terça-feira, 18 de setembro de 2018

PROGRAMA DE 18/09/18

1 - Diabo na Cruz - Roque da casa
2 - Fogo Fogo - Oh minina
3 - Cate - Pride away
4 - Mur Mur - Lisboa
5 - Tara Perdida - Nada me vai parar
6 - Huggs - Find out
7 - That Rebellion - Scream my name
8 - Mundo Cão - As mulheres que muito amamos sem regresso nem lamento
9 - Governo - Nome de ninguém
10 - Grand Sun - Go home
11 - The CityZens - Sigue
12 - Gypos - 3 sundays in a week
13 - Joana Espadinha - Pensa bem
14 - Sequoia Guzman - Beira mar
15 - Best Youth - Nightfalls

JOANA ESPADINHA EM OVAR

DITCH DAYS AO VIVO

CAPTAIN BOY EM PALCO















Depois de, em Agosto, ter passado pelo Porto, Póvoa de Varzim e Santa Cruz, a viagem de Captain Boy continua. O próximo destino será Barcelos, onde o Puto Capitão fará parte do cartaz do Welcome IPCA - IPCAlive, no dia 20 de Setembro, evento que assinala a recepção aos caloiros.

Nos primeiros dias de Outubro Captain Boy navega até ao Braga Music Week, onde marcará presença no dia 3. A viagem segue depois para os Percursos Sonoros, no dia 6, onde o Puto da voz rouca e a sua guitarra podem ser vistos na Estação de Comboios da Linha do Vouga, em Oliveira de Azeméis.
No dia 8 de Novembro o Puto Capitão tem ainda viagem marcada para a Fábrica das Ideias, na Gafanha da Nazaré, no âmbito do Outonalidades. Na bagagem Captain Boy leva o seu primeiro disco "1" e alguns temas novos.

OUTONALIDADES








Calendário de concertos:
dorfeu.pt/outonalidades

Mais de 20 grupos e cerca de 40 concertos estão confirmados à data de arranque da 22ª edição do OuTonalidades, cuja abertura será já a 21 de setembro, com Moonshiners no Centro de Artes de Águeda. Percorrendo todo o outono, o circuito português de música ao vivo prosseguirá com concertos em diversos pontos do país e várias extensões ibéricas.

A abertura do OuTonalidades 2018 é na sexta-feira, 21 de setembro, com Moonshiners a pisar o palco do CAA – Centro de Artes de Águeda. Por lá, vai também passar o espanhol Pau Figueres, a 2 de novembro. Águeda recebe ainda os galegos Talabarte, a 16 de novembro, no Espaço d’Orfeu. Mas o OuTonalidades 2018 estende-se também a Albergaria-a-Velha, Sever do Vouga, Viseu, Ílhavo, Oliveira do Bairro, Estarreja, Santa Maria da Feira e Tavira. Em Espanha, as extensões internacionais do circuito passam por Vic, Manresa, Zamora, Salamanca e Plasencia.

Benjamim, Birds Are Indie, Ela Vaz, Gobi Bear, JP Simões, L Mantra, Lavoisier, Lince, Luiz Caracol, Pedro Mestre, Uxía & João Gentil e Vaarwell, além de grupos espanhóis, em resultado das alianças internacionais.

Este ano, pela primeira vez, o OuTonalidades terá uma temporada extra, que prolongará o circuito até à primavera, aumentando a duração do circuito e as oportunidades de circulação dos grupos participantes. O calendário de concertos permanece aberto a novas confirmações, tendo em conta não só o outono como a temporada extra, até março de 2019.

O circuito é coordenado pela d’Orfeu AC em colaboração direta com inúmeros parceiros (Municípios, Teatros, Associações), na consolidação de uma grande rede de programação que junta grupos emergentes e reconhecidos, todos de inegável qualidade.

Vive o outono com o melhor da música ao vivo!

dorfeu.pt/outonalidades
facebook.com/outonalidades

NOVO CLIP DE TARA PERDIDA














Três anos após a edição do disco mais marcante da sua carreira (Luto), de homenagem ao grande João Ribas, o emblemático vocalista de sempre, os Tara Perdida estão de volta. "Nada me Vai Parar" é o novo single da banda lisboeta e é o primeiro tema do álbum "Reza" com saída prevista para Janeiro de 2019.

Depois da tempestade o sol voltou a brilhar no céu dos Tara Perdida e com uma energia renovada e a ambição que sempre os caracterizou entram no novo ciclo iniciando a viagem no Novo Mundo. "Nada Me Vai Parar" é a música escolhida para demonstrar precisamente o novo estado de espírito da banda.
 

NO CARMO 81

DISCO DE ALINE FRAZÃO CHEGA SEXTA




















A cantora e compositora angolana Aline Frazão edita o seu quarto álbum de originais, "Dentro da Chuva", no próximo dia 21 de Setembro, em CD e nas plataformas digitais.
 
Aline Frazão apresenta os novos temas na Fnac Chiado, um showcase de entrada livre agendado para 21 de Setembro (Sexta-feira, 18h30) - link para evento 

Composto por 11 temas que cruzam geografias, a gravação deste trabalho decorreu no início do ano no Rio de Janeiro, uma cidade de significativas influências e cumplicidades musicais.

De registar a participação do violoncelista Jaques Morelenbaum, a cantora e compositora baiana Luedji Luna e o músico português João Pires (dos Cordel), com quem Aline partilha a autoria de uma das canções. O percussionista Zero Telles e o músico Gabriel Muzak que, além de ter gravado e misturado o álbum, participa como guitarrista numa das músicas e co-produz outras duas, fecham a lista de participações especiais.

Aline Frazão tem estado a partilhar no seu Youtube uma série que regista o making of de "Dentro da Chuva". (LINK)

PORTUGAL ALIVE EM ESPANHA














Artistas portugueses vão apresentar concertos em Madrid e Barcelona num programa anual apoiado pelo Cultura Portugal em Espanha. Capicua, Best Youth, Bruno Pernadas e Surma são as escolhas para a edição deste ano do Portugal Alive, festival que leva a arte sonora portuguesa ao público espanhol.
Pelo quinto ano consecutivo, a melhor música portuguesa da atualidade parte à conquista do país vizinho. Durante dois dias, a 21 e 22 de setembro, o festival Portugal Alive leva até às cidades de Madrid e Barcelona, respetivamente, as músicas de Capicua, Best Youth, Bruno Pernadas e Surma. O festival tem por objetivo a promoção da cultura portuguesa contemporânea junto do público espanhol e ainda a aproximação à comunidade portuguesa residente em Espanha. A entrada é gratuita
para todos os concertos.
Portugal Alive: uma história de sucesso Após quatro edições de sucesso, o festival Portugal Alive conta já com trabalho reconhecido na dinamização da música portuguesa, levando concertos de alguns dos nomes mais respeitados da atualidade da música portuguesa a terras de Espanha. Em
2014, ano de estreia do festival, Dead Combo e B Fachada abriram as hostes para a conquista sonora portuguesa. Seguiram-se Noiserv, Capicua e Linda Martini em 2015, peixe:avião, Da Chick e X-Wife em 2016 e, no último ano, Gala Drop, Sensible Soccers e Pega Monstro. O festival tem-se apresentando sempre em duas cidades espanholas, Madrid e Barcelona, proporcionando uma dupla oportunidade a artistas portugueses para se darem a conhecer ao público português e espanhol. O festival Portugal Alive é uma iniciativa do Consulado-Geral de Portugal em Espanha, que agora faz parte do Cultura Portugal em Espanha.

Lisboa é cidade convidada no Barcelona Áccio Musical (BAM) Capicua, Bruno Pernadas e Surma são os artistas portugueses que o Portugal Alive levará à edição de 2018 do Barcelona Áccio Musical (BAM). Com mais de duas décadas de existência, o festival catalão de referência internacional na descoberta de novos talentos na área da música eletrónica, pop, rock e pop, conta este ano com a capital portuguesa como cidade convidada. A 22 de setembro, na Plaça Joan Coromines,
ouvir-se-ão alguns dos artistas mais relevantes da música portuguesa dos últimos anos. Pongo, Real Combo Lisbonense e Throes + The Shine integram também a armada lusa, estes três nomes a convite do festival BAM.

Música portuguesa cada vez mais internacional A internacionalização da nova música portuguesa, composta por diversos géneros e estéticas que não unicamente o Fado, tem sido cada vez mais falada dentro e fora de portas, com artistas portugueses a serem foco de atenção da imprensa e de promotores internacionais. EM 2017, Portugal foi o país de destaque no festival Eurosonic Noorderslag, em Groningen, na Holanda, onde duas dezenas de artistas e grupos portugueses integraram uma plataforma de divulgação da música europeia, com concertos, conferências e encontros entre agentes da indústria musical de todo o mundo. Também o WOMEX, a maior plataforma mundial na divulgação das músicas do Mundo, tem prestado atenções a Portugal, tendo apresentado concertos de Gisela João e Throes + The Shine, entre outros artistas portugueses. A edição deste ano confirmou o Já no norte-americano South By Southwest (SXSW), também uma das
maiores feiras de música do mundo contou já com diversos nomes portugueses. EM 2018, Surma, Da Chick e Holly ocuparam um lugar de destaque no festival que decorre no estado do Texas.

PROGRAMA PORTUGAL ALIVE 2018
Madrid, Palácio de La Prensa – 21 de setembro
com Best Youth, Bruno Pernadas e Surma
Barcelona, Plaça Jon Coromines – 22 de setembro
com Capicua, Bruno Pernadas e Surma

EDIÇÕES PORTUGAL ALIVE
2017: Gala Drop, Sensible Soccers, Pega Monstro
2016: peixe:avião, Da Chick, X-Wife
2015: Noiserv, Capicua, Linda Martini
2014: Dead Combo e B Fachada

segunda-feira, 17 de setembro de 2018

PROGRAMA DE 17/09/18

1 - Henrique Amoroso - A marcha dos idiotas
2 - Hélder Bruno - Anjo
3 - Beatriz Nunes - Rio sem margem
4 - Aníbal - Hoje no parque
5 - Luís Pucarinho - Beatriz e João
6 - Paulo Bragança - Peregrino
7 - Três Bairros - Conta-me histórias
8 - Mundo Cão - As mulheres que muito amamos sem regresso nem lamento
9 - Governo - Propaganda sentimental
10 - Frankie Chavez - Strong enough to pray
11 - Brass Wires Orchestra - Sitting in the wrong church
12 - Volcano Skin - Dead flowers
13 - Basset Hounds - Sif

MARCO FRANCO AO VIVO










CONCERTO + EXPOSIÇÃO
MARCO FRANCO
QUARTA-FEIRA, 19-09-2018
19H00 - JARDIM DO GOETHE-INSTITUT LISBOA
PREÇO: 5€

No dia 19 de setembro, pelas 19h00, o músico Marco Franco dará um concerto de apresentação do álbum Mudra no jardim do Goethe-Institut. Editado em 2017 pela editora independente Revolve, este disco dá a conhecer uma nova faceta do baterista, com composições para piano solo. Outro talento do multifacetado músico é a pintura. Em estreia neste evento serão também exibidas algumas obras de Marco Franco, que têm uma estreita ligação à sua música.

Nascido em Lisboa em 1972, Marco Franco inicia a sua atividade profissional como músico ocupando a bateria em diversas bandas durante os anos 1980. Durante as décadas seguintes, torna-se um elemento importante não só na improvisação nacional e na pop experimental, mas também como criador de inúmeros projetos para diversas áreas artísticas, escrevendo música e fazendo direção musical para peças de teatro e dança, cinema, vídeo e filmes de animação. Ao longo dos últimos anos, Marco Franco subiu ao palco do Jazz im Goethe-Garten com vários projetos como Mikado Lab, Tim Tim por Tim Tum ou o trio The Attic, na edição de 2018. Depois de uma carreira recheada onde a bateria teve sempre o principal papel na sua interpretação e composição, em 2017 Marco Franco editou Mudra, um álbum para piano solo, estreando-se em absoluto neste seu novo instrumento. Grande parte da música que se encontra neste álbum foi composta no Goethe-Institut em Lisboa, onde o músico praticou piano longe dos olhares do público.

Sobre a exposição
Os desenhos, expostos pelo músico, compreendem um conjunto de registos gráficos, feitos de modo compulsivo, quase caligráfico, e estimulam o visitante a várias reflexões, sobre os mais nobres e antigos temas da música - a saber entre eles, a representatividade da natureza. Nestes desenhos, Marco Franco cria registos gráficos, seriados, dentro de um carácter métrico e mecânico, que evidenciam a realidade sensível do músico, habituado à ordem compassiva da notação musical.


Mais informações:

NO SALÃO BRAZIL












22 set, 22h00
GYPOS + Iguana Garcia

 Os GYPOS são um quarteto rock, com raízes nas cidades de Coimbra, Leicester e Lisboa.

 Têm rodado o seu primeiro EP "Love to hate, Hate to love" em vários palcos, deixando ótimas impressões.
A forte ligação a Coimbra de vários dos elementos deixa-nos certos de que será um concerto daqueles, para dançar e suar no Salão...

IGUANA GARCIA é um projeto de fusão musical, onde loops de guitarra e sintetizador são condensados por beats eletrónicos e percussões ambientes.

 Projeto iniciado em 2016, os primeiros concertos de Iguana Garcia existiram pela vontade de mostrar a arte da construção da música pop de dança, na sua forma mais psicadélica, conceptual e até um pouco cinematográfica.

 Em setembro de 2017, saiu o seu primeiro disco, “Cabaret Aleatório”, que está pronto a ser apresentado nos locais mais e menos aleatórios.
Bilhete: 6€/ BOL: 5€

BRUNO ENRIQUE EDITA EP DE ESTREIA






 













De Bruno Enrique já conhecemos o single de estreia “Não Quero Saber”, tema em que revelou o seu lado mais emotivo e sensível, deixando o público nacional curioso e desejoso por mais.

Agora, o cantor e compositor traz-nos uma faceta mais ousada e dinâmica em “Your Body In Mine”. Com uma sonoridade que emana Pop pura, este segundo single promete ser definitivamente transformador e agitar as pistas de dança nacionais. Integrado no seu EP de estreia “Momentos”, que terá lançamento no decorrer de setembro, este single conta com o apoio da Music For All.

Enrique. Ou melhor: Bruno Enrique. É por este nome que todos o conhecem. Ao longo dos últimos anos habituámo-nos ao seu talento e não é por acaso. É fruto de um longo período em Londres, Inglaterra, cidade onde vive desde 2006. Por lá desenvolve a carreira de ator e cantor, tendo enriquecido o currículo com inúmeras experiências extramente valorosas.

Mas para perceber como chegamos até aqui, é preciso voltar atrás e viajar no tempo. Assim regressamos até aos seus cinco anos de idade, altura em que iniciou as aulas de piano. Esse período fez nascer uma paixão pela música, e uma vontade de se expressar criativamente, que até então desconhecia por completo.

Mais tarde passaria do piano para a guitarra, numa travessia que apenas lhe forneceu ainda mais ferramentas para brilhar. Por volta desta altura, com 15 anos de idade, Bruno começa também a desenvolver uma outra vertente: a de compositor. Assim nasceriam as primeiras letras e temas em português, língua sua e de todos nós, compatriotas.
 
Mas a ligação às artes não ficaria por aqui. Estávamos em 2003 quando Bruno daria um passo inesperado: a aposta na carreira de ator. Este passo, que tem tanto de inesperado quanto de bem-sucedido, levou-o até à série televisiva “Morangos com Açúcar, sucesso inesquecível da televisão nacional.

Alavancado neste passo Bruno ruma então ao estrangeiro, em direção à cidade que hoje considera um pouco como “sua” - Londres. Ao longo dos anos participou em programas/séries como “Guilt” e “Made in Chelsea”, conquistando apreciável destaque e uma boa dose de elogios.

Em 2018 ressurge, na área da música, mostrando ao mundo composições da sua autoria através do selo da Music For All. “Não Quero Saber” foi a primeira amostra do seu EP de estreia “Momentos”. Agora, Bruno Enrique revela o seu segundo single “Your Body In Mine” e promete não deixar ninguém indiferente à música que congrega em si uma alma própria.

SEGUNDO SINGLE DE FREDERICO BC




















Ponto Final
Single já à venda digitalmente
https://ampl.ink/Wjl2d

Ponto Final é o segundo single do novo disco de Frederico BC.

 A forte parceria entre Frederico BC e João Só continua a dar frutos. João Só construiu a música sobre as linhas e a pontuação relatada por Frederico BC e ambos abriram um novo capitulo com este Ponto Final.

Através do fascínio da pontuação, os autores procuram seduzir corações sem aspas, parênteses ou virgulas, evidenciando que muitas vezes precisamos de um ponto final para que a possamos conduzir a vida sem reticências.
Depois do Single “Do Outro lado da Rua”, lançado em Julho de 2018, “Ponto Final” é o segundo single de um álbum com edição agendada para 12 de Outubro de 2018 e com concerto de apresentação ao publico marcado para o dia 10 de Novembro 2018 no Cineteatro Capitólio em Lisboa.
 
Um álbum produzido entre Lisboa e a Califórnia por Lino Guerreiro e Valter Rolo, onde estes, juntamente com Frederico BC, convidaram mais de 40 músicos para a sua composição, criando assim um disco invulgar nos dias de hoje em Portugal. Vicky Marques, Ricardo Toscano, Paulo Ramos, Mário Delgado, Nelson Carvalho, Tó Cruz, uma orquestra de cordas e sopros e ainda o vencedor de 2 Grammys Vlado Meller, são só alguns dos nomes da imensa lista de convidados.


HUGGS ARRANCAM TOUR DE APRESENTAÇÃO DE “DID I CUT THESE TOO SHORT?”

Se “Take My Hand” e “Cocaine” serviram para apresentar os Huggs ao mundo, “Find Out”, o novo single da banda lisboeta, acompanha o lançamento do seu EP de estreia ‘Did I Cut These Too Short?’ e revela-nos ainda mais do imaginário do duo. Depois da balada garage rock que é “Take My Hand” e do indie punk acelerado de “Cocaine”, o novo single mostra-nos os Huggs a tocar de forma mais descomprometida e, pela primeira vez, a cantar sobre alguém que não eles próprios.
 
“Her clothes were dripping blood and she was laying on the floor” marca o tom para todo o EP, que tem tanto de sombrio e surreal como de alegre e introspectivo — contraste presente ao longo de todo o disco, desde as letras à sonoridade da banda.

O videoclip ficou novamente a cargo do Manuel Casanova, que já trabalhou com a banda nos dois singles anteriores, e desvenda-nos mais de uma das personagens de “Take My Hand”, que assume desta vez o papel principal.

Simultaneamente inspirados pela energia crua e indisciplinada do panorama underground britânico e pelas baladas românticas típicas dos anos 50 e 60, os Huggs nascem do contraste entre as melodias contagiantes do Duarte Queiroz na guitarra e voz e a irreverência punk e bateria pesada do Jantonio, quando os dois se conhecem por acaso num projecto de faculdade.

Ao vivo, apresentam-se como um power trio, contando para isso com a ajuda do Guilherme Correia (Ditch Days) que, depois de assistir a um ensaio, não só se encarregou do baixo como ajudou a produzir e completar as primeiras canções da banda. Desta forma, os Huggs imediatamente nos transportam para uma atmosfera tão suja, fria e insensível - impossível não lembrar a tão aclamada série Shameless - quanto quente e apaixonante.

Dia 21 de Setembro é editado ‘Did I Cut These Too Short?’, gravado no verão de 2017 por Gonçalo Formiga (Cave Story) no seu estúdio nas Caldas da Rainha. Uma edição Cão da Garagem que faz dos Huggs uma das mais promissoras bandas portuguesas de garage rock e indie da actualidade.

TOUR:


20 de Setembro/ Musicbox, Lisboa
21 de Setembro/ Maus Hábitos, Porto
6 de Outubro/ Mucho Flow, Guimarães
25 de Outubro/ Lounge, Lisboa
15 de Novembro/ Teatrão, Coimbra
17 de Novembro/ Black Bass, Évora- 30 de Novembro/ Quinta das Beatas, Portalegre

domingo, 16 de setembro de 2018

CATE EDITA PRIMEIRO SINGLE




















Facebook - @catemusicofficial
Instagram - @freespiritecate_music

Cate adora cantar desde que se conhece, o seu pai, célebre dj profissional da cidade do Porto, foi a sua maior influencia na música, incentivando-a a ouvir diferentes estilos musicais, do rock ao funk, passando pela electrónica, o blues ou a soul. As influências do Hip hop e o R´n´B e de nomes como 2Pac, Alliyah, Jill Scott, Destiny's Child, Beyoncé, Jhene Aiko ou Drake estão claramente presentes na música que faz, hands on do principio ao fim, quer na escolha dos instrumentais, quer na autoria das letras.


Pride Away é o primeiro single de CATE e é o resultado da sua primeira entrega à música, o passaporte para uma viagem que sempre quis fazer. É uma música que se foca nas inseguranças e nos medos que nos assolam, mas também nos novos começos como um novo amor, um novo projecto e a certeza de que todos os novos começos precisam de coragem e entrega.

O instrumental, produzido por JustJon, de sonoridades vibrantes apelam à celebração, porque as músicas de amor não precisam de ser tristes ou melancólicas. Ao arriscar, a vida ganha mais ritmo e felicidade.

Os visuals deste primeiro projecto, refletem todas as suas facetas pessoais: as raízes africanas, a consequente paixão por África, pelas viagens e o seu amor às pessoas.
 

sábado, 15 de setembro de 2018

NOVO DISCO DE TRIO PAGÚ












Amor" é pensado no amor em todas as formas, feitios, cores, raças ou coisas em que nos apegamos. No groove pulsa sempre a batida da bossa nova.

Com temas de Alex Liberalli e Budda Guedes , este trabalho conta com as participações especiais dos músicos , Edú Miranda (Brasil), Mirri Lobo (Cabo Verde), e os portugueses Nico Guedes, Juan Pestana e Firmino Neiva.

"Amor" já se encontra disponível para streaming.

Gravado Misturado e produzido por Budda Guedes nos Estúdios da Mobydick Records.
Masterizado por Frederico Cristiano nos Estúdios da Mechanical Heart Mastering Sessions.
Fotos de Tiago Xavier.
Artwork de Nico Guedes.

 

Máquina del Amor​ - Oficina Municipal do Teatro (Teatrão​) em Coimbra - 14/09/18














São de Braga os Máquina del Amor.
Por ali passa gente dos Peixe:Avião e Smix Smox Smux.
Misturam muito bem o rock e a eletrónica.
Criam um som hipnótico à conta dos loops e de uma bateria minimalista.
Fazem-nos muitas vezes viajar à Alemanha dos anos 70. Krautrock!
Experimentam. Não se ficam  só por outras épocas. Modernizam.
Concerto continuo. Sem tempo para respirar.
Foi intenso e valeu pela diferença músical.
A não perder o próximo!














Texto & Fotos Nuno Ávila

sexta-feira, 14 de setembro de 2018

NOVO DISCO DE JÚLIO RESENDE A 5 DE OUTUBRO




















CONCERTOS DE APRESENTAÇÃO:

02| NOVEMBRO – Teatro Tivoli
13 | NOVEMBRO – Casa da Música

Cinderella Cyborg – o nome do novo disco de Júlio Resende – é uma fantasia de união que demonstra que mesmo quando a vida nos parece madrasta, há uma história de amor que pode surgir em qualquer lugar.

O lançamento do novo disco de Júlio Resende está previsto para o dia 5 de Outubro e a agenda conta já com dois concertos de apresentação.

“LisbonHood” é uma mini loucura. Júlio Resende junta o piano ao rap, ao fado, aos beat e ao amor por se viver em Lisboa. Mas esse amor é dito por um estrangeiro que vive cá e que de facto ama Lisboa. É o rapper Sam Azura, misturado também com a voz e o espírito do fado do Peu Madureira, que canta as palavras do maior poeta lisboeta. É uma música para se ouvir alto e dançar alto, e se tudo correr bem, sentir saudade no final.

SMART LINK: https://JulioResendeLisbonhood.lnk.to/Q0qCjPR

MESES SÓBRIO LANÇAM PRIMEIRO EP














"Folha" é o nome do primeiro trabalho de Meses Sóbrio, uma banda portuguesa que funde rock com elementos de eletrónica e que é uma das grandes apostas para este ano.

 O EP tem data de lançamento marcada para dia 14 de Setembro, ao mesmo tempo que é lançado o single "Rio" e respectivo videoclipe.

 Este é um lançamento apenas digital que tem o selo da Ás de Espadas.

 Os intrumentais de ”Folha” foram gravados nos Groundzero Studios por Charlie Beats. As vozes, produção, mistura e master ficaram a cargo de Vitor Gomes Teixeira nos Estúdios da Ás de Espadas.
Meses Sóbrio são uma banda composta por Manuel Perdigão (guitarra, teclado), João Fernandes (bateria) e Miguel Rosa (voz, guitarra e teclado). Após um longo mas frutuoso período inicial de descoberta musical e definição de identidade, iniciado em 2017, a banda começou a trabalhar no que viriam a ser os temas deste primeiro EP "Folha".

 Com inspiração nas atmosferas viajantes de bandas como os The Doors, Pink Floyd ou Tame Impala, este projecto pretende criar uma sonoridade orgânica e eclética, que abra portas a várias sensações e interpretações.