quinta-feira, 28 de outubro de 2021

PROGRAMA DE 28/10/21

1 - The Soaked Lamb - Bla bla bla
entrevista Gito Lima (The Soaked Lamb)
2 - The Soaked Lamb - Judgement day
3 - Joana Alegre - Canção do instante (com Luísa Sobral)
4 - Diva - Estrada
5 - FIL - Pássaros de pedra
6 - Ana Bacalhau - Que me interessa a mim
7 - Green Leather - Música de elevador
8 - Ruy Sylva - I found love
9 - Kyron - Stealing the fire from heaven
10 - Madd Rod -Rumors 
11 - Olivae - Batalhas (com Teixara)
12 - Nena - Do meu ao teu correio

BATIDA AO VIVO






















Realizada por Pedro Coquenão, esta curta foi um dos resultados do Alojamento Artístico Local de Batida que, durante todo o mês de Fevereiro de 2020, mesmo mesmo antes da pandemia, ocupou a Casa Independente, preenchendo as suas paredes com peças como o Neon Colonialismo ou o Aluzejo, cruzando-a com peças escolhidas a dedo do acervo do Museu de Lisboa, como a maquete original do Padrão de Leopoldo de Almeida, aguarelas de António Costa Pinheiro ou a escultura dos Pretos de São Jorge.

Autoria, Curadoria, Remix, Sampling de Museus? O ar foi ocupado com uma instalação Rádio e o palco com o musical IKOQWE de onde saem os protagonistas e autores da banda sonora desta curta.

Em “O Princípio, O Meio, O Fim e o Infinito“ são abordados temas como o próprio Padrão, o Racismo, o Anti Racismo, o Colonialismo e o Neon Colonialismo e, inevitavelmente, a Saúde Mental. O primeiro corte foi estreado no Indie Lisboa e uma nova versão foi apresentada no Padrão dos Descobrimentos fazendo agora parte da seleção de filmes do Womex 2021.

Ver mais: https://www.womex.com/virtual/piranha_arts_1/event/o_principio_o_meio_o

NOVA DATA PARA SAMUEL ÚRIA














Uma maleita inesperada obriga ao adiamento do espectáculo de Samuel Úria anunciado para amanhã, dia 29 de Outubro, no Musicbox, para dia 9 de Dezembro. Os bilhetes adquiridos são válidos para a nova data.

"É inundado de tristeza que comunico o adiamento daquele que seria o meu próximo concerto, “Pés de Roque Enrole – tomo II” no Musicbox. Neste momento encontro-me sem voz (literalmente, embora me doa como se fosse simbólico) e com nenhuma perspectiva de recuperá-la a tempo da actuação - logo esta que seria muitíssimo exigente a nível vocal.

Logo eu, que nem acredito no determinismo cósmico do Karma, sinto-me justa e poeticamente punido. Uma vida inteira de desejos procrastinantes - a regozijar-me com o adiamento dos testes na escola, ou com o reagendar de conversas sérias - vejo-me agora desolado perante protelações. Como a Amália, na semana passada cantei até que a voz me doesse. Agora tenho de esperar que a voz regresse."

Samuel Úria

Samuel Úria não terá sido dos músicos a sentir mais directamente os efeitos da pandemia, do confinamento e respectivas regras. Aliás, em Setembro de 2020 publicou “Canções do Pós-Guerra”, o seu mais recente trabalho de originais, e ainda este ano, aproveitando o retiro forçado do início de 2021, registou “Canções do Pós-Guerra_Solo”, o EP digital também publicado em cassete áudio. Inclusive, tem mantido uma frequência assinalável das apresentações ao vivo, especialmente nos auditórios e teatros nacionais.

Mas, se há algo que efectivamente lhe faltou, seja enquanto performer ou como anónimo na audiência, foram as noites passadas “no escurinho” dos clubes, algo que desde Março de 2020 não ocorre. E qual a melhor forma de celebrar a reabertura? Com um concerto no Musicbox! Um regresso ao icónico espaço da noite lisboeta dois anos depois de ali ter apresentado “Pés de Roque Enrole”, desta feita com o tomo II desse espectáculo, que em 2019 era assim apresentado e que as fotos de Rita Carmo documentam.

A origem do título escolhido para este concerto especial que Samuel Úria irá realizar – Pés de Roque Enrole - não está devidamente apurada: a sua biografia recorre à expressão frequentemente usada “…meio homem meio gospel, mãos de fado e pés de roque enrole...”; por outro lado, a canção gravada na década passada com o colectivo “As Velhas Glórias”, refere-la em “A Grande Eloquência do Roque Enrole”. Serão então pistas.

Mas será isso verdadeiramente importante? Ou será bem mais interessante perceber que Samuel Úria escolheu para esta noite o que de mais ”rock n’ roll” existe no seu repertório, numa espécie de regresso ao básico? Ou existirão entre vós descrentes que duvidarão das intenções do mais talentoso cantautor da sua geração?

Não, não iremos ser hipócritas e dizer-vos que não irão escutar baladas ou as sonoridades bluesy a que nos habituou, também lá estarão… a espaços. Ou que não irão escutar um par de canções novas. Ou ainda que não existirá um ou outro momento de visita à música de outros. Mas o propósito maior deste regresso ao ambiente dos clubes é este mesmo: imbuir todos os presentes do espírito mais ingénuo e pueril do “roque enrole” ao longo de uma noite de pura energia.

Como mestre-de-cerimónias, Samuel Úria, com Pés de Roque Enrole.

FESTIVAL DE INVERNO EM PAREDES DE COURA














Os PVA, Moullinex e Samuel Úria estão entre os 24 nomes confirmados para o Courag Clube, festival de inverno que vai decorrer nos dias 03 e 04 de dezembro, em Paredes de Coura, revelou hoje a organização.

Em comunicado, a produtora Ritmos anunciou ainda as presenças de B Fachada, Chico da Tina, Pedro Mafama, Sensible Soccers, Rita Vian, Tó Trips, Whales, Evols, Gator, The Alligator, Ocenpseia, Paraguaii e Unsafe Space Garden.

Dada Garbeck, Quadra, The Lemon Lovers, Wicked Youth, Nuno Lopes, Maria Callapez, DJ Paços B2B Titus-J, Catarina Silva, Alfaer completam o cartaz da primeira edição do Courage Club.

Os concertos do festival de inverno de Paredes de Coura, no distrito de Viana do Castelo, vão decorrer no Centro Cultural, na Caixa de Música e no Quartel das Artes.

No centro da vila será também criado um novo espaço, o Courage Club, lugar que acolherá as principais atuações da estreia deste festival.

Os bilhetes para o Courage Club, já disponíveis em número limitado, podem ser adquiridos em bol.pt e locais habituais, por um preço único de 20 euros, e dão acesso aos dois dias do festival.

Este bilhete garante a entrada nos concertos programados na sala principal, ficando o acesso às restantes salas limitado à sua lotação, mediante ordem de chegada.

Na semana passada, em declarações à agência Lusa, o diretor do festival, João Carvalho, explicou que Paredes de Coura “está há demasiado tempo sem música e não podia esperar mais”.

“Este conceito do Courage Club é precisamente mostrar que é um ato de coragem, hoje em dia, fazer música”, afirmou João Carvalho.

O diretor do festival de música de Paredes de Coura lembrou que tinha “prometido” promover um evento antes do verão por considerar que o concelho “tem um capital de ternura enorme que não pode ser desperdiçado”.

“Temos milhares de pessoas que gostam de Paredes de Coura, que têm saudades de Paredes de Coura e que não vão lá [a Paredes de Coura] há algum tempo. Algumas, mesmo não havendo festival, foram lá passar uns dias, mas achamos que devíamos fazer alguma coisa para essas pessoas, mas também para o comércio”, explicou.

O objetivo do Courage Club “é celebrar Paredes de Coura, o poder estar juntos, poder abraçar e dançar”.

ABC // MAG

Lusa/Fim

GIG.ROCKS CONVIDA


 












É hoje o Matéria Urgente #5: O Manipulador e a subtil arte da experimentação e dos loops.

O Manipulador é a one-man-band de Manuel Molarinho, influenciada por bandas de rock alternativo e ética DIY, que encontra inspiração em paisagens industriais abandonadas, nos ritmos e melodias das conversas e na experimentação.

A originalidade do músico tem passado pela criação de peças e canções somente através do uso do baixo, pedais, loop station e voz, dando ao baixo o papel principal de instrumento de percussão, textural e melodico.
'Doppler' é o 4º registo de O Manipulador (depois de' Boxing', 'Chess' e 'Lop'). Com o selo da editora portuense Saliva Diva, representa o culminar do trabalho de investigação e experimentação da utilização do baixo eléctrico como instrumento total.

Chega ao Matéria Urgente esta Quinta-feira com todos os truques e códigos para nos levar em viagem por texturas sonoras ainda por explorar.

A entrada tem um custo de 5€.

Matéria Urgente #6: Gumba Lumba Fest é já este fim de semana!

Os Gator, The Alligator comemoram 4 anos de banda e a saudade do circuito foi tanta que decidiram criar um festival. Nascia assim o Gumba Lumba Fest, spin off festivaleiro da banda de Barcelos que pretende acima de tudo celebrar o rock, em um ponto de encontro seguro com os amigos de estrada e o público que tanto tem elevado a banda.

As festividades começam no Porto já amanhã, seguindo para Aveiro no sábado e atracando em Braga no que será o ultimo Matéria Urgente de Outubro. Além do concerto celebratório de 4 anos de banda, podemos contar com atuações de Mike Vhiles, Big Summer e El Señor num fim de semana de urgência rock.

Os bilhetes estão à venda por 8€ e podem ser adquiridos no balcão do Barhaus ou por reserva em www.gig.com/productions.

OUT.RA APRESENTA

 













Depois de um OUT.FEST longo e intenso, a OUT.RA .sestá de regressi à programação regular com música novíssima e cósmica do duo Soroastra (de Afonso Simões e do espanhol Borja Caro), numa das primeiras apresentações do seu magnífico disco "Olimpíadas de Pensamentos Acelerados", e com o sempre único César Burago em solo de pequena percussão, finalmente de regresso ao Barreiro gorada esta apresentação originalmente planeada para a primavera de 2020.

Os concertos acontecem no Auditório da Biblioteca Municipal do Barreiro, no sábado 13 de novembro, a partir das 21h30. Os bilhetes, aos preços habituais, já podem ser comprados via outra.bol.pt 

SOUNDFLOWER FEST 2021


 










Dezembro está à porta e o primeiro natal com a cultura a 100%, merece um evento à sua medida. Por isso, nos dias 10 e 11 do último mês do ano, o Soundflower Fest terá a sua edição especial de Natal, no LX Factory, em Lisboa. Os primeiros nomes do cartaz são de respeito com Capitão Fausto, Hercules & Love Affair DJ Set, Sean Riley & The Slowriders, D'Alva, Filipe Karlsson e Luís Trigacheiro.

Destas primeiras confirmações alguns nomes saltam à vista. Os Capitão Fausto deram o seu último concerto em Lisboa há mais de ano e meio, mesmo antes do país confinar devido à pandemia. Agora, surgem no Soundflower Fest para o seu primeiro concerto em Lisboa.

Maior hiato é o de Hercules & Love Affair. A última presença no nosso país remete-nos para 2017. Agora, Andy Butler traz o seu DJ Set a Lisboa para uma noite muito especial. Quem vem apresentar novidades são Sean Riley & The Slowriders. O álbum "Life" tomou muita da atenção da crítica e será certamente mencionado entre os melhores de 2021.

Continuando o desfile de grandes estrelas da música nacional, os D'Alva aproveitaram a pandemia para lançar singles. Em Maio de 2020, "Só a Pensar" e em Fevereiro de 2021, o sucesso "Honesty Bar" com Cláudia Pascoal, mantiveram Alex D'Alva Teixeira e Ben Monteiro entretidos. Filipe Karlsson e Luís Trigacheiro são dois nomes em ascensão a nível nacional. O primeiro lançou em 2020 os muito aclamados trabalhos "Teorias do Bem Estar" e "Modéstia à Parte". Já este ano lançou o single "Vento Levou" que é o primeiro avanço daquilo que será o seu terceiro trabalho de originais. Quem vai a caminho do primeiro, é Luís Trigacheiro. O grande sucesso "Meu Nome é Saudade" e "Peixe Fora de Água", recentemente lançado, embalam o antigo concorrente do The Voice para o seu primeiro trabalho de originais, a sair brevemente.


Os bilhetes para o SoundFlower Fest Christmas Edition estarão à venda a partir de dia 29 de outubro, em seetickets.com, Bol.pt e locais habituais, pelo preço de 30€ o bilhete diário e 50€ o passe de 2 dias.

Confirmados

10 de Dezembro
Hercules & Love Affair DJ Set

11 de Dezembro
Capitão Fausto, Filipe Karlsson, Luis Trigacheiro, Sean Riley and the Slowriders

MALABOOS APRESENTAM NOVO VÍDEOCLIP “CAVACO”


SINGLE “CAVACO”

“Cavaco” é o tema que inicia a viagem pelo disco Nada Cénico. Nasce com a fusão de loops de linhas melódicas rítmicas, com a força e balanço do baixo que serve como pilar harmónico durante a música inteira e, por último, com a potência e furor da bateria que acompanha o baixo de forma abrasiva e destrutiva. De forma geral, “Cavaco” demonstra o rock puro e duro de MALABOOS, com os clássicos momentos de pânico e paranoia.

O tema foi gravado, misturado e masterizado no ADRIFT Studio, por André Gonçalves.
O vídeo e realizado por Rodrigo Fernandes e editado por Ivo Correia.

DISCO NADA CÉNICO

Em formato 3.0, MALABOOS apresenta o seu verdadeiro e renovado som. O novo álbum Nada Cénico explora a simbiose entre a dureza, crueza e robustez do Rock Avant-Garde com a delicadeza e experimentalismo do Art-Rock, refletindo as sinergias criadas entre a força da sua juvenilidade com a maturidade ganha na já vasta experiência musical.

Nada cénico, primeiro longa duração editado no dia 28 de Maio de 2021, é o resultado de um período de metamorfose da banda, que hoje apresenta uma forma mais sólida e assumida.

Quando não há nada, encontra-se sempre mais do que se estaria à espera. Entre paisagens desprovidas de sentimento mas providas de textura, encontra-se o nosso refúgio. A filosofia destrutiva e pessimista da interpretação é assim camuflada com entoações e melodias cantantes tornando assim este álbum uma fusão de belos riffs, com pesados e marcados beats de bateria. As constastes oscilações de dinâmicas e mudanças abruptas de tempo estabelecem o limbo entre a calma e o caos, sentimentos os quais causam um agradável massacre psicológico.

Nada Cénico enaltece e exagera todos sentimentos humanos, desde os mais banais até aos mais invulgares, tornando-se assim um lugar seguro para a libertação de emoções e da viagem conjunta pela solidão constante presente em nós.

Este álbum é uma tela em branco, fica ao encargo do espectador delinear o seu próprio percurso durante esta viagem atribulada, entre paisagens verdejantes, ao encanto do mar até ao fundo de um escuro poço. Tudo é possível, tudo é válido, tudo e nada coexiste no mesmo universo auditivo, criando assim a possibilidade de uma mancha abstrata no nosso mundo utópico. Assim é, Nada Cénico.

MALABOOS nasceu há 5 anos por Diogo Silva (Guitarra e Voz) e renasce com Ivo Correia (Bateria, Voz e Sintetizador) e Rui Jorge (Baixo), apresentando-se assim em formato trio que é fruto de um entendimento musical e uma ligação pessoal muito vincada.

Os dois EP já editados, Plântula e Matuta, permitiram partilhar cartaz e palcos variados com artistas de renome, tais como Mazgani - Festival Sons do Vez; Galo Canta às Duas - Festival de Jazz de Viseu; Capicua/ D´alva/ Cais do Sodré Funk Connection - Festival N2 ; Capitão Fausto - Festival Jovem Ponte da Barca; Fugly/Quelle Dead Gazelle - Festival Ecos do Lima; e Quartet of Woah! - Capote Fest, entre outros.

YouTube https://www.youtube.com/c/MALABOOS/featured
Spotify https://open.spotify.com/artist/0Jb1nrRjiY3JwRk2esf2ew?si=_gy7ACzHSsSvFKFh3vfXWA
Bandcamp Music | Malaboos (bandcamp.com)
Instagram https://www.instagram.com/malaboosmalaboos/
Facebook https://www.facebook.com/Malaboos.oficial/

KINTETO ANTÓNIO FERRO AO VIVO






















No próximo dia 30 de Out (Sáb) o Kinteto António Ferro irá atuar na Junta de Freguesia de Vila Chã de S. João Batista em Ponte da Barca, pelas 21h30 e com entrada livre.

O Kinteto António Ferro, formado em 1990, trouxe uma aproximação do jazz à música tradicional portuguesa e em 1992 gravou o CD “Crepúsculo do Vinho”, para a editora Numérica.

Atuou no Hot Clube de Portugal, III Encontros de Jazz de Évora, II Ciclo de Jazz do Porto, Lisboa Jazz 90, VII Festival Internacional de Jazz de Macau, Encontro de Jazz do Algarve, entre outros eventos.

Atualmente, faz uma ligação entre o jazz clássico cantado e alguns temas instrumentais de caráter tradicional português.

Temas como: Vira do Minho, Fado Vitória, Saias de Campo Maior, Chapéu Preto à Miles e Fandango e canções como: All Of Me, You Dont Know What Love Is, At Last e Georgia On My Mind, poderão ser ouvidas neste concerto.

É composto por:

João Santos – Voz
Manuel Marques – Sax Tenor e Soprano
Pedro Alvadia – Piano
António Ferro – Baixo
Acácio Salero - Bateria

HOTEL JUGOSLAVIJA LANÇAM MIXTAPE



















Hotel Jugoslavija coletivo nascido em 2020 composto pelos rappers  Ró Alvez, Capitão e Pacífico lança o seu primeiro trabalho como banda depois de um longo caminho dos seus elementos com trabalhos a solo e colaborações ao longo de mais de uma década.

Este primeiro trabalho sai agora em formato físico e na plataforma do YouTube no canal da banda e consiste numa mixtape com uma abordagem fora da caixa e rompendo com aquilo que está pré concebido no panorama do rap nacional.

Este projeto foi gravado, misturado e masterizado em Da Funky Lab que fez trabalhos, tais como o álbum Pressão de Ruze, Capítulo II de Lucy, Chop Norris Vol. 1 de Raze, estes são apenas alguns exemplos recentes.

Hotel Jugoslavija é definido ironicamente como uma banda de punk rap jugoslavo, abordando instrumentais com uma carga pesada e rimas acutilantes sem filtro ou auto censura.
Se se sentirem melindrados e atingidos com as rimas de Hotel Jugoslavija então eles estão no bom caminho.

O single "Roquete" é lançado em simultâneo com as cópias físicas da mixtape da banda.

Roquete é servido co
m um enredo que nos prende do início ao fim do vídeo, que nos transporta para um cenário da Europa de Leste, talvez algures na antiga Jugoslavija.

As restantes faixas ficam neste dia também disponíveis no canal de YouTube de Hotel Jugoslavija onde podem ouvir do início ao fim o projeto.

Os Jugoslavos do rap tuga são a lufada de ar contaminado que trazem o espírito punk underground para o panorama do rap nacional.

Toxicidade é necessária para consumir a obra deles.

Sigam Hotel Jugoslavija no Instagram e YouTube

https://www.instagram.com/hoteljugoslavijagram/
https://www.youtube.com/channel/UC4lsWFvV435QBv-oLJzRgOw


HÁ MÚSICA AO FUNDO DO TUNEL

 




















Há Música ao Fundo do Tunel
Saúde Mental toca a todods
Ciclo de concertos no Metro do Porto e de Lisboa que têm como objetivo a promoção da Saúde Mental

28 OUT - Rede Metro do Porto [3 estações]
29 OUT - Rede Metro de Lisboa [3 estações]

Esta é mais uma iniciativa do Programa Nacional para a Saúde Mental da Direção-Geral da Saúde no âmbito da promoção da Saúde Mental e conta com a parceria da Filrouge. Há Música ao Fundo do Túnel tem o apoio do Ministério da Saúde, do Ministério da Cultura, o Metro do Porto e de Lisboa e a Produtores Associados.

Há Música ao Fundo do Túnel conta com um conjunto de 18 concertos, divididos por 6 estações de metro nas duas maiores cidades do país - 3 estações no Porto e 3 estações em Lisboa.
Este evento que decorre nos dias 28 e 29 de outubro, surge com o propósito de alertar a população em geral para a importância de cuidarem de si e de promoverem o seu bem-estar.

Num espaço que representa o pulsar de uma cidade - o metro do Porto e de Lisboa - o Programa Nacional para a Saúde Mental convida as pessoas a reservarem algum tempo do seu dia para apreciarem música ao vivo, pararem a sua rotina e conectarem-se com a arte e cultura. A música é o veículo escolhido para consciencializar as pessoas para a promoção do bem-estar físico, psicológico e social.

Márcia é Embaixadora deste projeto que não se restringe às atuações ao vivo, mas pretende deixar uma marca mais profunda e prolongada no tempo em relação ao tema da Saúde Mental que, como todos, também afeta particularmente os músicos e artistas.
A cantautora, escritora e artista plástica tem sido uma voz ativa na sensibilização dos públicos para a importância de não se estigmatizar as questões associadas à Saúde Mental e, mais uma vez, se junta a esta causa através da sua participação neste projeto.

HORÁRIOS DAS ATUAÇÕES

PORTO
_1ª atuação
.no período das 08h30 às 10h30 (Estações Casa da Música, S. Bento e Bolhão)
_2ª atuação
. no período das 12h30 às 14h30 (Estações Casa da Música, S. Bento e Bolhão)
_ 3ª atuação
. no período das 17h30 às 19h30 (Estações Casa da Música, S. Bento e Bolhão)

LISBOA
_1ª atuação
.no período das 08h30 às 10h30 (estação Cais do Sodré)
.no período das 09h às 11h (estação Alameda 2 e Marquês de Pombal 2)
_2ª atuação
. no período das 12h30 às 14h30 (estações Cais do Sodré/ Alameda 2 e Marquês de Pombal 2)
_3ª atuação
. no período das 17h30 às 19h30 (estações Cais do Sodré e Alameda 2)
. no período das 18h30 às 20h30 (estação Marquês de Pombal)

quarta-feira, 27 de outubro de 2021

PROGRAMA DE 27/10/21

1 - Fosco - Laço
2 - Conjunto Corona - Sempre a riffar
3 - Bateu Matou - Bandido feat Pité
4 - Conjunto!Evite - A vida agora
5 - Tiago Cavaco, Héber Marques, Tiago Bettencourt, Os Lacraus e Maria Cavaco - Toca Xutos
6 - Diva - O silêncio
7 - Joana Alegre - Canção do instante com Luísa Sobral
8 - Maria Mirra - Grito
entrevista Maria Mirra
9 - Maria Mirra - John Português
10 - Luta Livre - Mentalidades sem cortes
11 - Xeg - Meu rap
12 - Iguana Garcia - Bolero digital

I/O – CARLOS SANTOS | ULRICH MITZLAFF APRESENTAM NOVO CD

 




















Studies on Colour Field Modulation
I/O – CARLOS SANTOS | ULRICH MITZLAFF

Apresentação do novo CD em concerto ao vivo
No dia 6 de Novembro 2021, às 19.00h
Sede da Orquestra de Câmara Portuguesa - Associação Musical OCP
Rua Sofia Carvalho nº1, 1495-122 Algés, Oeiras
ENTRADA LIVRE | Reservas: +351 910 931 982, producao@ocp.org.pt

Neste concerto vai  ser apresentado o novo CD, "Studies on Colour Field Modulation" do duo I/O - CARLOS SANTOS | ULRICH MITZLAFF, com Carlos Santos (electrónica, objectos) e Ulrich Mitzlaff (violoncelo, objectos).

I/O existe desde 1998, e durante todos esses anos tocáram como um duo electroacústico no campo da livre improvisação e da composição em tempo real. Além de tocaem noutras constelações e contextos com músicos variados, a ideia do duo materializou-se em shows e performances. O conceito deste CD com a peça “Blau”, como pedra fundamental, surgiu de um destes concertos em 2014 no Museu Vostell de Arte Contemporânea, Malpartida de Carceres (Espanha), no Festival de Música Contemporânea com quase 30 anos de tradição.

Para este projecto de CD “Studies on Color Field Modulation” graváram uma nova versão de “Blau” que trabalha com materiais do quotidiano, neste caso alumínio enrolado em torno dos instrumentos que lentamente se desembrulham, revelando uma infinidade de afirmações musicais durante o desenvolvimento da peça, de forma quase “performativa”. “Orange” marca uma parceria mais dialéctica entre os músicos, compondo num contexto electroacústico.

As gravações ocorreram em Setembro de 2020 no estúdio da “Orquestra de Câmara Portuguesa (OCP)” em Algés-Oeiras, Portugal.

"Studies on Colour Field Modulation" está disponível para encomendar, ouvir e / ou download nos sites da dupla e no Bandcamp:

CARLOS SANTOS: https://carlossantos.bandcamp.com/
ULRICH MIZTLAFF: https://ulrichmitzlaff.bandcamp.com/

Está também disponível na Creative Sources Recordings: https://www.creativesourcesrec.com/catalog/catalog_708.html.

Todas as composições de CARLOS SANTOS e ULRICH MITZLAFF

Gravado, misturado, masterizado e desenho gráfico de CARLOS SANTOS
Produzido por CARLOS SANTOS e ULRICH MITZLAFF
Produção executiva de JOSÉ ERNESTO RODRIGUES
Creative Sources RecordingsAll rights reserved – 2021

WALES DON'T CRY COM NOVO SINGLE
















O topo da montanha é algo que nos faz respirar melhor e ver melhor. No entanto pode trazer-nos uma dicotomia de sentimentos que, tanto nos faz apaziguar como inquietar a mente, principalmente se ela está perdida.

"Mountain Peak" é fuga de nós próprios e, ao mesmo tempo, a descoberta de que só em nós reside a salvação que procuramos.

Whales Don't fly nasce no Norte de Portugal, em Trás-os-Montes, em Dezembro de 2018. Fortemente influenciados pela música progressiva impulsionada pela energia do Heavy Metal, com alguns traços de anos 90 e uma energia contagiante e, até, algo melancólica, construíram o conceito do seu primeiro álbum The Golden Sea.

Rafael Afonso (Voz e Guitarra), Jorge Rocha (Guitarra), César Bento (Bateria) e José Pedro Boura (Baixo), iniciaram as gravações em 2019 nos Blind & Lost Studios (Santa Marta de Penaguião) com Guilhermino Martins no comando (Serrabulho, ThanatoSchizO) dando, assim, os primeiros passos nesta jornada que é o seu primeiro disco.

Trata-se de uma jornada sinuosa com todas as virtudes e desvirtudes intrínsecas do Ser Humano. Um mistério que culmina na incógnita do desconhecido, numa abstração de sensações orquestrada pela composição dos músicos Transmontanos.

“Mountain Peak” é o primeiro mergulho que podemos dar neste mar dourado que revelará a essência da banda e a amplitude sonora que podem alcançar. Afinal, não as baleias não podem voar, mas nós podemos nadar com elas!

The Golden Sea será lançado em Janeiro de 2022 pelas mãos e selo da Raging Planet.

BATEU MATOU COM NOVIDADES

Novo single/vídeo, hoje em todas as plataformas

Quem é que decide qual é a diferença entre fura-vidas e empreendedor ?
E o que faz de um bandido, e de outro mero acusado?
É saldo no banco? O diploma na parede? A cor da pele? Ou é vergonha na cara?
A justiça não é cega e muito menos surda. Quem não se safa, ao menos dança.

“Bandido” é o novo single dos Bateu Matou com a participação do mano Pité, quase a sair para lançar aquele baile-mensagem, aquela batida-consciência, aquele dançar-para-esquecer-que-eu-amanhã-pago-a-multa.

Para todos e todas que já viram uma carta registada das Finanças penhorar a sua vida, para depois ligarem a TV e verem recém diagnosticados com Alzheimer a fazer com que a justiça se esqueça dos seus crimes, esta é para vocês."




FLORCAVEIRA TOCA XUTOS






















A canção “Toca Xutos” junta o Tiago Cavaco, o Héber Marques, o Tiago Bettencourt, os Lacraus e uma citação de C. S. Lewis pela Maria Cavaco (a filha mais velha do Tiago). Mais do que uma homenagens de fãs dos Rolling Stones portugueses, este som é uma celebração da amizade. Os Xutos & Pontapés são provavelmente a banda que no país melhor põe em melodia a nossa vontade de dar a volta por cima. Assim, tornam-se o pretexto perfeito para serem evocados como hino de um povo que nos braços traz o sinal da cruz eterna.

O tema, é lançado nas plataformas digitais na próxima sexta-feira 29.10.2021

LITTLE FRIEND AO VIVO






















A sexta edição do Festival Walk & Dance realiza-se de 28 a 31 de Outubro em Freamunde.

O centro urbano da cidade delimita o recinto que acolhe 4 palcos, cada um dedicado a uma linha programática, perfeitamente integrados nas suas ruas, espaços comerciais e outros locais de referência como a Sala de Teatro ou as antigas escolas convertidas em espaços dedicados à cultura.

No dia 28 de Outubro, Little Friend sobe ao palco. Os bilhetes estão à venda na Ticketline.

FOSCO APERTAM O LAÇO

Fosco junta Diogo Alves Pinto (Gobi Bear, Mathilda) e Gabriel Salgado (Ana), há muito unidos pela sua relação com a guitarra.

O primeiro começou a dar nas vistas há uma década, surgindo na cena folk com uns tenros 20 anos e rapidamente tornou Gobi Bear numa actuação de referência pela forma como explora sem medo e sem meios todos os sons que se podem tirar de uma guitarra, loopando-os e cantando sobre eles.

Gabriel Salgado tem-se afirmado, desde que se estreou em 2017, como um dos mais estimulantes músicos da sua geração. Inspirado por subgéneros como o post-rock e algumas derivações mais matemáticas, tem levado, na sua aventura a solo — Ana —, a sua música cada vez mais longe, tudo à custa da relação singular que desenvolve com a guitarra.

Juntos apresentam um conjunto de temas acústicos e instrumentais que nos levam a sítios onde nunca fomos e eles também não. É assim, fosco, este fim que se vê, mas que não é claro.
O vídeo, realizado por Eurico Machado, confunde-os com a paisagem e enlaça-os com a música.

terça-feira, 26 de outubro de 2021

PROGRAMA DE 26/10/21

1 – Vitor J. Moreira – Saudade
2 – Homem em Catarse – Rua do Souto deserta
3 – Rui Massena – 70 percent
4 – Tiago Sousa – The myth of sisyphus
5 – JP Coimbra – Brighter
6 – Joana Alegre - Canção do nnstante (c/ Luísa Sobral)
7 – Diva - Mariana

8 – Misfist Trauma Queen – Glass jaw
9 – João Vairinhos – Vénia
10 – Peak Bleak – II
11 – Sal Grosso – Amor sufi

ESPETÁCULO DE LUÍSA E SALVADOR SOBRAL COM MAIS UMA DATA EM LISBOA


 



















Luísa e Salvador Sobral anunciam hoje uma data extra para o seu espetáculo conjunto em Lisboa. Além do já anunciado dia 24 de Novembro, os irmãos voltam a subir ao palco do Teatro Tivoli BBVA no dia 25. Os bilhetes já estão à venda nos locais habituais.

Partilham o apelido e a elegância na composição. Luísa e Salvador Sobral são hoje considerados dois dos músicos mais importantes da nova geração de artistas portugueses. Juntos protagonizaram um dos episódios mais marcantes da história da música portuguesa, com a vitória no Festival Eurovisão da Canção em 2017. Desde então alimentaram a ideia de criar um espetáculo que explorasse a sua ligação fraterna através da música, num momento único de partilha entre irmãos.

O ciclo de concertos que junta pela primeira vez os irmãos em palco e que convida o público a embarcar numa viagem musical pelas memórias partilhadas de ambos, contou com quatro apresentações esgotadas no final do ano passado - duas no Teatro Sá da Bandeira, no Porto e duas no Teatro Tivoli BBVA, em Lisboa. No próximo dia 24 de Novembro, Luísa e Salvador Sobral actuam juntos pela quinta vez, num concerto previamente agendado para Janeiro, e despedem-se do público no dia seguinte. Os bilhetes para a segunda data já estão à venda.

"As nossas vozes foram durante anos o eco uma da outra. Cantamos juntos desde que nos lembramos e a nossa infância foi passada a aperfeiçoar a arte das harmonias e de “colar” as vozes ao ponto de parecerem uma só. Fomos crescendo e cada um foi trilhando o seu próprio caminho musical. Sempre soubemos que este dia ia chegar, o dia do nosso concerto, mas quisemos fazê-lo quando fez sentido para nós."

LUÍSA E SALVADOR SOBRAL

LUÍSA E SALVADOR SOBRAL

LISBOA
TEATRO TIVOLI BBVA
24 NOVEMBRO ÚLTIMOS BILHETES
25 NOVEMBRO SESSÃO EXTRA
21H00