quinta-feira, 1 de outubro de 2020

ANFIGURI DESAFIA A RAZÃO E PROVOCA A IMAGINAÇÃO



 
 
 
 
 
 
O sentido lúdico das palavras e as imagens contraditórias que provocam, desafiando a razão e provocando a imaginação, foi o mote do novo projecto de música portuguesa intitulado “Anfiguri”, que tem conceito, arranjos e produção de Eduardo Paes Mamede. Este projecto conta com um total de 10 temas, 8 dos quais são originais e 2 são canções tradicionais portuguesas revisitadas com novos arranjos. Carlos Guerreiro e Amélia Muge, participaram também, como autores, nesta viagem pelo universo do “Anfiguri”. Estes dois músicos aceitaram o desafio de escrever letras para 4 canções, num “discurso propositadamente ininteligível, de caráter burlesco ou paródico”, subordinado à intenção do autor de criar uma “obra de sentido confuso ou obscuro”, que ilustra os atuais tempos conturbados.

Esta obra inscreve-se no contexto da actividade musical de longos anos de Eduardo Paes Mamede dedicada à música popular portuguesa, de que se destaca uma especial linha de trabalho sobre as harmonias vocais femininas tradicionais, e pretende contribuir para a dinamização e disseminação deste género vocal.
 
Iniciado nos meses finais de 2019, este projecto sofreu com o confinamento a que todos fomos sujeitos, tendo o trabalho sido limitado aos possíveis contactos online. Finalmente, já em Julho de 2020, e ainda com todas as precauções, foi possível materializá-lo em estúdio.

Para além das vozes, o projecto conta com a participação de 8 músicos: Miguel Cruz (teclados), Carlos Falcão (guitarras), Raul Peralta (baixo), Cláudio Zacarias (bateria), João Balão (percussão), Vera Pereira (flauta), Paula Garcia (clarinete) e Irina Moscovciuc (violino).

Com apoio do Fundo Cultural da Sociedade Portuguesa de Autores, o Anfiguri é editado pela Ocarina que, ao longo de mais de duas décadas contribui para a divulgação nacional e internacional da música portuguesa. 

MANUEL DORIDO APRESENTA DOR



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Após ter lançado o primeiro álbum a solo - Dor - no período de confinamento, Manuel Dordio apresenta-o agora ao vivo, num concerto acompanhado por um filme de Joana Linda, realizado propositadamente para esta ocasião. Dia 13 de Outubro, às 22:00, no Cinema Ideal, em Lisboa.

Editado com o apoio da Fundação GDA, em Dor, Manuel Dordio explora territórios sonoros íntimos e ambientais à guitarra. Com composição, guitarras, electrónica e gravação de Manuel Dordio, a mistura e masterização do disco foram da responsabilidade de Pedro Faro, do Silver Donkey Studio. Os dois primeiros videoclips, realizados por Joana Linda, são Caldo e Layla, feitos a partir de imagens de duas viagens, que fazem parte do arquivo da realizadora.

Tanto os vídeos como a imagem gráfica de Dor são da autoria da fotógrafa e realizadora Joana Linda. A linha condutora é uma polaroid escolhida por Manuel Dordio para capa do disco. Uma imagem abstracta e pouco nítida onde se vislumbra parte de uma estrada e alguns ramos de árvores. A partir daí foi criado um universo onírico que junta imagens de natureza e animais, retiradas do arquivo pessoal da realizadora, e a manipulação digital, da mesma forma que no disco se juntam as guitarras e os sintetizadores.

Os bilhetes para o filme-concerto custam 8€ (preço único) e estão à venda no Cinema Ideal.

O disco está à venda em formato CD e digital, disponível no Bandcamp e demais plataformas.

Ficha artística:
Guitarra - Manuel Dordio
Vídeo arte - Joana Linda

Links:
Evento de Facebook
Bandcamp
Videoclip Caldo
Videoclip Layla
Instagram Manuel Dordio 

SONOSCOPIA COM NOVIDADES NO DIA MUNDIAL DA MÚSICA



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Dia Mundial da Música = Duas Novas Edições

01 de Outubro, Dia Mundial da Música. Em tom de celebração, a Sonoscopia assinala a data com duas novas edições que recuperam trabalhos de anos anteriores. A primeira é “Lastro”, uma composição de Gustavo Costa que serviu de banda sonora à peça da coreógrafa e bailarina Né Barros estreada em 2015 - um único e longo tema onde predomina a electrónica e que conta ainda com Angélica Salvi na harpa e Cristina Mateus na percussão. A segunda edição, intitulada “Matriz”, é um exercício sonoro em torno dos paradigmas relacionados com sinais digitais e redes de difusão de música, assim como uma tentativa de desenvolver software que permita a gestão de múltiplos canais áudio e a sua relação com a Internet; “Matriz”, gravado em 2016, resulta dessa exploração e da interacção entre três ensembles em três cidades diferentes - Lisboa, Montemor-o-Novo e Porto; num esforço para manter a dimensão de imersão e colaboração apesar da distância física existente. Contribuíram para esta criação os músicos João Bastos, João Sofio, Rodolfo Pimenta, Tiago Fróis, Gustavo Costa, Henrique Fernandes, Nuno Torres e Ricardo Jacinto. Esta edição é também o resultado da cooperação entre as Oficinas do Convento, Osso, Sonoscopia e a rádio Stress.fm.

“Lastro” e “Matriz” estão disponíveis a partir de hoje em formato CD e digital e podem ser escutadas e adquiridas no Bandcamp da Sonoscopia.
 

TIM AO VIVO



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

20-20-20, um novo trabalho para celebrar os 60 anos do Artista. 


Tim juntamente com Nuno Espírito Santo, Moz Carrapa, Sebastião Santos e Vicente Santos, estreará o seu novíssimo trabalho no palco da Culturgest, no próximo dia 03 de outubro. 


Um espetáculo a não perder!

MEMA. EDITA EP DE ESTREIA "CIDADE DE SAL" DIA 09 DE OUTUBRO COM PRÉ-VENDA A PARTIR DE AMANHÃ


 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
“Cidade de Sal”, o EP de estreia da compositora, guitarrista e cantora portuguesa mema. vai finalmente ser editado dia 09 de outubro em formato físico e digital, em pré-venda a partir de amanhã. Deste primeiro registo de estúdio já são conhecidos os singles “O Devedor”, “Perdi o Norte” e “Outro Lado”. No dia do lançamento vai ainda ser possível assistir à apresentação oficial do EP através de um showcase transmitido em exclusivo no YouTube oficial da FNAC, às 19h00.

Já amanhã, dia 02 de outubro, mema. vai ter oportunidade de voltar a saborear um espetáculo ao vivo fora de casa, com um concerto em Praga no Festival Lusófona, organizado pelo Instituto Camões dessa cidade. O evento que acontece todos os anos para promover a língua e a cultura lusófona, decorre durante três dias e conta com vários artistas e actividades. Este será o primeiro concerto fora enquanto mema. e contam-se com novas datas para 2021.

mema. representa a desconstrução do folk, assim como a sua colisão com o indie eletrónico e a música pop através de uma busca pela cultura e música tradicional portuguesa, conseguida graças à fusão de instrumentos como o adufe, a guitarra portuguesa e a flauta. A eletrónica influenciada por Berlim e por artistas como Röyksopp, Fever Ray, Azam Ali, Baiuca, a pop entranhada pelas palavras sofridas de Lykke Li, pelo experimentalismo apelativo de Björk, por fortes artistas nacionais como Madredeus e António Variações.
 
SHOWCASE DE APRESENTAÇÃO DO EP EM EXCLUSIVO NO YOUTUBE DA FNAC DIA 09 DE OUTUBRO ÀS 19H00 

ARTISTA ESTREIA-SE AMANHÃ EM PRAGA COM UM CONCERTO AO VIVO NO FESTIVAL LUSÓFONA 
 

PALMERS LANÇAM NOVOS TEMAS


'

 

 

 

 

 

 

 

 

 

As novas músicas terão edição física em cassete e já estão disponíveis nas plataformas digitais

Depois de um longo período sem concertos, os Palmers voltaram à sala de ensaios para gravar dois temas escritos na altura do último EP “Running Thoughts” (lançado em 2019 pela Ciudad Oásis). 

GLA’ e ‘One More Day’ continuam o legado de ritmos contagiantes da banda caldense, adicionando agora temática nostálgica aos sons rasgados a que já nos habituaram. 

GLA’ é sobre a primeira viagem que o grupo realizou, à cidade de Glasgow, na Escócia, e reflete “o sentimento de procura por um lugar onde realmente nos sentimos confortáveis e com o qual nos identificamos”.
Já ‘One More Day’ teve origem em bloqueios criativos e falta de motivação e “expressa o quotidiano e a acomodação mas também o desejo de não desistir porque no fundo todos os dias são uma nova oportunidade”.

Os dois temas são agora lançados em conjunto por se complementarem ao serem antagónicos: um fala da procura constante pela novidade e o outro reflete a prisão da rotina apesar de haver uma vontade de a ultrapassar.

A banda gravou as duas novas músicas na sua sala de ensaio e é também responsável pela produção das mesmas. A masterização ficou a cargo de Pedro Adelino. A fotografia de capa do lançamento foi tirada por Raquel Custódio em Kelvingrove Park, Glasgow.


Os Palmers formaram-se nas Caldas da Rainha em 2017 e são compostos por Cláudia Brás (baixo, voz), Raquel Custódio (voz, bateria) e Vasco Cavalheiro (guitarra). Com dois EPs já lançados - “Younger Days” em 2018 e “Running Thoughts” (pela editora espanhola Ciudad Oásis em 2019) - passaram por salas e festivais como o Sabotage, Maus Hábitos, Musicbox, Barreiro Rocks e Black Bass, partilhando palcos com bandas como Iceage, The Last Internationale, The Parkinsons e Los Nastys. 
 
Ouvir:

O BARCO DE FADO LELÉ DEU À COSTA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sabor aveludado embala-se agora n'"O Barco Deu À Costa", o tema de abertura de Pop Gourmet.

Qual tropa especial
Relembrámos o chão
A recruta animal
Corpos de intervenção
Qual hino nacional
Mas qual revolução
Abanámos Portugal
Na hora, na hora da invasão.

Pop Gourmet - o segundo álbum de Fado Lelé - foi editado a 21 de Março. 

O tempo de reclusão foi aproveitado para a realização do vídeo de "Tuga de Gema", realizado no melhor espírito stay at home e produzido em casa a partir de uma atribulada sessão de fotos, bem à maneira de FADO LELÉ, com Ana Castelo (voz) e Miguel Castro (ukulele), o videoclip conta ainda com a participação especial de Maggie, uma cadela irrequieta e brincalhona e pelos vistos com qualidades canino- artísticas. A captação das imagens ficou a cargo da jovem Maria Ferreira ( filha da Ana/ prata da casa) e a edição foi feita por Paulo A.M. Oliveira, também de quarentena a vários km de distância, que anteriormente realizou alguns videoclips do grupo.

Ingredientes : 1 telemóvel, alguns ukuleles, inspiração lelé q.b., uma boa dose de amor ao público. E está pronto a servir.

NOVO SINGLE DE RANATO JÚNIOR

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Renato Júnior lança novo single e anuncia para 25 de Novembro concerto no Teatro Maria Matos em Lisboa. O músico, produtor e compositor terá entre os convidados as cantoras que participaram no disco “Uma Mulher Não Chora” editado no final do ano passado. Uma delas é Katia Guerreiro com este “Quando Morre o Amor”

Depois de “Vou” com Rita Redshoes, de “Queria” com Lúcia Moniz, de “Para Lá da Pele” com Soraia Tavares, de “A Vida Que Eu Quiser” com Sofia Escobar , e de “O Dia Que Aí Vem” com Ana Bacalhau, é a agora a vez de ser apresentado o vídeo de “Quando Morre o Amor” com Katia Guerreiro.

A 25 de Novembro no Teatro Maria Matos em Lisboa a não perder todas estas talentosas cantoras num concerto único que assinala o Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra as Mulheres.

Renato Júnior – “Uma Mulher Não Chora”
Teatro Maria Matos – Lisboa
25 de Novembro – 21:00H

BILHETES À VENDA AQUI!

MARIA EMILIA NO CCB




 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em concerto no Centro Cultural de Belém, no próximo dia 9 de Outubro.

Bilheteira (link) | Evento oficial (link)

Maria Emília regressa aos palcos já no próximo dia 9 de Outubro.

O concerto acontece no Centro Cultural de Belém, numa noite em que Maria Emília levará à sala lisboeta a emoção que se vive nas típicas casas de fado.

Foi ainda muito jovem que Maria Emília se revelou um dos mais promissores talentos do fado, tornando a música sua companheira de viagem, enquanto vivia quer em Portugal, quer no Brasil, onde nasceu.

Depois de 15 anos dedicados a esta arte, em 2018 editou o seu disco de estreia com selo Valentim de Carvalho. "Casa de Fado" é ainda distribuído na Alemanha, Áustria, Suíça, Holanda, Bélgica, Luxemburgo e Espanha.

2018 foi também o ano dos seus primeiros concertos internacionais na Argélia, Espanha, Reino Unido, França, Itália e Brasil; seguindo-se um 2019 onde Maria Emília viu estrear a sua voz em Nova Iorque (NY Fado Festival), África do Sul, Suécia, Holanda e Lituânia.

Os bilhetes para o concerto de 9 de Outubro no Centro Cultural de Belém estão já disponíveis (link).

Mais informações no evento oficial: www.ccb.pt/evento/maria-emilia.


Álbum "Casa de Fado" já disponível em CD e plataformas digitais:
Spotify »
iTunes / Apple Music »
Tidal »
Todas as plataformas »


Redes Sociais:
YouTube »
Instagram »
Facebook »
 

MIGUEL MOUTA - "AMOE ESFERATO"

DISCO DE ESTREIA DE CABRITA



CABRITA - "Caravan" (feat. The Legenday Tigerman) é o terceiro de quatro videos realizados por Miguel Leão e retrata uma "Lisboa noturna e misteriosa à procura de um universo utópico", refere Fernando Nobre aka Silk, protagonista da curta-metragem, acompanhado de Mauro Herminio, Érica Rodrigues e João Cabrita.

Em trinta anos, o saxofonista João Cabrita passou por formações como Sitiados, Kussundulola, The Legendary Tigerman, Dead Combo, Sérgio Godinho, Orelha Negra ou Cais Sodré Funk Connection e gravou mais de cem discos na música nacional. 

CABRITA é a estreia a solo, explorando fronteiras entre géneros musicais e convocando muitos dos parceiros a colaborarem, como Sam The Kid, Legendary Tigerman, Tó Trips, Selma Uamusse, Gui, Ivo Costa, Hélio Morais, João Gomes, Sandra Baptista, David Pessoa, Milton Gulli, João Baptista .. 

“VENTO NORTE” É O PRIMEIRO SINGLE DO NOVO ÁLBUM DE MANUEL DE OLIVEIRA


 



 
 
 
 
 
 
 
O Dia Internacional da música (1 de Outubro) foi a data escolhida para o lançamento de “Vento Norte”, o primeiro single do novo álbum do guitarrista Manuel de Oliveira.

“Entre - Lugar” chega no dia 30 de Outubro e sucede a “Ibéria” (2002), Amarte (2006) e “Ibéria Live” (2016).

Com um vasto percurso internacional, Manuel de Oliveira é considerado unanimemente, pela crítica e pelo público como um dos melhores e mais prolíficos guitarristas compositores da actualidade. O seu desenvolvimento artístico tem-se sempre norteado, quer por uma busca interminável de influências, quer por uma eclética partilha de experiências.

Para “Entre-Lugar”, Manuel de Oliveira partiu da sua reconhecida identidade ibérica, acrescentando-lhe cores e sabores de outras paragens, cruzando o étnico com o urbano, a música africana com o fado, o flamenco com o tango, numa vasta simbiose multicultural.

A viola Braguesa desempenha nesta multiculturalidade um papel determinante, já anteriormente explorada no disco “Ibéria” mas aqui e agora com uma presença mais vincada e decisiva. A Braguesa, graças à sua sonoridade algures entre a dolência da Guitarra portuguesa e o exotismo da Mandola árabe, confere a “Entre-Lugar” o seu verdadeiro sentido, de identidade inquieta, sem preconceitos e ao mesmo tempo repleto de autenticidade de entre os lugares da identidade portuguesa.

AGENDA LADOOPOSTO



 

 

 

 

 

 

 Frankie Chavez

Dia 1, Casinha c/ Xutos e Pontapés | Livestream
+info 

Dia 25, Village Underground | Lisboa
+ info


Vila Martel

Dia 10, Final EDP Live Bands | Lisboa

Dia 24, Showcase FNAC | Streaming Facebook FNAC

The Legendary Tigerman

Dia 10, BB Blues Fest | Moita
+info


Dia 17, Westway LAB | Guimarães
+info

quarta-feira, 30 de setembro de 2020

PROGRAMA DE 30/09/20

1 – Pedro Joia – Balada do outono
2 – Grutera – Fica entre nós
3 – Homem Em Catarse – Yo la tengo
4 – André Henriques – As melhores canções de amor
5 – Flávio Torres – Olá meu bem
6 – Samuel Úria – O muro
7- JP Coimbra – For afar
8 – Caixa de Pandora – Teias de seda

9 – Bia Maria – Dissabor
10 – Elisa Rodrigues – Estranha forma de vida
11 – Jasmim – Aqui não falta nada
12 – Salvador Sobral – Mano a mano – (reprise com António Zambujo)
13 – Ricardo Ribeiro – Depois de ti
14 – André Amaro – Amor de mel amor de fel
16 - Rogério Charraz - Abaladiça

NO SALÃO BRAZIL


 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Sexta, 02 de Outubro, 21h30
WIPEOUT BEAT

Os Wipeout Beat são a banda de três veteranos da cena musical conimbricense. Carlos Dias, Pedro “Calhau” Antunes e Miguel Padilha passaram ou estão em bandas como, Bunnyranch, Subway Riders, Garbage Catz, Objectos Perdidos entre outras, que deram à cidade a sua diversidade sonora, tão bem conhecida.

Uma panóplia de teclados, três vozes e uma guitarra, soam ao mais sujo do garage, mas também aos sons minimais dos Suicide ou de Philip Glass, tudo ao ritmo de uma uma velha caixa-de-ritmos Roland CR-8000, que faz com que seja impossível não bater o pé. Produzido nos Estúdios Blue House, em Coimbra, “Small cities big thoughts” foi editado em 2018 pela Lux Records e é o resultado de ano e meio de longas e divertidas noites, a descobrir, explorar e criar música simples para gente descomplicada que gosta de dançar/rockar.

Bilhetes à venda em BOL.pt e nas lojas parceiras.
Bilhete Pré-Venda: 5€

Sábado, 03 de Outubro, 21h30
TOMÁS MARQUES QUARTETO
 
Banda formada pelo saxofonista que lhe dá nome, propositadamente para o Prémio Jovens Músicos Antena 2 2019 (Jazz Combo).

Sendo todos alunos da Escola Superior de Música de Lisboa, Tomás reuniu estes amigos para o concurso, avançando assim com um novo quarteto. Tomás Marques no saxofone, Samuel Gapp no piano, Rodrigo Correia no contrabaixo e Diogo Alexandre na bateria têm tocado com os maiores nomes do jazz português e cada vez mais solidificando estes novos nomes no Jazz em Portugal. À volta de um jazz moderno e cheio de influências, tocam composições do saxofonista.

Bilhetes à venda em BOL.pt e nas lojas parceiras.
Bilhete: 7€ em Bol.pt - 5€ nas Lojas Parceira

NOVA SUPER BANDA DA LOVERS & LOLLYPOS

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Corria Março e o país estava fechado. Com ele, as pessoas isolavam-se, os clubes trancavam portas, as bandas recolhiam os instrumentos ainda sem saber quando poderiam voltar a trazê-los para um palco, fronte a uma plateia. Um cenário pós-apocalíptico parco em encontros, onde emergem novas formas de contacto e de criação, revestidas da urgência de registar, como sempre foi caro à cultura, o momento que a rodeia. É neste universo que surge este Septeto Interregional, uma espécie de super banda composta por sete artistas de diferentes localizações geográficas e linguagens, a quem a Lovers & Lollypops e o Musicbox lançaram um desafio: criarem um disco colaborativo que, saindo deste tempo, pudesse viver numa realidade paralela qualquer. Ariana Casellas (Sereias), Mr. Gallini (Stone Dead), Rafael Ferreira (Glockenwise), Rodrigo Carvalho (Solar Corona), Violeta Azevedo (Savage Ohms) e Zézé Cordeiro (Equations) partiram do online para o físico para nos entregarem, hoje, o primeiro tomo de um disco que terá edição online no início de outubro e uma versão em concerto para ser apresentado à reaberturta de portas do clube lisboeta, onde se juntarão ao artista visual Serafim Mendes, o sétimo elo deste projecto. O single, Para Que Te Sorprendas, pode já ser ouvido no bandcamp da editora.
 

LUÍS SEVERO NO TEATRO MARIA MATOS


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Luís Severo volta a reunir a banda no Teatro Maria Matos.
Bilhetes à venda na Ticketline e pontos de venda habituais.

Com apenas dois LP's editados - o independente e bem recebido “Cara d’Anjo” (2015, Gente Records) e o aclamado “Luís Severo” (2017, Cuca Monga/Sony Music) - Luís Severo era já um dos cantautores de canções mais consensuais da sua geração.

Desde a edição do disco homónimo na primavera de 2017 percorreu Portugal sozinho até ao verão de 2018, no qual passou pelos principais festivais em formato banda.

Em Maio de 2019 lançou integralmente e sem qualquer aviso “O Sol Voltou”, outra vez pela Cuca Monga em parceria com a Sony Music. O terceiro disco chegou com o choque concordante entre o acústico e o electrónico, contendas conciliantes líricas e pleno de contrastes imagéticos, fazendo Luís Severo afastar-se do que já por si foi feito sem nunca perder o centro que o particulariza.
 

Passado mais de um ano a apresentar “O Sol Voltou” com um formato arrojadamente solitário, Luís Severo retoma o plano adiado de reunir a banda - Bernardo Álvares, Catarina Branco e Diogo Rodrigues - dando às suas músicas uma textura mais próxima das que tão aprimoradamente produz em estúdio.

ULRICH MITZLAFF COM NOVO DISCO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"transparent - fluorescent sound fibres" contém duas peças, como duas variações da mesma ideia, mas com superfícies diferentes. As duas composições, criadas com o conceito de livre improvisação e composição instantânea, demonstram uma grande proximidade com a chamada “Música Exploratória Contemporânea Europeia”. Todos os instrumentos são tocados por mim. As gravações foram misturadas e masterizadas por Emídio Buchinho.

“transparent - fluorescent sound fibre #1” - for violoncello & objects (22:31)

“transparent - fluorescent sound fibre #2” - for piano & objects (20:30)

Tempo total (43:05)

Composição de Ulrich Mitzlaff
Violoncelo, piano de cauda e objectos tocados por Ulrich Mitzlaff
Gravado em 2015 e 2020
Misturado e masterizado por Emídio Buchinho
Design e Layout por Carlos Santos
Produção executiva de José Ernesto Rodrigues
Creative Sources Records, released 2020
All rights reserved

CRISTOVAN COM NOVO SINGLE EM BREVE





 
 
 
 
 
 
 
 
 
Há muito que a música é a grande paixão de Cristóvam. Seria, no entanto, no decurso do corrente ano que o jovem cantautor originário dos Açores ganharia a notoriedade há muito merecida, graças ao tema “Andrà Tutto Bene”, que se converteu internacionalmente no hino de resistência à pandemia.

“Setting Sun” é o primeiro single retirado do segundo álbum de originais de Cristóvam, com edição agendada para 2021. Foi gravado entre os Estúdios Namouche, em Lisboa e o estúdio do próprio artista, na Ilha Terceira dos Açores, em pleno Oceano Atlântico:

“Comecei a compô-lo em 2018, quando estava de férias na Sardenha com a minha namorada, e não lhe dei grande seguimento, até que, este ano, devido ao trágico acontecimento que transformou o mundo num lugar deveras estranho, aqueles rascunhos que já tinha escrito ganharam novo significado e relevância. Tive a sorte de encontrar um refúgio perfeito no meu recanto e bem longe de tudo, no meio do Atlântico, concluí esta e outras canções que farão parte deste disco. A letra de “Setting Sun” fala de duas pessoas que estão de tal modo interligadas que, sem dar conta, atravessam a maior das tormentas como se só para elas o mundo fosse um lugar tranquilo e sereno.”

O videoclip de “Setting Sun”, a ser apresentado muito em breve, foi realizado por Pedro Varela (Andrà Tutto Bene) e percorre as nove ilhas dos Açores.
O filme é protagonizado pela actriz Joana de Verona e produzido pela Blanche Filmes:

“Sempre tive o sonho de ter um videoclip que mostrasse ao mundo o sítio onde tive o privilégio de nascer e crescer, os Açores. Quando começámos a pensar num vídeo para esta canção, achei que esta seria a altura certa para isso e, naturalmente, pensei logo no Pedro Varela para o realizar. Foi ele quem fez o filme de Andrà Tutto Bene, e é também ele o realizador que assina os filmes internacionais do Visit Portugal que têm mostrado ao mundo o melhor que o nosso país tem para oferecer. O Varela escolheu a Joana de Verona para ser a protagonista desta história e, com o apoio da Direção Regional de Turismo, conseguimos percorrer o arquipélago e fazer um filme memorável que nos orgulha a todos."

O single “Setting Sun” tem edição agendada para o próximo dia 9 de outubro.

NOVO SINGLE DE MAUDITO



Oriundo do Porto, Maudito – ou Weis até 31 de Dezembro de 2019 – começou a brincar com palavras por volta de 2009.


Em 2014 lançou a primeira mixtape “Preso a Ideias Soltas” e logo a seguir, em 2015 o seu icónico single “Spread Weis Not Aids” muito bem recebido pelo público. Nos anos seguintes lançou diferentes singles soltos e ainda uma compilação de sons perdidos chamada “Palavras Atropeladas”. Já em 2016 juntou-se ao seu produtor e também rapper – Virus – e juntos lançaram o EP “Agora ou Nunca”.


Depois deste projecto Weis lançou vários singles soltos como “Isso Era Tudo Escusado”, “Leva-me Para Longe”, “Um Nome Confuso” e, no início de 2020, alterou o seu nome para Maudito e anunciou um EP com o produtor Beiro. Vários nomes, fases, sonoridades, quartos, cores e companhias que fizeram Maudito criar Troca Tintas. Ao longo dos 7 temas podemos encontrar uma escrita cuidada em cada devaneio e ainda a participação de Dj Ketzal, Sien e João Não em diferentes faixas.

Para além desta novidade, o Maudito foi escolhido como um dos Novos Talentos Fnac 2020 e vai actuar amanhã (dia 1 de outubro) no Fnac Live Box Edition, no Coliseu dos Recreios.

Por enquanto, o Maudito pede-nos "Calma", no single que sai hoje (dia 30 de Outubro).