domingo, 19 de janeiro de 2020

PROGRAMA DE 18/01/20














1 - The Black Wizards - Imoplosing sun
2 - ThE SPiLL - Prety face
3 - Crab Monsters - Naked alive
entrevista Crab Monster
4 - Palmers - Hate you
5 - The Dirty Coal Train - Weird shit
6 - Gator, The Alligator - Yayaya
7 - The Dust - Life in a cup
8 - Três Tristes Tigres - À tona
9 - Osso Vaidoso -  Cola cola song

10 - Solar Corona - Beelive
11 - Cave Story - Speciasl diner
12 - From Atomic - Heaven's bless
13 - Mad Mojo Groove - United fest

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

PROGRAMA DE 17/01/20




















1 - Lavoisier - Coroai-me de espinhos
entrevista Lavoisier (Roberto e Patrícia)
2 - Lavoisier - Viagem
3 - Osso Vaidoso - Poligamia
4 - Três Tristes Tigres - À tona
5 - Susana Travassos - O corpo
6 - Ningue Ningue - Fio
7 - Tomás Adrião - Perdido
8 - Murta - Saudade
9 - Kiko Mori - I don't know
10 - Evaya - Breaking
11 - Alen Tagus - Hush

CORDIS AO VIVO




















No próximo dia 31 de Janeiro o mítico Teatro Académico Gil Vicente, em Coimbra, será palco da apresentação deste novo projecto, fiel às origens e heranças culturais e artísticas do CORDIS - o REFLEXO.

Mas este não será o único palco em que teremos o privilégio de assistir ao piano de Paulo Figueiredo, à guitarra portuguesa de Bruno Costa e aos instrumentos de cordas dos 4 músicos que compõem o Quarteto Arabesco - segue-se Porto, a 16 de Fevereiro na Casa da Música e Lisboa, a 18 de Fevereiro no Teatro Villaret.

De forma a poderem divulgar na vossa Agenda de Eventos, enviamos informação detalhada em anexo e nos seguintes links:

CORDIS website oficial
CORDIS facebook page
CORDIS REFLEXO Video Promo 

Bilheteira:
Lisboa@TicketlineVillaret
Porto@CasadaMusica
Coimbra@BolTAGV

SYRO LANÇA NOVO SINGLE




















SYRO é um artista português de Pop / Alt-Pop, cantor, autor e baterista de 24 anos. Começou no mundo da música aos 12 anos de idade a tocar bateria, decidiu estudar música teórica e prática e mais tarde licenciou-se em Jazz e Música Moderna.

Formou e integrou vários projetos como baterista, qualidades essas que transporta agora para a identidade SYRO e não deixa ninguém indiferente nos seus concertos ao vivo, conquistando pela dinâmica, impacto e qualidade.

É um artista independente e, apesar de se tratar de um projeto relativamente recente, a música de SYRO rapidamente chegou às principais rádios nacionais, integrou a banda sonora de várias telenovelas e programas televisivos portugueses e conquistou títulos de mérito como Artista “Most Wanted” pela MTV.

As suas canções versam acerca de pensamentos introspetivos, de como ele vê o mundo em que vivemos e de que maneira é que neste se insere, refutando a plasticidade da lírica dos dias modernos e sempre à procura da sinergia perfeita entre as influências musicais contemporâneas e inovadoras e produções orgânicas e sentidas.
 
"Perto de Mim” é o novo single de SYRO, jovem artista que tem vindo a desbravar caminhos interessantes desde que lançou o seu aclamado single de estreia “Deixa Passar”.

Nesta nova canção o artista fala sobre Amor, evitando a perspectiva mais banal do tema. Aborda o Amor sob todas as suas formas possíveis, entre namorados, irmãos, pais e filhos, avós e netos, portanto, entre laços de sangue ou entre laços que a vida decidiu unir. Esta canção revela o calor das relações humanas, o apego, o medo de perder e a saudade.
Com data de estreia prevista para 17 de janeiro de 2020, “Perto de Mim” é o pontapé de início de ano para SYRO
 

NOVO SINGLE DE TOMÁS ADRIÃO




















Depois do single “A Vontade” e de meses de trabalho em estúdio, Tomás Adrião dá a conhecer a primeira amostra de um novo ciclo. “Perdido” foi escrito por Tomás Adrião, Tainá, Mikkel Solnado e Moisés Premoli, com produção de SUAVEYOUKNOW, na Great Dane Studios.

Sobre o single, Tomás explica que “esta música é um novo começo. É uma música que ilustra já muito bem o tema geral do meu primeiro disco, tanto em termos sonoros como literários. No seu sentido singular é um tema que fala sobre a minha pressa de viver, de saber quem sou , da procura da liberdade, raiz, e felicidade. Este meu novo single “Perdido” é sobre eu querer tanto, mas não saber onde estou e onde pertenço e de ter a sensação constante de que o tempo é pouco para o tanto que quero ser e fazer. É uma música que retrata esta fase inicial da minha viagem, o indeterminado e a incerteza.”

O vídeo, realizado por YoCliché, mostra um Tomás que passeia descontraído por Lisboa, até se encontrar numa festa onde tudo lhe parece surreal. O final, entre a realidade e a ficção, deixa tudo em aberto para um jovem em busca da felicidade.

2020 começa assim com uma nova aventura para Tomás Adrião.

NUNO RIBEIRO LANÇA HOJE UM NOVO VÍDEO




















Os últimos dois anos têm sido uma aventura incrível na vida e ainda curta carreira de Nuno Ribeiro.

O jovem cantor, compositor, produtor e multi-instrumentista, não tem parado de nos mostrar todo o seu talento, quer através das canções que ele próprio interpreta e incluídas no seu álbum de estreia “Nuno Ribeiro”, como também compondo e ajudando na produção para outros grandes artistas deste país.

Ele tem-se afirmado verdadeiramente com uma das grandes revelações da música portuguesa.



Depois da estreia com “Tu” em, Abril de 2018 e “Longe”, em Outubro do passado ano, que se tornou um êxito enorme, Nuno Ribeiro lançou ainda “O Que Fomos” com a participação especial de David Carreira e “Para Lá das Oito” com outra grande promessa do Hip Hop nacional, Rogg.

Em Julho de 2019 saiu finalmente o seu primeiro álbum contendo todas estas grandes canções.

Chegou agora a vez de “Assim Já Não Vai Dar”, canção também do seu álbum estrei
O novo tema, já disponível em todas as plataformas digitais, com o selo Warner Music Portugal, tem letra de Nuno Ribeiro e música de Nuno Ribeiro e Vitor Silva, que é também o produtor.

A edição do novo single vem acompanhada também de um vídeo clip com a realização da PYRAMID. O Director de Fotografia é Jihad Kahwajy e a Direcção artística de Lizzie Favaro. Produção a cargo de Midkostta.para a PYRAMID. O video conta ainda com a participação dos actores Rita Martins e Rodrigo Correia.

O lançamento deste novo single, o quinto do seu incrível primeiro álbum, encerra assim um ciclo de dois anos de intenso trabalho. Mas vem aí muito mais música de Nuno Ribeiro durante este ano.

Se 2018 e 2019 foram anos em cheio para Nuno Ribeiro, 2020 será certamente o ano de afirmação deste novo grande nome da música portuguesa.

Sobre Nuno Ribeiro:

Aos 16 anos, Nuno Ribeiro ficou em quarto lugar no The Voice. A sua participação foi muito positiva e o facto de não ter entrado em disputas com ninguém, ajudou-o e isso passou para as pessoas.

Antes de entrar no programa já gostava muito de música – sempre foi uma coisa que quis fazer, embora ainda não dissesse: “é isto”. O concurso ajudou-o a entrar no meio e a perceber: “é mesmo isto que quero”. Uma rampa de lançamento que lhe conferiu experiência.

Nos 6.º e 7.º anos Nuno era um rebelde. Mas, a partir dos 16 anos, depois de ter aparecido na televisão, achou que estava na altura de começar a ter planos mais concretos para a sua vida. Entretanto entrou em Geografia, iniciando os estudos universitários na Faculdade de Letras do Porto. Devido a incompatibilidades de horário, congelou a matrícula – que poderá retomar a qualquer momento – para se dedicar em pleno à música, que por vezes implica noitadas até às 6h da manhã.

Quando saiu do concurso televisivo começou a compor de imediato. Esteve com alguns produtores antes de iniciar o trabalho com Vítor Silva, o produtor atual, e o single “Tu” foi a primeira criação de ambos. Nuno mostrava a Vítor músicas que tinham potencial, mas o produtor dava-lhes um cunho, ajudando-o sempre a reformulá-las. Estão muitas vezes juntos fora de estúdio a falar dos bastidores do mundo da música ou sobre qual seria o melhor caminho a seguir para tudo dar certo, ultrapassando, em muito, a habitual relação de trabalho.

Vítor foi músico durante muitos anos e, já no papel de produtor, trabalhou no álbum “Zeca Sempre” e nos dois primeiros discos dos D.A.M.A., entre outros. Nuno e Vítor formam uma equipa, ou seja, com uma parte da composição e uma parte da produção, como no caso de “O Que Tu Dás”, de Matay. Gostam de trabalhar para terceiros, um desafio que descrevem como diferente.

Nuno não aprecia criar músicas que alguém venha depois a interpretar, preferindo compor especificamente para uma determinada pessoa. Consoante o que conhece dessa mesma pessoa, como no caso do Matay – enquanto escrevia a música e a linha melódica do refrão pensava já no cantor. Fê-lo a pensar em como encaixava “na voz e na onda dele”.

Aos 20 anos, cada vez mais, a música é o seu mundo. Seguindo o espírito do DIY, mesmo sem formação especializada, vê, investiga e faz por si. O talento para a arte está-lhe no sangue: o irmão tocava bateria e Nuno seguia-lhe as pisadas, e o pai tocava guitarra e logo depois o filho dedilhava acordes. A irmã mais velha, hoje com 30 anos, também cantava.

Nuno chegou a ter uma banda “mais amadora” cujo baterista era o seu irmão, presentemente com 28 anos. “A minha mãe é a única mais calminha, de resto é uma barulheira aqui em casa”, confessa.

Como os jovens da sua idade, elege os veículos Deezer e o Spotify para escutar as músicas dos seus artistas preferidos, nomeadamente James Arthur, Ed Sheeran, Bruno Mars e Demi Lovato, entre muitos outros que aprecia. O quotidiano, os filmes e as séries influenciam as suas composições, sendo poucas as ideias que lhe surgem no conforto do lar.

Com uma ligação quase umbilical à família e aos amigos, Nuno ambiciona viajar mais – refere Brasil, Angola, Reino Unido –, mas para viver a escolha recairá sempre sobre Portugal. Lembrando uma viagem recente, gostou do “espírito” de Amesterdão, “uma cidade com uma mente muito aberta”.

“Tu”, o single de estreia com data de edição a 6 de abril, não deixa de ser uma balada, mas apresenta nuances distintas nas linhas rítmicas e melódicas pop polvilhadas, a espaços, por algum hip hop.

“Quando faço uma música gosto que não seja aquela balada simples, um verso, refrão, igual ao primeiro. Mesmo a própria letra, na primeira parte tem por base o misterioso e o melódico. A segunda parte é constituída por expressões como “não dá para ver” e “não dá para entender”, transmitindo uma mensagem de mistério nas relações: quando queremos ver o que a outra pessoa quer de nós e não conseguimos; quando não sabemos o que esperar da outra pessoa”, descreve o autor e cantor que planeia lançar o álbum de estreia ainda em 2018, após a edição de mais singles.

Seguiu-se “Longe”, em Outubro de 2018, que se transformou num verdadeiro êxito, com cerca de 6 000 000 de visualizações no Youtube e com passagem em todas as grandes estações de radio em Portugal, ocupando ainda hoje os lugares cimeiros de vários TOP’s.

Em Março de 2019 sai o terceiro single “O que fomos” que conta com um featuring de David Carreira e conta já com cerca de 2 000 000 de visualizações do seu vídeo e em Junho o quarto single com a participação de Rogg e que antecedeu o lançamento do álbum estreia “Nuno Ribeiro”.

“Para Lá Das Oito” é mais um grande êxito tendo já ultrapassado o milhão de visualizações no YouTube e cerca de meio milhão na plataforma Spotify.  

Para além da carreira a solo, Nuno Ribeiro não tem tido mãos a medir. Tem escrito e produzido para nomes grandes do panorama musical português como Olavo Bilac, Matay, Sea, para David Carreira, Sara Carreira e Mickael Carreira e até para o próprio Tony Carreira.

Porque “o melhor ainda está para vir”, Nuno Ribeiro é um artista com um talento absolutamente incrível e que tem revelado – seguramente – aos portugueses como um dos maiores talentos da sua geração.
Se 2018 e 2019 foram os anos da descoberta, 2020 será o ano da afirmação.

OS MEERA AO VIVO














Desde uma tour de verão no Brasil, onde tudo começou, até um sunset íntimo num terraço no Porto, os MEERA são Jonny Abbey, Cecília Costa e Leonardo 'Goldmatique' e são a receita na dose certa para a diversão de que todos procuramos.

Depois de terem dado a conhecer 3 temas do disco de estreia, Little of Your Time, Fine Without You e Think Straight, marcaram presença em alguns festivais e integraram a playlist das principais rádios nacionais como a Superbock Superrock e a Antena 3, onde estiveram várias semanas no top do A3.30.

2020 arranca com o convite da Super Nova para fechar os 6 espectáculos, na companhia de Ivy e Surma, que se distribuirão por vários espaços de norte a sul do país. Pelo meio terão igualmente o desafio do Festival da Canção no qual participam com a canção "Copo de Gin". Ainda este ano será lançado o primeiro longa duração da banda. Até o seu lançamento os MEERA darão a conhecer irão dar a conhecer novas músicas, alegres, frescas e desinibidas, convidando todos que os ouvem a dançar.
 
10 de janeiro - Porto
Maus Hábitos

1 de fevereiro - Viseu
Carmo 81

6 de fevereiro - Aveiro
Teatro Aveirense

8 de fevereiro - Vila Real
Club

21 de fevereiro - Beja
A Casa - Oficina os Infantes

14 de março - Leiria
Stereogun

21 de março - Braga
Café Concerto Rum By Mavy

PRIMEIRO SINGLE DE MARIA MAR




















Maria Mar é a mais recente revelação do Pop Português. A cantora e compositora, de apenas 18 anos, edita hoje o primeiro single do seu EP, Boy Bye.

 A artista estudou na Barkley, mas foi no seu grupo de teatro, em que participa desde os 10 anos, que desenvolveu o gosto pelas artes performativas.

 O primeiro single está disponível esta sexta-feira em todas as plataformas digitais

Boy Bye, o videoclipe do single de lançamento do primeiro EP de Maria Mar já se encontra disponível no canal de Youtube da artista.
 

NOVO CLIP DE ALEN TAGUS












A colaboração franco-portuguesa Alen Tagus começou em 2018 com a dupla que é composta por Pamela Hute e Charlie Mancini.

No ano passado lançam o seu EP de estreia intitulado "Paris, Sines" com ótimas críticas nos órgãos de comunicação nacional e internacional.

Com o passar do tempo, a dupla não se chega a conhecer pessoalmente mas já assinavam pela segunda label, desta vez a norte-americana Circulate Music fazendo com que tenham tido destaque a bordo de companhias aéreas, playlists nas rádios portuguesas, francesas e em lugares tão distantes quanto os Estados Unidos e a Austrália.

Alen Tagus torna-se uma banda completa em Dezembro de 2019 reunindo-se para ensaios pela primeira vez antes da sua apresentação ao vivo no 25º Festival Termómetro. Hoje esta banda lança um video especial de 4 músicas em exclusivo para o site francês Soul Kitchen.
 

VIDEO DE TIAGO ABRANTES




















Tiago Abrantes é multi-instrumentista e cantor.

O interesse pela música começou em 2005, então com 6 anos, influenciado pela sua família que sempre teve músicos.

A paixão e dedicação pela música faz com que Tiago Abrantes alcance os seus objectivos.

Depois de alguns anos em projectos musicais e em aperfeiçoamento de técnicas fizeram com que o jovem músico amadurecesse, sentindo assim necessidade de criar, compor, produzir e ter a sua própria banda.

Apresenta-nos agora o single "Casal Boss"; tema metafórico/romântico com influências Pop/Jazz/Bossa Nova e que irá integrar o EP a sair brevemente. “Casal Boss” é uma homenagem ao avô Deolindo Abrantes.

Uma contribuição descontraída no panorama da nova música portuguesa.

“Casal Boss” já disponível formato digital https://orcd.co/ovmx9a7

GRANDFATHER´S HOUSE CONVIDAM AMIGOS PARA CONCERTO ESPECIAL














GrandFather’s House convidam The Legendary Tigerman, Emmy Curl, Selma Uamusse, Cláudia Guerreiro e Pedro Oliveira para concerto especial no Theatro Circo.

Num revisitar de toda a discografia da banda e com novos arranjos, os GrandFather’s House sobem ao palco do Theatro Circo, em Braga, no dia 29 de fevereiro, às 21:30, para um concerto único com convidados especiais. Os bilhetes já estão à venda.

Quem já viu os GrandFather’s House em concerto não pode esperar algo semelhante ao que tem sido anteriormente apresentado pela banda. No espetáculo The Last Dive é proposta uma viagem por toda a obra discográfica do grupo e um revisitar de temas que não são incluídos nos concertos há vários anos, em jeito de celebração daquilo que tem sido o percurso da banda. Para a apresentação desta roupagem completamente diferente que darão aos seus temas, os GrandFather’s House não estarão sozinhos. Neste concerto único, a banda será acompanhada por cinco convidados: Paulo Furtado (The Legendary Tigerman), Catarina Miranda (Emmy Curl), Selma Uamusse, Cláudia Guerreiro (Linda Martini) e Pedro Oliveira (krake, peixe:avião).

Os bilhetes custam 12 euros (ou 6 euros com o cartão quadrilátero) e estão à venda no Theatro Circo e na rede da BOL.

GrandFather’s House surgiu em 2012, em Braga, como um projeto a solo do atual guitarrista Tiago Sampaio ao qual se juntou, mais tarde, a irmã Rita Sampaio como vocalista. Em 2014, surge o primeiro registo “Skeleton". Em março de 2016, com João Vítor Costeira na bateria a finalizar a formação da banda, e Rita Sampaio também nos sintetizadores, é editado “Slow Move”. Mais de 100 concertos depois, lançaram o terceiro registo “Diving”, em 2017, com a participação de Adolfo Luxúria Canibal (voz), Mário Afonso (saxofone) e Nuno Gonçalves (teclados) – que acompanha atualmente a banda. O disco foi considerado por inúmeras publicações como um dos melhores álbuns desse ano. Depois da passagem de Ana João Oliveira pela bateria, a substituir João Vítor Costeira, os GrandFather’s House apresentam-se, atualmente, como trio e é assim que vão subir ao palco do Theatro Circo.

Para promover o espectáculo The Last Dive, os GrandFather's House gravaram dois temas ao vivo numa sessão no Museu dos Biscainhos, em Braga. O primeiro vídeo, "Keep It Up", foi lançado esta sexta-feira no canal do Youtube da banda.
 
 

DICO LANÇA NOVA COMPILAÇÃO DIGITAL




















Já se encontra disponível para download gratuito, através do link https://www.dropbox.com/sh/cmuq174tsq2lra5/AAAGHOeNdxa60_V8nuFcuIvNa?dl=0&fbclid=IwAR16rW3bRCBQshOX0euS2tAY4Nz0-V4Y0VI_QU86W9EIcciP5fGztuC4xgk a nova compilação digital para download gratuito idealizada, organizada, supervisionada e produzida executivamente por Dico. Desta feita, trata-se de um álbum com cinco temas de outros tantos grupos, intitulado Conquistadores – Blasting from the Depths.

Desta compilação fazem parte os All Against, Pântano, Shadowmare, Earth Syndicate, Skinning, Moonshade, X-calibur, Dico & Pombo (um novo projeto humorístico formado por Dico e Ricardo Pombo) e Serrabulho. Uma vez mais, a remasterização ficou a cargo de Guilhermino Martins (Serrabulho) nos Blind & Lost Studios.

Conceito, organização e produção executiva:

Dico (https://www.facebook.com/dico.dico.75)

Remasterização (excetuando os temas 2 e 6): Guilhermino Martins at Blind& Lost Studios

(https://www.facebook.com/BlindandLostStudios/)

Artwork: Enrique Meseguer (darksouls1) – https://pixabay.com/pt/users/darksouls1-2189876/
 
Layout: João Nuno Simões

MAZGANI MOSTRA NOVO SINGLE




















Novo disco chega às lojas a 7 de Fevereiro
Apresentação a 4 de Março no Capitólio em Lisboa

A três semanas de lançar o seu novo álbum de originais, Mazgani apresenta o segundo single - The Gambler Song - tema que partilha o nome com o álbum. Sobre esta canção o artista diz: "Parece ser uma canção sobre o desejo de rendição e de regresso a casa."
 
Filmado no Cinema São Jorge, cinema emblemático de Lisboa, o vídeo de The Gambler Song é, segundo a realizadora, uma carta de amor ao cinema e à cidade de Lisboa. "O vídeo," diz Joana Linda, "veste uma canção melancólica e cinematográfica personificada pela actriz Anabela Moreira, musa perdida entre o ecrã e as ruas, entre a realidade e a ficção, observada por perto pelo próprio Mazgani que assume aqui o papel de projecionista."
 
Fotografia capa, fotografia cartaz e videoclipe: Joana Linda
Design capa e cartaz: Joana Areal

The Gambler Song é o nome do disco que vai sair a 7 de Fevereiro.
A 4 de Março o artista vai apresenta-lo no Capitólio, em Lisboa,  bilhetes aqui.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

PROGRAMA DE 16/01/20

1 - Jorge da Rocha - False alarm
2 - Tais Quais - Havemos de nos ver um dia
3 - Eddie - Tempo
4 - Classe Crua - Chakras (ft Chullage)
5 - MK Nocivo x B27 - Reconhece
6 - Jorge Coelho - Lay down with the cubs
7 - Rodrigo Leão - O método
8 - Três Tristes Tigres - À tona
9 - Osso Vaidoso - Bem mal
10 - DW Void - Nada
11 - Secrecy - Secrecy (demo)
12 - Capitão Fausto - Lentamente
13 - Bruno de Seda - Meu céu, minhas máquinas
14 - Meta - Nós somos

ALBUM DE ESTREIA DE METADEVICE




















7 de Fevereiro de 2020 é a data de lançamento do álbum de estreia de METADEVICE, intitulado "Studies for a Vortex". O álbum sairá pela mão da seminal editora norte-americana Malignant Records e conta com diversas colaborações, nomeadamente Jonathan HHY (HHy & the Macumbas), Miguel Béco (Atila, Kara Konchar), entre outros, tendo a masterização ficado a cargo de John Stillings (Steel Hook Prostheses) e o grafismo de André Coelho.

De momento podem ser escutadas três faixas no bandcamp da editora, estando já abertas as pre-orders:

https://malignantrecs.bandcamp.com/album/studies-for-a-vortex
METADEVICE é um novo projecto de electrónica industrial onde drones alienantes, musicalidade em colapso, distorção e estática coabitam com a poética do cut-up e apropriação expressa num amplo leque de vocalizações: resultado da fusão de inúmeras de influências desde o power electronics ao dub.

O mentor do projecto é André Coelho, membro fundador dos defuntos Sektor 304, ex-colaborador em Mécanosphère e actualmente membro de Iurta.

PONGO AO VIVO




















Lisboa vai acolher a Embaixadora do Kuduro Progressivo com um super impactante espectáculo onde o Kuduro, a Pop e a Eletrónica se misturam!

Com bilhetes já a venda na BOL.pt, Pongo parte de Lisboa para uma digressão internacional já com muitas datas anunciadas.

Próximas Datas da Tour:
17/01-Gröningen (NL) - Eurosonic Noorderslag

05/02-Lisboa (PT)-MUSICBOX LISBOA
07/02-Paris (fr) - o trianon, Festival Au Fil des Voix
08/02-Utrecht (nl) - um planeta verde
19/02-Berna (CH)-@BeeFlat
20/02-Annecy (fr)-Le Brise Glace-Festival fora de pista
22/02-Metz (fr) - Les Trinitaires
25/02-Riorges (fr) - terça-feira do grande pântano
26/02-Clermont Ferrand (fr)-La Coopérative de Mai
28/02-Lyon (fr) - noites zebra-Le Transbordeur
29/02-Rambouillet (fr) - a fábrica de chapéu
04/04-Saint-Jean-de-Védas (fr)-Victoire 2
07/04-Bruxelas (Bel) - um planeta verde
08/04-Dunkerque (fr) - Les 4Ecluses
10/04-St Nazaire (fr) - Le VIP-Saint-Nazaire
11/04-Chateaulin (fr) - Run Ar Puns
16/04-Bristol (Reino Unido) - JAM JAR
17/04-Brighton (Reino Unido) - um planeta verde
18/04-Londres (Reino Unido) - Terra Hackney
24/04-Köln (de)-C/O Pop Festival

TAIS QUAIS COM NOVIDADES




















Quando o Cante Alentejano estava para ser património imaterial da Humanidade, a convite do João Gil um grupo de músicos reuniu-se para um concerto em Serpa de apoio a esta acção. A esse grupo chamaram "Tais Quais". Com raízes e ligações ao Alentejo, o grupo de músicos inventou uma identidade própria e propôs-se a continuar a descobrir e a compor temas dentro de uma matriz popular sujeita às características de cada um, já que provinham de áreas musicais distintas. A essa primeira aventura discográfica deram o nome "Os Fabulosos Tais Quais".

Mas o tempo foge, e a vida também...

Corria o ano de 2018 quando os Tais Quais combinam novos encontros. Desta vez o desafio lançado foi o do trabalho de composição em conjunto, novas parcerias e novas autorias poderiam dar canções novas. E assim foi começando com três ou quatro temas, conseguiram marcar uma mini residência no Teatro Villaret; com essa oportunidade veio a energia e a confiança para a concretização, um ano depois, deste trabalho.

Assim aparecem "As Novas Aventuras dos Tais Quais". Neste trabalho, todos são autores, todos trabalharam para criar um lote de canções novas e frescas, resultados improváveis de parcerias nunca dantes experimentadas que agora levam ao vivo pelo país.

Falta lembrar quem são afinal os Tais Quais, grupo etéreo e cujo objectivo é a sublime arte do entretenimento:

-Sebastião Santos, voz e bateria, compôs a "Moda do Raspa-Tabuas" com letra do Vitorino

-Vicente Palma. voz e piano, compôs "Na minha eira" com letra da Celina

-Celina da Piedade, voz e acordeão, escreveu "Na minha eira" e trouxe a a moda popular "Penteei o meu cabelo"

-António Jorge Serafim, voz, escreveu "Filhos e netos" que o Paulo musicou, bem como os textos de enquadramento que se ouvem pelo disco.

-Paulo Ribeiro, voz, compôs "Filhos e netos", escreveu a "Moda dos Enjeitados" que o Tim musicou e apresentou um original seu de Cante com poema de Manuel da Fonseca

-João Gil, voz e guitarra, compôs "Até amanhã" para uma letra do Vitorino, "Menina dessa janela" e "Havemos de nos ver um dia" para as quais o Tim escreveu as letras

-Vitorino Salomé, voz, autor das "Saias dos Tais Quais", do "Tangomarcha da felicidade" e das letras da "Moda do Raspa-Tábuas" e "Até amanhã"

-Tim, voz, baixo e campaniça, compôs o tema "Moda dos enjeitados" para uma letra do Paulo, escreveu as letras da "Menina dessa janela", "Havemos de nos ver um dia" e as quadras da "Menina Florentina", produziu este trabalho e escrevinhou estas linhas...
Havemos de nos ver um dia!”

Redes sociais:
www.facebook.com/taisquais
www.taisquais.com
 

NA OFICINA MUNICIPAL DO TEATRO EM COIMBRA
















A música está de regresso à Tabacaria e o arranque acontece já no próximo sábado com os Crab Monsters e os Mad Mojo Groove. Em 2020 a programação musical vai continuar a ser uma aposta do Teatrão, com a curadoria dos concertos ainda ao cargo de Victor Torpedo. A agenda para os próximos meses está preenchida e promete música nova e projetos emergentes. No primeiro concerto do ano a Oficina Municipal do Teatro recebe as bandas vindas das Beiras, que passam por Coimbra na apresentação dos discos lançados no ano passado.

18 de janeiro
22h
5€

A apresentação dos Crab Monsters é direta: “Somos da Beira Interior e não temos medo de ninguém.” Mas noutras palavras podemos dizer que nasceram em 2018, entre Castelo Branco e Sabugal, e que fazem “rock’n’roll a 300 Km/h”. São um quarteto de punk, trash e hardcore, composto por Tiago Guterres, Tiago Dias, Rui Batista e Christophe Gonçalves, e que no ano passado editou o seu primeiro álbum. Este sábado apresentam “Naked Alive”, “Net of Spies” e mais músicas de “High on Guts” ao público de Coimbra.

Aos Crab Monsters juntam-se os Mad Mojo Groove, banda cem por cento de Castelo Branco e esta também com uma formação de quatro elementos. Começaram em 2014 com Luís Fidalgo na bateria e João Silva na guitarra e voz, e em 2018 juntam-se Luís Nunes e João Toscano, respetivamente a segunda guitarra e baixo do grupo. No ano passado lançaram um EP homónimo onde nos introduzem às guitarras altas, baterias rápidas, solos de baixo e gritos, com influências de Motorhead, Murdering Tripping Blues, AC/DC ou Queens of the Stone Age.

No final do mês, os convidados da Tabacaria vêm de Lisboa. Wildnorthe e Nancy Knox trazem os sintetizadores e passam pela Tabacaria no dia 31 de janeiro. Os bilhetes para o concerto deste sábado e o último de janeiro já estão à venda na bilheteira da Oficina Municipal do Teatro.
 

O GAJO AO VIVO

NOVO VÍDEO DE DONA ELVIRA

A banda de rock DONA ELVIRA apresenta o vídeo do single CINDYBELLA.

Tema que integra o álbum COMPROMISSO lançado em formato digital em Setembro.

Como o próprio nome indica, traduz o compromisso que a banda assume com todos aqueles que desde sempre acreditaram e incentivaram a desenvolver este projeto.

Criar novos horizontes musicais, levar este álbum ainda mais longe e a mais público do que o álbum anterior é o grande desafio proposto pela banda. Fazem questão de manter o compromisso com quem já os conhece, difundindo o “espírito Dona Elvira” a todos os que os pretendem conhecer.

A banda de Sintra é formada por Paulo Lawson na voz, Tiago Caldeira na guitarra, Francisco Durão nos teclados, Fané Elias no baixo e António Oliveira na bateria.

Álbum COMPROMISSO disponível em formato digital https://orcd.co/kn15wvr