novo single, os Evols cantam-na sem essa decisão tomada, e cantam-na não de forma melancólica, mas com a paz de espírito da certeza. As guitarras rangem em fuzz e anunciam o verão por vir, o ritmo faz-se e quer-se suave, com finas camada de areia melódica por onde tudo o resto caminha. Não parem para pensar na morte; limitem-se a viver a vida.

Formados em 2008 por França Gomes, Carlos Lobo e Vítor Santos, os Evols editaram dois álbuns, "I" e "II", o primeiro ainda na formação original. O segundo, em 2015, já com Jorge Queijo (Torto / Os Príncipes / Ensemble Gamelão) e Rafael Ferreira(Glockenwise).

O currículo da banda inclui também colaboração com o artistas visuais, como Pedro Maia (p.ma), bem como a construção de bandas sonoras para os filmes do realizador experimental norte-americano Robert Todd.
 

TAIS QUAIS EM PALCO
















10 agosto | Portugal
13 agosto | Portugal

O Alentejo ocupa a grande espaço do reportório deste grupo formado por João Gil, Vitorino, Tim, Vicente Palma, Celina da Piedade, Paulo Ribeiro e Sebastião. As violas, o acordeão, a percussão, quem sabe uma viola campaniça e um coro de arrepiar. Mas, pelo meio, há também Jorge Serafim, conhecido contador de histórias, que aqui aparece como o anfitrião de um lugar ficcional chamado A Venda do Isaías, e que partilha as suas pérolas de sabedoria desfiando histórias, anedotas, contos populares.

A música não é apenas a música, neste caso. Fala por toda uma região. E, por isso, não começa ao primeiro acorde e não termina com os aplausos, não vive na prisão dessas regras ditadas pelos palcos. Vive destas trocas espontâneas, que é lançada por um e agarrada pelos restantes, mas que pode ser atravessada por um relato que Isaías/Serafim vai buscar ao baú da sua sabedoria popular. Seguem-se umas às outras, músicas e histórias, da mesma maneira que a mesa parece estar sempre repleta.

Os Tais Quais prometem espalhar a sua música pelo país. E fazer novos amigos pelo caminho. Eles que se juntem. A mesa está posta.

SAM ALONE & THE GRAVEDIGGERS AO VIVO














27 maio | Festa da Espiga | Salir, Portugal
01 julho | 1st Mission Ready Festival | Würzburg, Alemanha
02 julho | Suiça
04 julho | Rock for the People | Hradec Králové, República Checa
05 julho | Alemanha
06 julho | Alemanha
07 julho | Itália
08 julho | Alemanha
28 julho | Portugal
29 julho | Espanha
10 agosto | Festival Sol da Caparica | Almada, Portugal
12 agosto | Tells Bells | Villmar, Alemanha
14 agosto | Áustria
19 agosto | Alemanha
03 setembro | Portugal

A música para Poli Correia (Sam Alone) é uma forma de contar histórias sinceras sobre pessoas comuns com que todos nos podemos relacionar. Sobre o crescimento, lutas quotidianas e heróis do dia-a-dia.

Sam Alone está armado com a sua “Working Class Rifle“, uma velha guitarra áspera, e acompanhado pelos Gravediggers, um grupo de pessoas com pensamento similar e que partilham a mesma visão de tocar música orgânica, música para o povo.

Com um enraizamento na folk americana e nas canções de protesto clássicas, trazem uma abordagem fresca e contemporânea. O cantor e guitarrista, que foi nomeado como a personalidade a ter em conta na música em 2016 pelo Notícias Magazine, não é novato no mundo da música internacional. Ele e o guitarrista Pedro Matos costumam tocar pelo mundo com a banda de hardcore Devil In Me. Em Sam Alone, a mensagem é: manter uma atitude positiva, enquanto se lida com a frustração das injustiças sociais, lutando para que o mundo se torne num lugar melhor. A estrada, amigos e família são algumas das principais influências da banda de cinco músicos.

RESISTÊNCIA NA ESTRADA














10 junho | Toronto, Canadá
01 julho | Portugal
20 julho | Portugal
22 julho | Festas da Madalena, Ilha do Pico | Portugal
28 julho | Portugal
26 agosto | Tróia Summer Fest | Portugal
28 agosto | Portugal
13 outubro | Meo Arena | Lisboa, Portugal
14 outubro | Multiusos de Guimarães, Portugal

Resistência é sinónimo de história, de orgulho e de grandes canções. Este colectivo por onde passaram e continuam a passar alguns dos maiores nomes da música portuguesa das últimas décadas prepara-se para assinalar o importante marco de 25 anos de história com dois grandes concertos onde passarão em revista o seu legado levando consigo até ao palco alguns convidados especiais e amigos que prolongarão no presente uma viagem feita de entrega à nossa língua e às nossas canções.

O colectivo formado por Alexandre Frazão (bateria), Fernando Cunha (voz e guitarra 12 cordas) Fernando Judíce (baixo), José Salgueiro (percussões), Mario Delgado (guitarra), Miguel Ângelo (voz), Pedro Joia (guitarra clássica), Olavo Bilac (voz) e Tim (voz e guitarra) voltarão aos palcos para, como escreveu Pedro Ayres no texto que acompanhava a edição do DVD com o registo do concerto do álbum Horizonte, de 2015, voltar a fazer “a apologia da canção de autores portugueses da música eléctrica e dos concertos cantados pela comunidade do público”.

Só assim, aliás, faz sentido celebrar.

PATRICIA CARDOSO EM BRUTO














Foi há cerca de um ano que começou o lento mas consistente despertar de Patrícia Candoso para a reactivação do seu percurso musical.

O tiro de partida foi dado ao som de “Ready For It”, pop electrónica que atestava o amadurecimento da sua intérprete, e o ano não acabaria sem o anúncio de um 2º single, “Só Sei Que Nada Sei”. Com a aurora de 2017 chegou, por fim, “Frenética”, o terceiro álbum de estúdio de Patrícia, editado com o selo da Music In My Soul.

Depois de algumas apresentações ao vivo, é agora tempo de conhecermos “Em Bruto”, balada-âncora que serve de 3º single do registo e que, à semelhança do restante álbum foi produzido por Mikkel Solnado. O tema chega-nos ilustrado por um vídeo com realização de Luciano Sazo.

“Frenética” já se encontra disponível em edição digital, em plataformas como o iTunes, MEO Music, Spotify ou Google Play e em edição física nos locais habituais.
Patrícia Candoso, cantora e atriz de 34 anos, é licenciada em Ciências da Comunicação e fez formação de música e teatro.

A sua carreira começou ao interpretar “Catarina” na telenovela da TVI, “Sonhos Traídos”, em 2001. Depois disso integrou a primeira temporada da famosa série juvenil “Morangos com Açúcar”, onde começou a cantar, tendo acabado por lançar dois álbuns – “O Outro Lado” (2004) e “Só Um Olhar” (2006) - que contêm vários sucessos. A partir daí, Patrícia nunca mais parou e tem trabalhado continuamente em televisão, teatro, cinema, publicidade e música.

Apesar do gosto pela área da comunicação e do jornalismo, os convites e o talento têm falado mais alto, e foi este o rumo que Patrícia escolheu dar à sua vida. “Mundo Meu”, “Casos da Vida”, “Um Lugar Para Viver” e “Louco Amor” são exemplos de projetos que marcaram o seu percurso.

Atualmente concentra as suas forças no regresso à música, tendo produzido “Frenética”, o seu terceiro álbum de estúdio, na companhia do cantor, compositor e produtor Mikkel Solnado, lançado na aurora de 2017 com o selo da Music In My Soul.

DIOGO DIVAGAÇÕES - "PORCELANA"

DESTAQUES DA SEMANA

SANTO NO ALTAR
FATHER DEATH - Evols
(novo disco no segundo semestre de 2017 )

Para ouvir todos os dias desta semana


DISCO RECORDAÇÃO

THE GOOD & THE MEAN - Tape Junk

(2013, Optimus discos)

Para ouvir um tema diferente todos os dias desta semana