quarta-feira, 29 de março de 2017

ROQUE LANÇA DISCO




















Canções do compositor e guitarrista João Roque, onde se fundem influências do rock e jazz numa estética particular, privilegiando melodias cativantes e ambientes sonoros com forte componente imagética.

João Roque - composição, guitarra elétrica & acústica
João Capinha - saxofone alto & soprano, clarinete baixo
Xico Santos - contrabaixo
David Pires - bateria

THE LAZY FAITHFUL AO VIVO










FESTIVAL DE CORROIOS


terça-feira, 28 de março de 2017

MÚSICOS DO ALGARVE DÃO VOZ PELA SERRA DE MONCHIQUE












Em Setembro de 2016 um violento incêndio devastou a Serra de Monchique. Uma tragédia ecológica, económica e social que assolou a região algarvia e que chocou o País.

Com vontade de ajudar, nasceu um projeto de esperança. Unidos por uma causa nobre, músicos algarvios ofereceram-se para contribuir para a recuperação florestal da serra com um tema original ou previamente gravado, para um disco intitulado "Terra".

Mauro Amaral, Azinhaga, Viviane, OrBlua, Flor de Sal, Helena Madeira, Migna Mala, Argonautus Ensemble, Storm & the Sun, João Lum e Os Cantores de Monchique, emprestam o seu talento para esta compilação, produzida pela Fungo Azul e com o apoio da Câmara Municipal de Monchique que estará à venda pelo preço simbólico de 4 euros e cujos lucros revertem na totalidade para as ações de reflorestação.

"Terra" são 45 minutos do melhor da música algarvia, onde podemos encontrar temas compostos e gravados especialmente para esta compilação por Azinhaga, Orblua, Helena Madeira e Argonautus Ensemble. Os músicos Mauro Amaral, Migna Mala e Storm & the Sun libertaram temas em avanço dos seus trabalhos que serão brevemente editados. Viviane regravou o tema "A vida não chega". E por sua vez, os grupos Flor de Sal e João Lum cederam músicas previamente editadas e os Cantores de Monchique cederam um tema gravado mas nunca editado.

Uma forma de mostrar que a comunidade artística em conjunto com todos os cidadãos poderem contribuir para ajudar uma causa que é um bem essencial a todos nós: a Floresta!

Sob o lema "Música pela Floresta", esta obra promete ajudar a impulsionar um impacto verde sobre a serra de Monchique.

A apresentação do projeto tem lugar no dia 1 de Abril pelas 18:30 na Feira do Medronho em Monchique e conta com atuação de Helena Madeira e dos OrBlua.

TERRA
Mauro Amaral – O Nosso Amor
Azinhaga - Vida Dura
Viviane - A vida não chega
OrBlua - Terra Ardente
Flor de Sal – Quero ver sempre as Estrelas
Helena Madeira - Algarve
Migna Mala – Emareom
Argonautus Ensemble - Fogo
Storm & the Sun – Brethe Me
João Lum – Podemos Mudar
Cantores de Monchique – Vou tantas vezes à Bruxa
 

VAARWELL COM NOVIDADES

Foi hoje estreado pela internacional Clash Magazine o vídeo do tema que dá o nome a «Homebound 456», o disco de estreia de Vaarwell que chegou às principais plataformas online no passado dia 10 de Março. Isto depois da banda ter dado a conhecer em Fevereiro o tema e vídeo de «YOU», o primeiro single que já roda em diversas rádios nacionais e internacionais, incluindo a britânica BBC Radio 1, e que atingiu mais de 70.000 audições no Spotify após poucas semanas online.

O vídeo, que foi realizado por Daniela K. Monteiro e que conta com a participação da modelo Margarita Pugovka, pode ser visto no site da Clash Magazinem onde o tema foi considerado track of the day – notícia aqui.

Os Vaarwell, que se apresentarão ao vivo na Casa Independente este sábado, 1 de Abril, numa noite Casa Ardente, são uma banda nascida em Lisboa em finais de 2014 e composta por Margarida Falcão (voz, guitarras, teclados e sintetizadores), Ricardo Nagy (guitarras e teclados) e Luís Monteiro (baixo e sintetizadores). Ao vivo, são acompanhados por André Paiva e Tomás Borralho.

O EP de estreia da banda, «Love and Forgiveness», saiu em 2015 e chamou à atenção de alguma imprensa nacional e internacional, tendo o vídeoclip do single «Perfectly Fine» sido estreado na internacional Stereogum. O single «Branches» foi ainda escolhido por Henrique Amaro para integrar a colectânea Novos Talentos FNAC nesse ano. Recentemente, um tema inédito da banda foi incluído na banda sonora duma exposição do Philippe Starck no Groninger Museum (Holanda), apresentada no âmbito do festival Eurosonic Noorderslag 2017.

Este disco contem 12 temas escritos por Margarida Falcão (música e letras) e Ricardo Nagy (música e produção) e foi gravado por Joaquim Monte no Namouche Estúdio, misturado e co-produzido por Paulo Mouta Pereira e masterizado por Miguel Pinheiro Marques (SDB Mastering). Para além dos Vaarwell, o disco conta ainda com a participação de Tomás Borralho (Anthony Left) e Diogo Teixeira de Abreu (Lotus Fever) nas baterias, Paulo Mouta Pereira (David Fonseca) no piano e Bernardo Afonso (Lotus Fever) nas teclas. ​O design foi da responsabilidade d​e Manuela Abreu Peixoto.
 
Sobre os Vaarwell ​na Clash Magazine:

​Lisbon trio Vaarwell have a rich sense of sound.

The group pay impeccable attention to the production of each track, with the three-piece entering dream-like realms with unbelievable clarity.

Debut EP 'Love And Forgiveness' offers stunning R&B charms, matching moving, poetic vocals to some crisp, enthralling beats.

The trio's debut album is incoming, with Clash able to share the supple, subtle title cut 'Homebound 456'.

Singer Margarida Falcão explains: "This track was the last one on the album to be written. It talks about having arguments. Getting fired up and then realizing it's just not worth it. Although we were listening to a lot of R&B during the whole album's writing process, this is probably the most R&B-influenced track we have ever written and maybe that's why it's special for us".

There's a sense of resolution in the track, of reaching an impasse and then returning to the start. Imbued with remarkable calm, the aural self-control is entrancing...


NO SALÃO BRAZIL














THE POPPERS
31 Mar, Sex, 22h30
Concerto incluído no Festival Santos da Casa 

Os The Poppers assumem com orgulho a herança do RocK'N'Roll. Sentem-se bem, sobretudo, a tocar ao vivo. Têm tanto de imprevisíveis como de perfeccionistas, sempre com grande qualidade aliada à espontaneidade. Não é raro haver convidados especiais no palco. O seu novo e muito recente disco de originais, ‘Lucifer’, foi produzido por Paulo Furtado (The Legendary Tigerman/ WrayGunn).
Bilhete: 5€

INDIGNU + RATERE
Abril, Sáb, 22h30

Três anos depois, Afonso Dorido (guitarra e baixo), Graça Carvalho (violino, metalofone e sintetizadores), Helena Silva (violino), Jimmy Moom (guitarra), Mateus Nogueira (baixo, guitarra,piano) e Paulo Miranda (bateria) regressam ao Salão Brazil. Quem viu os INDIGNU naquela altura, sabe as razões pelas quais não deve perder a apresentação de Ophelia, novíssimo disco do sexteto barcelense.
 
Por sua vez, os RATERE apresentam o seu primeiro longa-duração, intitulado POTA.

Bilhete: 5€

AMOR ELECTRO NO MARÉS VIVAS











Desde a sua estreia em disco, os AMOR ELECTRO não têm parado de crescer, tendo-se já tornado num projeto de referência no panorama musical português.

Com dois álbuns editados, “Cai o Carmo e a Trindade” (2011), “(R)Evolução” (2013) e já a trabalhar no terceiro disco, os AMOR ELECTRO contam com vários sucessos, entre os quais, “A Máquina”, “Rosa Sangue”, “Mar Salgado”, “Juntos Somos Mais Fortes”, e o mais recente “Sei”.

A junção entre a modernidade e o tradicional, entre as raízes populares e a eletrónica é posta à prova em cada espetáculo pelos músicos Tiago Pais Dias, Rui Rechena, Ricardo Vasconcelos e Mauro Ramos, a acompanharem a voz carismática e inconfundível de Marisa Liz, numa simbiose de energia eletrizante entre artistas e público, que é característica desta banda.

Um espetáculo emocional, intenso e uma experiência única para todo o público é a promessa para o palco do MEO Marés Vivas. Uma noite memorável, vivida e cantada em uníssono, até porque “Juntos Somos Mais Fortes”!

Dia 15 de Julho no MEO Marés Vivas, a energia e a emoção sobem ao palco com muito… AMOR ELECTRO.”

MAIS INFORMAÇÕES:
http://www.amorelectro.com/
https://pt-pt.facebook.com/AmorElectroPT

BILHETES E PONTOS DE VENDA
O preço dos bilhetes para a edição de 2017:
Bilhete Diário: 35.00 eur
Passe Geral: 60.00 eur
Passe Geral VIP: 150.00 eur

Locais de venda: Ticketline, Blueticket, FNAC, CTT, masqueticket.com

PROGRAMA DE 28/03/17

1 - Tiago Machado - Soundlapse
2 - Sweet Nico - Fade into you
3 - The Poppers - Peyote
4 - João Hasselberg & Pedro Branco - Sisyphus back pain
5 - Captain Boy - Diablo
6 - Megafone - Terço da quaresma
7 - Omiri ft Capicua - País colmeia
8 - Luiz Caracol - Por acaso
entrevista Luiz Caracol
9 - Luiz Caracol - Falhou na dança
10 - Ala dos Namorados - Noites da Madeira
11 - As 3 Marias - Ruga de expressão

WORKSHOP DA AMEI




















É já nos próximos dias 4 e 22 de Abril que a AMAEI retorna, respectivamente, ao Centro de Inovação da Mouraria e à Casa da Música com o workshop "Editar um Disco – Da Edição de Autor à Criação de uma Editora Independente”.

Com uma actividade cada vez mais premente na construção de estruturas e conhecimento para levar a música portuguesa e os seus criadores além-fronteiras, a AMAEI regressa com mais um workshop que apresentará, desta feita, em Lisboa e no Porto durante o mês de Abril, focado na edição discográfica e nos vários passos necessários para o lançamento de discos ou criação de uma editora independente.

O workshop "Editar um Disco – Da Edição de Autor à Criação de uma Editora Independente” decorre, assim, em Lisboa a 4 de Abril na Sala Multiusos do Centro de Inovação da Mouraria, e no Porto a 22 de Abril na Sala de Ensaios 10 da Casa da Música. Ambos têm início apontado para as 15h00.

Os workshops contarão com uma apresentação realizada pela AMAEI e com a presença de alguns editores independentes nacionais que partilharão a sua experiência. São direcionados a todos os que pretendem editar um disco ou pensam criar a sua editora, mas têm dúvidas sobre os passos a tomar, tratando-se de uma formação genérica e indicada a quem se inicia na edição fonográfica.

Ambos os workshops são abertos ao público e necessitam de inscrição por e-mail (ana@amaei.org), custando esta 10€, ou sendo de acesso gratuito a associados AMAEI. Em Lisboa, as inscrições estão abertas até às 17h00 de dia 3, e no Porto até às 17h00 de dia 21.

Sobre a AMAEI:
A AMAEI, Associação Profissional de Músicos Artistas e Editoras Independentes em Portugal, é uma Associação Profissional Fonográfica que reúne os Produtores Fonográficos Independentes em Portugal, sejam eles editoras independentes ou músicos artistas auto-editados. É associada da WIN e da IMPALA. Defender, unir, organizar e promover o setor da música independente nacional, tanto em Portugal como no estrangeiro, é a sua missão

DOURO ROCK










11 e 12 de Agosto  - Peso da Régua

O DOURO ROCK reforça a aposta na melhor música nacional na segunda edição do festival que se realiza dias 11 e 12 de Agosto no Peso da Régua. GNR, Blind Zero, Linda Martini, Capitão Fausto, You Can’t Win Charlie Brown, Marta Ren & The Groovelvets, Piruka e Bed Legs são os protagonistas de duas noites de festa na margem do rio Douro. Pop, rock, indie, funk, soul e hip-hop são os géneros musicais representados no DOURO ROCK num festival 100 por cento português onde as novas gerações da música se cruzam com nomes mais consagrados.

Tendo uma das paisagens mais bonitas do mundo como cenário, o DOURO ROCK instala-se junto às piscinas da Régua proporcionando uma experiência plena. Mais do que um festival de música, o DOURO ROCK promove o que de melhor esta região demarcada tem para oferecer. Património da Humanidade pela Unesco, o Douro apresenta-se como uma alternativa no concorrido calendários de festivais em Portugal e convida o público a conhecer a região ao som da melhor música nacional.

Recorde-se que a primeira edição do DOURO ROCK, em 2016, contou com Pedro Abrunhosa & Comité Caviar, Richie Campbell, Mundo Segundo, Sam Alone, Serushio, Capitão Mocho, Ledderplain e Sons do Douro.

Os bilhetes para o DOURO ROCK 2017 custam 10€ (preço único) e encontram-se à venda em ticketline.pt e nos locais habituais.

GPU PANIC COM EP EM BREVE




















GPU Panic é o alter-ego de Guilherme Tomé Ribeiro (Salto). Depois de uma mini tour pelos estados unidos acompanhado de Moullinex e alguns elementos da Discotexas que o levaram a Austin (SXSW), Los Angeles (Echoplex), São Francisco (Neck of The Woods) e Nova York (Baby's All Right), GPU Panic prepara-se para editar o seu segundo EP.

Como muitos engenhos - surgiu de uma limitação. Tudo começou com um computador defeituoso e um erro, que impediam Guilherme Tomé Ribeiro de produzir música sem interrupções aleatórias. A persistência levou-o ao seu primeiro EP.

Explora texturas electrónicas num ambiente nostálgico e enigmático, onde, por vezes, a voz ao fundo conduz a música, fundindo-se com os sintetizadores, linhas de baixo e batidas que nos guiam ao longo dos seus temas.

Em Outubro de 2016 foi aluno da Red Bull Music Academy que decorreu em Montreal, onde estreou na RBMA Radio o primeiro single "Tanger" e onde actuou pela primeira vez como GPU Panic, entre artistas como Suzane Cianni, Veronica Vasicka e Kaitlyn Aurelia Smith. Dia passado dia 23 de Março participou no Red Bull Radio Pop Up Studio onde apresentou alguns dos seus novos temas.

MIKKEL SOLNADO LANÇA NOVO TEMA




















O Teu Sol” é o novo single de Mikkel Solnado que marca o seu regresso aos discos e está a partir de hoje disponível em todas as plataformas digitais.

Para o artista, “O Teu Sol” é uma balada sobre a total entrega a uma pessoa amada.
O tema conta com a participação de Davide Rossi, maestro que já trabalhou com os Coldplay, Alicia Keys e Goldfrapp.

Depois dos mais recentes êxitos como “E Agora?” com Joana Alegre, que integra o seu último trabalho “Daisy Chains” (2014), e colaborações com artistas como Nelson Freitas em “In My Feelings” e Tom Enzy em “Get Up”, Mikkel encontra-se em estúdio a preparar o seu terceiro álbum que marcará certamente as edições discográficas de 2017.
 

segunda-feira, 27 de março de 2017

VITOR BACALHAU AO VIVO

WHY PORTUGAL NO LAB FESTIVAL









WHY PORTUGAL EVENT
no Westway LAB Festival 2017
5 a 8 de abril
CENTRO CULTURAL VILA FLOR, GUIMARÃES

A Associação Empresarial WHY Portugal apresenta, em parceria com o Westway LAB Festival, a pré-edição do WHY Portugal Event em Guimarães, no Palácio Vila Flor, de 5 a 8 de Abril de 2017.

Este cluster da música portuguesa e plataforma de internacionalização da mesma, colabora com o Westway LAB na sua vertente de conferências PRO para a realização da edição zero ou pré-edição do WHY Portugal Event, um evento idealizado como missão inversa para a exportação da música portuguesa.

Tendo como um dos alicerces a partilha de conhecimento através de eventos, conferências e plataformas desenvolvidas através de relações internacionais com profissionais ou ramos de consultoria dos maiores eventos profissionais de música à escala global, tais como o Eurosonic, a WOMEX, ou o SXSW, entre outros, o WHY Portugal Event visa atrair a Portugal este mesmo conhecimento desenvolvendo relações de trabalho com estes e outros eventos.

Nesse sentido, o WHY Portugal Event traz a Portugal vários oradores internacionais de referência para uma série de sessões em formato de mesa redonda (roundtable) que decorrem em paralelo à restante programação profissional da conferência da 4.ª edição do Westway LAB PRO - programa completo das conferências disponível no seguinte link: http://bit.ly/2nEwHXp.

Um dos destaques do WHY Portugal Event é a organização de uma sessão especial nesta edição do Westway PRO dedicada aos festivais norte-americanos SXSW e SXSW Film que tanto se têm destacado junto da opinião pública portuguesa e que, na sua edição de 2017, acolheram várias start-ups e artistas nacionais. Esta debruça-se sobre o ponto de interseção da música com o cinema e traz a Portugal dois oradores do festival SXSW: Mirko Whitfield (SXSW EMEA & Asia) e Claudette Godfrey (SXSW Film) para uma palestra sobre a internacionalização da música através do cinema.

Abaixo segue a lista de todas as Parallel Sessions do Westway PRO, integradas no WHY Portugal Event promovido pela Associação Empresarial WHY Portugal a decorrer no Palácio Vila Flor, Guimarães, de 6 a 8 de abril:

QUINTA 06
12h00 - O que é a supervisão musical?
Markus Linde, da Thag’s Agent (ALE), discute uma atividade profissional que é, até à data, pouco conhecida em Portugal – e a relevância do seu desenvolvimento no que diz respeito à promoção de conteúdos locais através da sincronização.

15h00 - O que é a edição musical?
O que é a edição de música? O que é que os editores fazem? Porque é que editar é uma ferramenta tão importante na internacionalização? O que é que representa para artistas e empresas?

16h30 - Mesa redonda de novas tecnologias
Sampling de Música e a Revolução do Direitos Derivados e como se preparar para isso. Com Tom Silverman (New Music Seminar /Tommy Boy / Sound Exchange).

SEXTA 07
12h00 - Interseções convergentes: o local vai global / o global vem a Guimarães
Música, Filmes, Blogging, Comida, Fotografia, Mesa Redonda de Fotografia, com o homem renascentista Edward Pond, de Toronto, Canadá.

15h00 - DIYRP
Anastacia Connor, da editora de Edimburgo Song, By Toad fala sobre como lidar com os RP, através da perspetiva do artista ou da editora independente, no contexto da internacionalização do artista.

SÁBADO 08
12h30 - A importância da educação musical
Onde a Educação Musical se encontra com a indústria. Um case-study holandês: Artez.nl

AS NOVIDADES DE SAMUEL ÚRIA




















Samuel Úria vai levar as suas canções e alguns amigos ao Teatro Tivoli BBVA no próximo dia 27 de Maio. Um ano depois da publicação de “Carga de Ombro”, é altura do “trovador das patilhas” regressar a Lisboa para um concerto de celebração com convidados especiais: Ana Moura; Golden Slumbers; Manuela Azevedo; e Miguel Ferreira.

E a celebração justifica-se! A descoberta de um dos mais emblemáticos discos da música produzida em Portugal prossegue. A imprensa escrita enalteceu-o com referências elogiosas e a inclusão na lista dos melhores do ano. A rádio rendeu-se a “Dou-me Corda” ou “Repressão”, entre outros temas que tocou.  A televisão relevou-o,  destacando-se o episódio para a série “No Ar”. E, no passado sábado, o mundo da animação premiou-o pela parceria com Pedro Serrazina no vídeo “É preciso que eu diminua”, o último single até à data de “Carga de Ombro".
 
No palco do Tivoli, as canções vão ganhar nova vida e o carácter festivo da música de Samuel Úria vai intensificar-se com a partilha ao vivo das colaborações que já aconteceram em disco e em eventos especiais: Com Ana Moura, o tema “Cantiga da Abrigo”, incluído do álbum “Moura”; com as Golden Slumbers, através do convite para a interpretação do tema “Para Perto” do último Festival da Canção; com Miguel Ferreira, músico de excepção, produtor e cúmplice de Samuel em “Carga de Ombro”; e com Manuela Azevedo, a voz dos Clã, com quem Samuel teve oportunidade de colaborar enquanto letrista nos temas “Zeitgeist” e “ Canção de Água Doce” do último álbum da banda. Deste flirt musical são expectáveis novidades para breve.
 
Uma coisa fica já garantida: A surpresa fará parte deste espectáculo, do início ao fim. Um “Samuel Úria & Amigos” que seguramente se estenderá a toda a plateia.

E, uma vez mais, “preparam-se os aplausos”.


PROGRAMA DE 27/03/17

1 - Luís Severo - Boa companhia
entrevista Luís Severo
2 - Luís Severo - Escola
3 - Márcia - Tempo de aventura
4 - Trêsporcento - Tempos modernos
5 - Samuel Úria - Tapete
6 - Omiri ft Capicua - País colmeia
7 - Megafone - Senhora do Carmo
8 - Haka - Descer à terra
9 - Maze - Cidade cinzenta
10 - Tais Quais - Algibeira (ao vivo)
11 - Miguel Araújo - 1987
12 - Nice Weather For Ducks - On the sand, by the sea
13 - The Happy Mess - Love is a strange thing

O SEGUNDO DISCO DOS 10 000 RUSSOS














Os 10 000 Russos chegam ao segundo disco depois de em 2015 terem sido uma das maiores surpresas da cena "psych" europeia. Esgotaram uma primeira edição do disco de estreia em 3 meses, e durante estes 2 anos fizeram 3 tours europeias e 2 mini tours que os levaram à centena de concertos e uma rede de fãs que os deixam no culto em locais como Toulouse ou Londres.

Tocaram nos maiores festivais europeus do género como o Eindhoven Psych Lab, o Liverpool Psych Fest, o Berlin Desert Fest, Copenhagen Psych Fest, Reverence Valada, Lisbon Psych Fest ou o Milhões de Festa.

Em termos de discografia desde 2015 têm surgido em compilações como as Reverb Conspiracies vol4 editada pela Fuzz Club, PSYK vol 2 pelo Liverpool Psych Fest, um split com os londrinos The Oscillation em vinil de 10 polegadas azul também pela Fuzz, uma cassete ao vivo (que esgotou em meia hora) do primeiro concerto da banda em Londres (que coincidiu com a noite dos atentados do 14 de Novembro) ou as Fuzz Club Sessions gravadas com material analógico sessenteiro num estúdio do sul de Londres numa edição deluxe em vinil.

A expectativa em relação ao segundo disco termina agora com o novo LP "distress distress" captados nos Hertzcontrol Studios em Caminha, misturados por Pedro Pestana e masterizados por Brett Orrison no Texas. A capa é da russa Olya Dyer. Não nos alongaremos em relação ao disco em si. Ele é para ser ouvido."

A banda irá encontrar-se disponível para entrevistas durante o período 7 de Abril- 7 Maio (preferência pelo período 1-7 Maio).
A 10 Maio iniciarão uma digressão europeia de 37 concertos em 46 dias. Cerca de 15 000 kms e 11 países numa extensa tour que culmina a 24 de Junho.
A tour servirá também como apresentação do disco não só em Portugal como nos ditos países que nela surgem.
O agenciamento para esta tour foi feito pela portuense Floc de Neu booking que também trata do booking em Portugal.

Seguem então as datas

Wed 10-05 PT Porto Cafe au Lait
Thu 11-05 PT Lisboa Sabotage
Fri 12-05 PT Évora SOIR
Sat 13-05 PT Portalegre CAEP
Sun 14-05 ESP León Producciones Infames
Tue 16-05 FR Toulouse Le Ravelin
Wed 17-05 FR Paris Supersonic
Thu 18-05 FR Rouen Le 3 piéces
Fri 19-05 UK London London Fields brewery
Sat 20-05 UK Manchester The Peer Hat
Sun 21-05 UK Derby Dubrek Studios
Tue 23-05 UK Bristol Crofters Rights
Wed 24-05 UK Aberdeen Tunnels 1
Thu 25-05 UK Edinburgh Sneaky Pete´s
Fri 26-05 UK Glasgow Nice and Sleazy
Sat 27-05 UK Dundee Conroy´s Basement
Sun 28-05 UK Todmorden The Golden Lion
Tue 30-05 BE Ghent Kinky Star
Wed 31-05 BE Antwerpen Music City
Thu 01-06 NL Amsterdam OCCII
Fri 02-06 NL Breda De Avenue
Sat 03-06 DE Bielefeld Potemkin
Mon 05-06 DE Berlin Lido
Tue 06-06 DE Leipzig Bermuda Dreieck Plagwitz
Wed 07-06 DE Hamburg Astra Stube
Thu 08-06 DK Aalborg 1000FRYD
Fri 09-06 DK Copenhagen Underwerket
Sat 10-06 DK Kolding Knuds Garage
Sun 11-06 DE Dusseldorf Exit
Tue 13-06 DE Mannheim Kurzbar
Thu 15-06 CZ Brno Kabinet Muz
Fri 16-06 CZ Prague Theremin
Sat 17-06 CH Kreuzlingen Horst Klub
Wed 21-06 FR Perpignan Allezviens
Thu 22-06 ESP Vitoria Gora Project
Fri 23-06 ESP Santiago de Compostela Embora
Sat 24-06 PT Monção Porta 11

O GAJO COM DISCO QUASE PRONTO














O lançamento é só em Maio mas em Abril ainda há concertos!

Dia 7 de Abril, O GAJO vai estar em Faro no Hostel 1878 para um concerto ao entardecer.

JOANA RIOS EM TOUR

LUÍS REPRESAS AO VIVO

THE CODE - "É O AMOR"

NOVO SINGLE DE AMOR TERROR




















Ao fim do compasso nada será menos que um quinteto perigoso. Patologias por tratar. Crises de identidade em espectaculares penteados, numa ansiedade própria de quem ficará sem bateria brevemente. Realeza vadia. Pitxahubismo! Amor Terror é Fofidão! Seja lá isso o que isso for.

Na urgência própria de quem faz acontecer, nasce com vontade o novo single de Amor Terror. "Não foi por falta de amor" é um triunfo interior. Uma canção intima e descomplexada sobre as cinco fases do luto - negação, raiva, negociação, depressão e aceitação. O quinteto disseca o processo, acentuando uma estética transversal que vai do alternativo à electrónica, banhada pelos ambientes mais contemporâneos da pop.

Datas / Informações

21.04 - CAE - PORTALEGRE
05.05 - Espaço A - FREAMUNDE
06.05 - Casa do Povo - OVAR
03.06 - Fnac - ALGARVE
03.06 - Bafo de Baco - ALGARVE
04.06 - Fnac - ALGARVE
10.06 - TBA - LISBOA
18.11 - On The Rocks - MACEDA

AMÁLIA EM ITÁLIA A 7 DE ABRIL




















Em 1970, ao fazer 50 anos, Amália é um dos nomes maiores da música internacional. Conquista públicos inesperados, como o do Japão ou o da URSS (no ano anterior), e conserva a enorme paixão do público português e francês, entre tantos outros. É também editado Com que Voz, o seu disco mais premiado, e tantas vezes eleito o melhor dos seus álbuns (como se um apenas o pudesse ser…). Mas nesse ano o acontecimento que mais influenciou a carreira de Amália foi o seu sensacional “primeiro” encontro com o público italiano, logo em Janeiro, em Roma. Desde esse recital no Teatro Sistina as frequentes atuações de Amália em Itália inspirarão o seu repertório, o seu canto – mais improvisado – e a sua maneira de estar em palco, muito mais livre. Embora, durante trinta anos, Amália tenha estado quase imóvel em cena, a imagem que hoje temos mais presente é a da cantora extrovertida, por vezes cheia de movimento, que nunca prescinde da resposta musical do seu público. Foi nas digressões em Itália da década de setenta que nasceu essa imagem perfeita de Amália. Nesta época, aproveitando o fim dos microfones fixos que potenciavam a sua pose hierática, Amália começa a movimentar-se, e a sua esvoaçante mão esquerda a inventar dos mais belos e originais gestos alguma vez associados a um cantor. Por outro lado, o público italiano responde aos apelos da cantora como nenhum outro, trauteando as suas canções ou batendo palmas ritmadas, sempre em enorme euforia. Também este contínuo diálogo musical com a plateia, que ficará até ao fim da carreira de Amália, é experimentado em Itália pela primeira vez.

A potenciar essa comunhão com o público italiano esteve também o repertório. O folclore preenche os seus recitais quase por inteiro e Amália canta apenas um ou dois fados. Consciente da euforia a que expõe o auditório durante todas essas cantigas de folclore, alinha-as como se elementos decorativos de um altar se tratassem, todas concorrendo para o realçar da dramática figura central, o Fado que vai cantar nessa noite. Na Itália dessa década Amália não era só a mítica “Regina del fado” que através do seu prestígio artístico pessoal tinha levado esse género musical ao mundo. Era uma das maiores vedetas e de sucesso mais abrangente dos palcos italianos. Por lá, entre outros prodígios, repetiu digressões atrás de digressões, recebeu importantes prémios musicais (alguns até aí associados apenas à música erudita), inspirou outros cantores e gravou discos – em 1973, A una Terra che Amo, uma antologia do cancioneiro popular italiano, e Amália in Teatro , um LP gravado ao vivo em 1976.

Mas já antes, em Portugal, Amália tinha gravado em italiano. Entre 1967 e 1968 gravou: “La Tramontana”, até agora publicada apenas com o intrusivo coro feminino acrescentado depois; uma arrepiante leitura de “Canzone per Te” e as versões italianas de “Coimbra” e de “Barco Negro” (“Ay che Negra”), para um single italiano que seria o arauto, a par de alguns programas televisivos, da sua grande “estreia” de 1970. Depois desses decisivos recitais Amália gravou ainda dois singles em italiano: logo nesse ano, “Il Cuore Rosso di Maria” e uma versão de “Vou Dar de Beber à Dor” (“La Casa in Via del Campo”) e, em 1971, “Mio Amor, Mio Amor” (tradução de “Meu Limão de Amargura”) e “Il Mare è Amico Mio” (uma canção de Alberto Janes que nunca conheceu versão portuguesa).

Nesta edição juntam-se todos esses registos a outros, inéditos, captados ao vivo durante esse vendaval que varreu o mundo artístico italiano nos anos setenta: “La Rodrigues”.

Frederico Santiago

ALINHAMENTO:

Disco 1

1 – Amor Dammi quel Fazzolettino
2 – Sora Menica
3 – La Tarantella
4 – Canto delle Lavandaie del Vomero
5 – Ciuri Ciuri
6 – La Bella
7 – Sant’Antonio allu Desertu
8 – Maremma
9 – Lo Tiramole
10 – Vitti ‘na Crozza

Extras
11 – La Tramontana
12 – Canzone per Te
13 – Coimbra
14 – Ay che Negra
15 – Il Cuore Rosso di Maria
16 – La Casa in Via del Campo
17 – Mio Amor, Mio Amor
18 – Il Mare è Amico Mio
19 – La Tramontana
20 – Mio Amor, Mio Amor (take alternativo)
21 – Il Mare è Amico Mio (ensaio)
22 – Vitti ‘na Crozza (ensaio)

Disco 2

1 – Variações
2 – Mi Carro
3 – Malhão
4 – Cheira a Lisboa
5 – Povo que Lavas no Rio
6- El Porompompero
7 – O Cochicho
8 – Ai Mouraria
9 – Si Si Si
10 – Dolores
11 – Vitti ‘na Crozza
12 – Malhão de Águeda

Disco 3

1 – Lisboa Antiga
2 – Mi Florero
3 – Vou Dar de Beber à Dor
4 – Tani
5 – Coimbra
6 – O Cochicho
7 – El Porompompero
8 – Gaivota
9 – Vai de Roda Agora
10 – Ó Careca
11 – É ou Não É
12 – Cana Verde do Mar
13 – Paresito Faraón
14 – Malhão de São Simão
15 – Tirana
16 – Amor Dammi quel Fazzolettino
17 – Malhão de Águeda
18 – Lá Vai Lisboa
19 – Lisboa Não Sejas Francesa
20 – El Porompompero
21 – Solidão
22 – Barco Negro
23 – Malhão de São Simão
24 – Madragoa
25 – Ó Careca
26 – Valentim
27 – Fado Amália
28 – Vitti ‘na Crozza
29 – O mia Bela Madunina

DESTAQUES DA SEMANA

SANTO NO ALTAR

PAÍS COLMEIA - Omiri com Capicua
("Baile electrónico" novo disco à venda a 21 de abril)

Para ouvir todos os dias desta semana

DISCO RECORDAÇÃO

MEGAFONE I - Megafone
(1997, Edição de autor)

Para ouvir um tema diferente todos os dias desta semana

Sofar Sounds Coimbra - Ana + Senhor Doutor + Vítor Hugo

Sofar Sounds #4.
Festival Santos da Casa.
Sótão perto da Avenida Dias da Silva conhecido um dia antes.
Ana, Senhor Doutor e Vítor Hugo. Bandas conhecidas antes de começarem os shows.
O conceito está na moda.















Ana
Guitarra acústica.
Efeitos. Loops. Imaginação.
A vontade de não ir por caminhos fáceis.
O querer ter marca própria.
A diferença faz-sentir.
E as melodias cativam.















Senhor Doutor
Senhor Doutor é Jorge Ferreira dos Pinto Ferreira.
Traz pop no bolso.
Canções de letra cheia.
Afável cativa o público com a sua simpatia.
Canções fáceis mas longe de serem vulgares.
Sons que ficam dentro de nós.
E o pop roçou o fado a fechar.





















Vitor Hugo
Vitor é o senhor dos Moonshiners.
Apaixonado pelo blues e pela folk.
Aqui cantado em bom português.
Sons quentes e uma voz que enche todo o sótão.
Vêm de dentro estes sons. Da alma.
E cheiram a terra húmida.
Sabem a histórias de vida e cativam.
Entram e ficam em nós. E isso é bom...

Texto e fotos Nuno Ávila

AFONSO RODRIGUES E OS 25 ANOS DO SANTOS DA CASA
















O Santos da Casa, programa de música portuguesa da Rádio Universidade de Coimbra, que vai para o ar todos os dias entre as 19 e as 20h, em 107.9 ou www.ruc.fm, festeja em 2017 as suas bodas de prata. Tal como Amália Rodrigues também nós não sabemos qual o dia do nosso nascimento. Porque a RUC faz anos a 1 de março, a dupla que “aguenta” os Santos da Casa (Fausto da Silva e Nuno Ávila), convencionou ser esse o dia do nascimento do programa.

Para assinalar tão garbosa data os dois santos convidaram alguns amigos, que com o seu talento e veia artística têm nos últimos anos dado um contributo gigante à música portuguesa, para escreverem umas singelas linhas, relatando a sua relação com o programa da RUC. E como quase todos eles são mais santos que os santos, a acompanhar enviaram imagens santificadas. Durante os próximos tempos vamos andar babados.

Hoje alguém que já passou pela RUC antes de se tornar músico a sério. Afonso Rodrigues dos Sean Riley & The Slowriders e Keep Razors Sharp.

"O Santos da Casa é um programa ímpar no panorama nacional da rádio. O valor do trabalho prestado à musica portuguesa ao longo das últimas décadas é incalculável. Tive o privilégio de trabalhar lado a lado com o Ávila e com o Fausto nos anos que passei na RUC e foi com enorme satisfação que testemunhei na primeira pessoa a devoção com que diariamente dedicavam uma hora aos sons nacionais (fins de semana incluídos!).

Além do programa, espaço para gentes de todos os géneros, a generosidade do duo estendia-se ao Festival. Esse grande Festival, feito por vezes com parcos recursos e muita força de vontade, que serviu de montra para muitas bandas, algumas ainda em estado embrionário, que se vieram a tornar valores de referência. O Fausto e o Ávila, sempre atentos, sempre a chegar primeiro, sempre a dar espaço ao puto que mandava uma demo em cassete por correio com esperança de vir a cumprir o sonho de tocar na rádio.

Uns anos depois, também eu fiz músicas e discos... e lá estiveram eles, no sitio de sempre para as partilhar com todos os que os seguem. Com todos os que inspiram.

Obrigado amigos, felicidades e longa vida!"

Afonso Rodrigues (Sean Riley & The Slowriders e Keep Razors Sharp)

domingo, 26 de março de 2017

FESTIVAL SANTOS DA CASA - 1.ª SEMANA














Basorexia Army
25 de março – 19h00
Corredor RUC
Entrada Livre
Transmissão radiofónica

Os Basorexia Army são um dueto aveirense que junta arranjos originais de música eletrónica com uma voz naturalmente pop. 

Com origens na música rock, Hugo e Afonso guardam das experiências de banda o gosto pelas canções com uma forte componente rítmica, que faz dançar os públicos mais novos, bem como os nascidos antes dos anos 80.

O novo disco conta a história do tormento interno natural ao género humano, entre o bem e mal, entre o extravagante e o sério. Os 6 temas propostos cumprem a promessa de levar o ouvinte nesta sua natureza. Entre sons irónicos e tensos, entre sexualidade e sensualidade, a coerência dos temas é desenvolvida também com peças de vídeos que ilustram a tensão existencial do teatro das nossas vidas. 

Nas performances ao vivo, o Hugo, com as suas máquinas e teclados assegura o manto perfeito para que a voz do Fonsini, que entre canções narradas ou cantadas em inglês, assuma o papel de personagem psycho pop.

 https://www.facebook.com/basorexiaarmy/?fref=ts
















Sofar Sounds #4
26 de março
Local surpresa – 16h30
Bandas – (são 3 a descobrir)
Preço – O que quiser dar


Inscrições para assistir
 https://www.sofarsounds.com/cities/HYPERLINK "https://www.sofarsounds.com/cities/coimbra/events/10790"coimbra/events/10790

O que é o SOFAR?

SOFAR significa Songs From A Room e como o próprio nome indica, traz o melhor da música emergente a espaços intimistas num formato de concerto secreto:

O local é revelado na véspera do evento e os artistas são conhecidos apenas no início do concerto.

O projecto Sofar Sounds é uma comunidade Global, com presença em mais de 300 cidades no mundo, sendo que em Portugal Coimbra é a 3ª cidade a arrancar com sessões depois de Lisboa (2014) e do Porto (2015).

Das primeiras duas edições, trazemos memórias de eventos de sucesso, com aproximadamente mais de 140 espectadores, escolhidos de uma lista de cerca de 500 inscritos, com 6 bandas locais e nacionais (Mr. Gallini, M.A.F., a Jigsaw, Analog Art Man, Haka e The Walks), tudo isto suportado por uma equipa de 16 jovens que, não sendo todos eles conimbricenses, se reúnem na promoção da cultura e da música em Coimbra.

13 FADOS 13/2017 (26MAR)


Um tema novo e alteração na frente da tabela esta semana

Saiu:
YOU - Vaarwell

Aproximam-se:
AMAR PELOS DOIS - Salvador Sobral
YOUR FRIENDS - Flying Cages
MARGENS DO DOURO - Mundo Segundo


13 (12) 04 FAR AWAY PLACE - Xinobi com Margarida Falcão
12 (03) 09 MY RELIGION - Frankie Chavez (com Sam Alone)
11 (09) 07 BENI - Georges Marvinson
10 (06) 04 RENAISSANCE - Best Youth
09 (13) 05 ROSA MOTA - Riding Pânico
08 (10) 02 AMOR MISSÃO - D'alva (com Sir Scratch)
07 (05) 02 EARTH SPACE - Lince
06 (08) 02 BOA COMPANHIA - Luís Severo
05 (--) 01 CRIME SCENE - Mirror People
04 (01) 06 PEYOTE - The Poppers
03 (04) 03 AGULHA NO PALHEIRO - Carlão (com Bruno Ribeiro)
02 (11) 03 CALA-TE E DANÇA - Manuel Fúria e os Náufragos
01 (02) 08 PÁSSAROS A ESVOAÇAR (ao vivo) - Mão Morta + Remix Ensemble

Os The Poppers cedem a liderança aos Mão Morta + Remix Ensemble 

Entre todos os votantes temos dois premiados
JÚLIO MONTEIRO
MANUEL PINTO
que serão contactados para o email de onde enviaram as votações

Votem, enviando 5 temas de bandas/artistas diferentes
para santosdacasa(a)ruc.pt
ou então por mensagem privada
para o facebook do santos da casa
e podem ganhar prémios


Nova tabela (14/2017) a 02/ABR

Basorexia Army - Corredor da Rádio Universidade de Coimbra - 25/03/17














Eletro pop.
Ritmos dançáveis.
Contagiante e generoso.
Uma grande entrega.
Afonso sempre frenético, nas vozes.
Perdeu quem não viu.
Belo pontapé de saída do Festival Santos da Casa 2017.














Texto  & Fotos Nuno Ávila

ESTA SEMANA NO SANTOS DA CASA




















Entrevistas:

17.03.27 19h00 - LUÍS SEVERO
17.03.28 19h30 - LUIZ CARACOL
17.03.29 19h00 - THE POPPERS
17.03.30 19h00 - MÃO MORTA
17.03.30 19h30 - MIRROR PEOPLE

Para ouvir nos 107.9fm da Rádio Universidade de Coimbra ou em emissao.ruc.fm

NICK SUAVE E OS 25 ANOS DO SANTOS DA CASA




















O Santos da Casa, programa de música portuguesa da Rádio Universidade de Coimbra, que vai para o ar todos os dias entre as 19 e as 20h, em 107.9 ou www.ruc.fm, festeja em 2017 as suas bodas de prata. Tal como Amália Rodrigues também nós não sabemos qual o dia do nosso nascimento. Porque a RUC faz anos a 1 de março, a dupla que “aguenta” os Santos da Casa (Fausto da Silva e Nuno Ávila), convencionou ser esse o dia do nascimento do programa.

Para assinalar tão garbosa data os dois santos convidaram alguns amigos, que com o seu talento e veia artística têm nos últimos anos dado um contributo gigante à música portuguesa, para escreverem umas singelas linhas, relatando a sua relação com o programa da RUC. E como quase todos eles são mais santos que os santos, a acompanhar enviaram imagens santificadas. Durante os próximos tempos vamos andar babados.

Hoje voltamos ao Barreiro na companhia de Nick Suave que nasceu em 1977. Funda a Hey, Pachuco!, associação cultural que produz o festival Barreiro Rocks em 2000 sendo o presidente da direcção desde então. Como músico participa em dezenas de projectos como Nicotine’s Orchestra (a solo), The Act-Ups, Bro-X, Los Santeros, The Jack Shits, The Dirty Coal Train, entre outros, tocando diversos instrumentos (guitarra, baixo, bateria, teclas, sopros e voz). Assina também alguns trabalhos para teatro, cinema e televisão.

É, desde 2008, gestor do Estúdio King e do Programa Jovens Músicos, uma sala de ensaios gratuita para jovens da margem sul do Tejo.

"Não é preciso uma data especial para congratular o Fausto, o Nuno e a RUC pelo excelente trabalho de amor que desenvolvem há uma série de anos. Desde o início da minha carreira que o rock and roll e, posteriormente, as boas pessoas de Coimbra me influenciaram. Ainda no fim-de-semana passado (11 de março) tive direito a um banquete de boa onda, revendo velhos amigos no Ceira Rock Fest. É um facto: Coimbra rocka.

O Santos da Casa é o programa de rádio que transmite esta paixão pela música e pelas pessoas que a fazem através do éter. Não me lembro como começámos a falar mas estou certo que terá sido em concertos. Lembro-me do Nuno no Via Latina, em 2001, num concerto dos Ballyhoos ou dos Sullens e no sábado lá estava o Fausto na primeira fila, como sempre.

Contam-se pelos dedos os radialistas que, hoje em dia, procuram activamente as novas bandas - nos concertos ou até virtualmente. Esta atitude atenciosa e demandante é a base de todas as estruturas independentes que vão dando cor ao nosso cinzento país um pouco por todo o lado. Nos dias que correm, esta paixão é quase um milagre e o Fausto e o Nuno são a prova de que podemos escolher a nossa família enquanto percorremos o nosso caminho.

Longa vida ao Santos da Casa e um grande abraço ao Fausto, ao Nuno e à malta da RUC."

Nick Suave (Nicotine’s Orchestra  e The Act-Ups)

sábado, 25 de março de 2017

PROGRAMA DE 25/03/17

Festival Santos da Casa 2017
Basorexia Army no Corredor da RU(

1 - Should
2 . Marathon
3 - Cought in translationn
4 - Poison glass
5 - Wake ul cal
6 - Worlds leftover
7 -  Chaval
8 - Flame
9 - Painting patterns
10 - Posityvity
11 - Dark side devil
12 -  Wounds

Little Orange - Pinga Amor (Coimbra) - 24/03/17














Little Orange é um blues man.
Com a sua guitarra e voz aqueceu o pequeno Pinga amor.
Busca na raiz a essência do seu som.
Não vale apena pensar se é original ou não.
Importante é que ele lhe dá com a alma.
E isso transparece para quem vê.
Fazer o que se sente e se gosta é meio caminho andado.
E a chuva que caia lá fora coloriu  inesperadamente o blues vindo de Portalegre.




















Texto & Fotos Nuno Ávila

HENRIQUE AMOROSO E OS 25 ANOS DO SANTOS DA CASA












O Santos da Casa, programa de música portuguesa da Rádio Universidade de Coimbra, que vai para o ar todos os dias entre as 19 e as 20h, em 107.9 ou www.ruc.fm, festeja em 2017 as suas bodas de prata. Tal como Amália Rodrigues também nós não sabemos qual o dia do nosso nascimento. Porque a RUC faz anos a 1 de março, a dupla que “aguenta” os Santos da Casa (Fausto da Silva e Nuno Ávila), convencionou ser esse o dia do nascimento do programa.

Para assinalar tão garbosa data os dois santos convidaram alguns amigos, que com o seu talento e veia artística têm nos últimos anos dado um contributo gigante à música portuguesa, para escreverem umas singelas linhas, relatando a sua relação com o programa da RUC. E como quase todos eles são mais santos que os santos, a acompanhar enviaram imagens santificadas. Durante os próximos tempos vamos andar babados.

Para hoje um senhor que dá pelo nome de Henrique Amoroso  que foi cantor e membro fundador (juntamente com Pedro Temporão) dos Corsage, entre 2003 e 2014, e encontra-se presentemente em vias de editar o seu primeiro disco a solo, com novidades nos próximos meses e edição prevista para o último trimestre de 2017.

"Conheci a RUC e o Santos da Casa através dos Corsage, aquando da edição do nosso EP homónimo, em 2004. Lembro-me de ter conhecido o Ávila num bar com uma pista de aterragem (extinto Le son), e de ter partilhado esse voo com os "a Jigsaw", disparados de umas escadas directas ao backstage, já por sí bem volátil. Apesar de parte da memória ter fundido, a luz da nossa amizade veio para ficar, como uma chama acesa que se tem de ir aconchegando de quando em vez.

Após esse primeiro contacto, crescemos juntos em vários concertos e entrevistas em Coimbra, como por exemplo no Salão Brazil, no Arte à Parte ou no próprio Festival Santos da Casa. Sempre que nasciam, as canções dos Corsage desemaranhavam-se em direcção a Coimbra, sem GPS nem faro canídeo, era como uma espécie de Caminho de Santiago certo e predestinado.
 
Ávila, Fausto, sempre que vou a Coimbra faço questão de vos procurar para um copo, partilhar duas de treta e três de conhecimento, Salão abaixo, Académico acima, amigos assim, de sempre, sempre aparecem.

Tenho muito a agradecer à RUC e ao Santos da Casa e espero do fundo do coração estar muito em breve convosco, amigos. Deixo-vos esta minha homenagem, aos dois santos (na foto, Fausto à esquerda e Ávila à direita, a guitarra é minha), a fazer milagres pela divulgação e descoberta da música portuguesa há 25 anos."

Henrique Amoroso

sexta-feira, 24 de março de 2017

NOISERV AO VIVO




















É já este fim de semana que terei oportunidade de tocar pela primeira vez em Amarante, e em dose dupla, com um concerto no sábado (22h) e outro no domingo (16h) :)!

Tudo acontecerá na Sala Cinema Teixeira de Pascoaes:
#25 de Março - Sala Cinema Teixeira de Pascoaes​ - 22h00 - Amarante (Sábado)
#26 de Março - Sala Cinema Teixeira de Pascoaes​ - 16h00 - Amarante (Domingo)
+ info: https://m.facebook.com/gatilhodeamarante

Entretanto e para uma sexta-feira à noite, e de chuva, deixo-vos aqui uma conversa com "O Agente Provocador"​, espero que gostem:
https://www.podomatic.com/podcasts/oagenteprovocador/episodes/2017-03-24T11_00_27-07_00

PROGRAMA DE 24/03/17














1 - Naked Skin - Ceowded streets
entrevista Naked Skin
2 - Nakesd Skin - Push forward
3 - X-Wife - Keep on dancing
4 - Mirror People - Crime scene
5 - Little Orange - Prommissed land blues
entrevista Little Orange
6 - Litle Oramge - Darling
7 - Sunflowers - Zombie

OS FABULOSOS TAIS QUAIS AO VIVO




















OS FABULOSOS TAIS QUAIS AO VIVO EM ABRIL

1 DE ABRIL – CONVENTO DE S. FRANCISCO (COIMBRA)
2 DE ABRIL – CASA DA MÚSICA (PORTO)
15 DE ABRIL – PAX JÚLIA (BEJA)

OS FABULOSOS TAIS QUAIS:
JOÃO GIL – TIM – VITORINO – VICENTE PALMA – SEBASTIÃO SANTOS – CELINA DA PIEDADE – PAULO RIBEIRO – JORGE SERAFIM

Mais info:
www.facebook.com/taisquais
www.taisquais.com

O DISCO DOS LADO ESQUERDO














O Lado Esquerdo anuncia o lançamento do seu disco de estreia para 28 de Abril. Dez canções originais compõem uma sonoridade pop, rock, e por vezes acústica, mas sempre cantado em português. O disco contará com os convidados Zé Pedro (Xutos & Pontapés) e Marco Nunes (ex-guitarrista Blind Zero, Jorge Palma, Pedro Abrunhosa).

Ao longo dos últimos meses a banda deu já a conhecer ao público algumas das canções que farão parte do álbum de originais: “Futuro Sem Subsídio”, “Julho”, “Destino Cretino” e “Blues do Corredor”.

"O disco não vai ser indiferente a nenhum português"

Alex, vocalista da banda, afirma: “existe ansiedade, e acima de tudo, muita vontade de passar por todos os desafios a que o Lado Esquerdo se propôs. Tenho a certeza de que quem ouvir qualquer uma das músicas do disco vai adorar ou detestar, mas uma coisa é certa... não vai ser indiferente a nenhum português. Estou muito satisfeito com a sonoridade e a maneira como o disco concentra dez músicas com estilos e mensagens distintas, mas que funcionam e se completam umas às outras”.

O músico acrescenta ainda: “estamos a preparar o nosso maior espectáculo de sempre no Porto, e logo a seguir vamos partilhar e cantar as músicas com Portugal inteiro”.

LÍNGUA FRANCA É O NOVO PROJECTO DE: CAPICUA, EMICIDA, RAEL E VALETE














Capicua e Valete são portugueses, Emicida e Rael brasileiros.

Partilham a sua paixão pelo Rap e pelo Português, essa língua generosa que une os dois continentes e que os uniu num disco - “Língua Franca”.

Um disco em que dois dos mais talentosos MCs brasileiros colaboram de perto com dois dos mais significativos Rappers nacionais, fundindo diferentes experiências, realidades e sensibilidades musicais num corpo comum, que tem a rima e a palavra como ponto de encontro.

Produzido por Kassin, Fred Ferreira e Nave, “Língua Franca” é um disco único que leva Rap feito em Português a lugares onde nunca chegou. O disco foi gravado entre Lisboa e São Paulo.

“Ela” é o single de apresentação deste ambicioso projecto, será lançado no dia 31 de Março, em Portugal e no Brasil simultaneamente.

REDES SOCIAIS:
www.facebook.com/capicuarap/
www.facebook.com/EmicidaOficial/
www.facebook.com/OficialRael/

OZ AZEITONAS EM TOUR










Os Azeitonas iniciaram a digressão 2017 em Fevereiro. Este será mais um ano a percorrer o país de norte a sul, com passagens por palcos tão diversos como a Semana Académica da Covilhã, a estreia no Centro Cultural Olga Cadaval (Sintra) ou no Cine Teatro Garrett (Póvoa de Varzim), a Casa da Música (Porto) ou o CCB (Lisboa).

2017 marca também a estreia da banda em Macau, integrando o programa das Comemorações do 25 de Abril.

Na bagagem levam os grandes êxitos que marcaram a sua carreira, como “Nos Desenhos Animados (Nunca Acaba Mal)”, “Quem És Tu Miúda” ou “Ray-dee-oh”, ou mesmo o mais recente single, o “Fundo da Garrafa”, que saiu na noite de passagem de ano, e está cada vez mais forte nas rádios nacionais. O vídeo, com argumento de Nuno Markl, pode ser visto aqui.

Os Azeitonas já preparam o próximo single e vídeo, que têm saída prevista para Maio. O novo disco está previsto para o final deste ano.

Digressão 2017

 8 Abril – Aveiras de Cima – Ávinho
12 Abril – Póvoa de Varzim – CineTeatro Garret
19 Abril – Macau – Comemorações 25 de Abril
21 Abril – Porto – A Anunciar
22 Abril – Covilhã – Semana Académica AAUBI
11 Maio – Aveiro – A Anunciar
19 Maio – Sintra – CC Olga Cadaval
20 Maio – A Anunciar
24 Maio – Beja – Pax Julia Teatro Municipal
3 Junho – Portalegre – CAE
10 Junho – Alentejo – A Anunciar
14 Junho – A Anunciar
16 Junho – A Anunciar
23 Junho – A Anunciar
24 Junho – A Anunciar
8 Julho – Alentejo – A Anunciar
30 Julho - A Anunciar
12 Agosto – A Anunciar
28 Outubro – Vila Real – Teatro Vila Real
3 Novembro – Lisboa – CCB
22 Novembro – Porto – Casa da Música
16 Dezembro – Estarreja – CineTeatro Estarreja

MANNEQUIN CHALLENGE ANTECIPA NOVO CLIP DE LOTUS FEVER

Os Lotus Fever preparam-se para estrear, a 31 de Março, o videoclip para o single “Dogs And Bones”, que é, na sua própria escala, uma mega produção, para conhecer em breve. Cães, máscaras, pregos e ossos encaixam-se num video que tem tanto de loucura como de relevância e actualidade. O Mannequin Challenge surge, no final das gravações, como forma de descontracção de toda a equipa. O momento ficou imortalizado: quinze adultos mascarados num parque infantil.

Os Lotus Fever são Pedro Zuzarte, Diogo Teixeira de Abreu, Manuel Siqueira e Bernardo Afonso. Em Novembro passado, o quarteto lisboeta lançou o aguardado segundo registo de originais, “Still Alive for the Growth”, que tem sido amplamente elogiado pela crítica com os aplausos do público.

A digressão nacional de apresentação de “Still Alive for the Growth” tem percorrido todo o país com plateias lotadas e ao rubro.

A 22 de Abril os Lotus Fever actuam em Lisboa no Sabotage Club (Cais do Sodré).

TRÊSPORCENTO - "TEMPOS MODERNOS"


CÁLCULO COM NOVIDADES

“Escreve. Produz. Canta. Provavelmente um dos artistas portugueses mais completos da atualidade.”

Depois do sucesso de “Salvar o Mundo”, Cálculo regressa com um novo single. “Saíste” traz-nos uma história de amor que, ao contrário dos filmes, tem um final triste.

Neste segundo lançamento desde a sua entrada na editora Kimahera, Cálculo afirma-se cada vez mais como sendo um músico completo, não se prendendo ao típico estereótipo do mc: escreve, produz, canta. E é possível dizer que ele se supera em todas as componentes presentes em “Saíste”.

O videoclip voltou a ficar a cargo da Point of View (responsável por alguns trabalhos audiovisuais de artistas como Jimmy P, Mastiksoul, Fuse, entre outros).

NOVO CLIP DOS THE NICE WEATHER FOR DUCKS

Um amor tão forte como o de Romeu e Julieta num universo tão contemporâneo e surreal como o dos Nice Weather For Ducks.

Há música e dança, jantares, passeios na praia e paixão ardente.
Tudo isto orquestrado sob a batuta dos amigos mascarados e das câmaras da produtora Casota que os conterrâneos First Breath After Coma acabaram de criar .

Artur Albarram diria “O Drama, a Tragédia, o Horror”. Nós dizemos “Love Is You And Me Under The Night Sky”, o disco que, depois de "Marigold", nos oferece este "On The Sand By The Sea".
 

SAI HOJE O DISCO DOS MODA AMERICANA















Concertos de apresentação no dia 1 de Abril no Musicbox, em Lisboa e dia 7 de Abril, no Plano B, no Porto.

Quem diz e quem acha que o rock está morto, que se desengane. Sai hoje, dia 24 de Março, Sexta-Feira, "Singapura" o primeiro disco de originais dos Moda Americana, uma ode ao Rock, que atravessa durante 10 músicas o imaginário da banda, de forma paralela com o real e o terreno de qualquer um de nós.
A banda já se encontra em Tour pelo país tendo os concertos de apresentação. em Lisboa e Porto:

01 de Abril - Music Box - Lisboa
07 de Abril - Plano B - Porto

Os bilhetes para o concerto no Musicbox já estão à venda na Bilheteira Online e locais habituais e terão o preço único de 5€. A primeira parte ficará a cargo dos Madrepaz.

A lírica complexa, mas que relata o quotidiano de uma pessoa normal, funde-se na perfeição com o psicadelismo, os riffs de guitarra e a voz marcante do vocalista Nuno Fernandes, fazendo deste um disco que tem de ser ouvido por qualquer amante de Rock.
 
Moda Americana

Os Moda Americana são uma banda de rock alternativo de Lisboa com uma sonoridade psicadélica moderna e expansiva. A lírica de Nuno Fernandes explora o quotidiano de forma fantasiosa e alegórica. A interação entre personagens surreais inspiradas no íntimo contacto com a natureza e o imaginário geográfico demarcado no seu single de lançamento, Singapura, resultam numa viagem descomprometida pelo som da banda.

Oriundos de diversas esferas musicais, Afonso e Vítor (membros de Alice) Hugo (Them Flying Monkeys) juntam-se a Nuno Fernandes para criar Moda Americana. No final de 2016, quando apareceram, mostraram o seu potencial tendo chegado à final do Vodafone Mexefest Band-Scouting na estação de metro da Alameda, mas não vão ficar por aqui.

Hoje saí o primeiro álbum de originais que conta já com os singles "Singapura" e "Indo Eu".

Sejam bem-vindos à selva americana.

FAST EDDIE NELSON E OS 25 ANOS DO SANTOS DA CASA




















O Santos da Casa, programa de música portuguesa da Rádio Universidade de Coimbra, que vai para o ar todos os dias entre as 19 e as 20h, em 107.9 ou www.ruc.fm, festeja em 2017 as suas bodas de prata. Tal como Amália Rodrigues também nós não sabemos qual o dia do nosso nascimento. Porque a RUC faz anos a 1 de março, a dupla que “aguenta” os Santos da Casa (Fausto da Silva e Nuno Ávila), convencionou ser esse o dia do nascimento do programa.

Para assinalar tão garbosa data os dois santos convidaram alguns amigos, que com o seu talento e veia artística têm nos últimos anos dado um contributo gigante à música portuguesa, para escreverem umas singelas linhas, relatando a sua relação com o programa da RUC. E como quase todos eles são mais santos que os santos, a acompanhar enviaram imagens santificadas. Durante os próximos tempos vamos andar babados.

Hoje um homem do rock. Oriundo da cidade do Barreiro, Fast Eddie Nelson, começou a escrever, gravar e editar música no início dos anos 90. Tendo integrado projectos como Gasoline, The Sullens, Los Santeros, Big River Johnson e Fast Eddie & the Riverside Monkeys, tem editado os últimos trabalhos em nome individual

"Meus amigos. Não me vou alongar muito nestas palavras mas algumas coisas urgem ser ditas.

Eu sou suspeito no que diz respeito a rádios universitárias porque sou um fã confesso das mesmas. E sou-o porque o grande motor da maior parte da programação das rádios universitárias é a paixão. A paixão à música, a paixão ao debate sincero de ideias, a paixão à paixão de fazer rádio.

No entanto, no panorama nacional de rádios universitárias, sou obrigado a destacar um programa. Chama-se Santos da Casa e tem emissão regular na RUC – Rádio Universitária de Coimbra. Destaco não só pela longevidade, o que só por si é uma prova extraordinária de empenho e persistência, mas pelo compromisso à divulgação da música que se faz no nosso pequeno rectângulo sem condicionantes nenhumas para além do gosto pela música.

Porque nesta coisa das artes meus amigos, os santos da casa é que fazem os milagres."   

Fast Eddie Nelson

quinta-feira, 23 de março de 2017

OMIRI COM NOVO DISCO EM ABRIL














OMIRI, de Vasco Ribeiro Casais, está de regresso aos discos com "Baile Electrónico".

Depois de 7 anos sem editar, em “Baile Electrónico”, OMIRI apresenta-nos um projecto maturado, consolidado num percurso que se tem feito em espectáculos ao vivo dotados de uma forte componente audiovisual.

"Baile Eletrónico" será editado no dia 21 de Abril e nesse mesmo dia, Vasco Ribeiro Casais fará o concerto de apresentação no Teatro da Luz às 22h.

O disco conta com as participações de duas convidadas: "País Colmeia" (ver botão abaixo), primeiro single de "Baile Electrónico", conta com a rapper Capicua, que através da sua letra interventiva e de critíca social nos remete para a questão do País adiado sobretudo por questões de ordem económica. E conta também com a Celina da Piedade que nos brinda participando no tema "Campos em Flor".

Para além dos instrumentos utilizados anteriormente como a Nyckelharpa, as Gaitas de Fole Portuguesas ou o Bouzouki, neste trabalho Vasco Ribeiro Casais alargou o leque de instrumentos tradicionais portugueses adicionando o Cavaquinho e a Viola Braguesa.

Toda a componente electrónica é feita através da manipulação de recolhas realizadas na sua maioria por Tiago Pereira o que confere a todo disco uma sonoridade mais viva e orgânica. Para além da utilização de pequenos “samples” transformados em loops rítmicos, também são usadas frases melódicas inteiras de ícones da tradição oral portuguesa (Adélia Garcia, Tia Adorinha, Margarida Fidalgo Magalhães, entre muitos outros).

Vasco Ribeiro Casais é mentor dos grupos Seiva, Sopro, Dazkarieh e Omiri. Já trabalhou como músico, produtor e compositor com Uxu Kalhus, Né Ladeiras, Carlos Mendes, Celina da Piedade, Filipa Pais, Kepa Junkera, O Báu, Velha Gaiteira, Tiago Torres da Silva, Nação Vira Lata, Toc'andar, Rui Junior, Voodoo Marmelade, Fado Morse, Orquestra de Foles, A Mariposa, Fogo do Ar, Alma Menor, João da Ilha, Xoto.

Mais recentemente gravou, misturou e masterizou o tema “Primavera” de Celina Piedade (3o lugar do Festival da Canção de 2017).
 

PROGRAMA DE 23/03/17

1 - Daniel Pereira - As 7 mulheres do Minho
entrevista Daniel Pereira
2 - Daniel Pereira - Barqueirinho
3 - Mirror People - Crime scene
4 - X-Wife - Little love
5 - Valter Lobo - Oeste
6 - Joana Barra Vaz - Tanto faz (com Selma Uamusse)
7 - Les Saint Armand - Ficava aqui
8 - O Gajo - Há uma festa aqui ao lado
9 - Luiz Caracol - Por acaso

JAZZ NO SÃO LUIZ











The Michael Lauren All Stars
&
Joana Machado

Ao vivo na 15ª Festa do Jazz

São Luiz Teatro Municipal - Lisboa
8 e 9 de Abril


Dois dos projectos mais aclamados com álbuns lançados no último ano têm honras de destaque no maior evento de Jazz Nacional.

A Festa do Jazz do S. Luiz recebe este ano o incontornável septeto de excelência dirigido pelo baterista e professor norte-americano Michael Lauren, The Michael Lauren All Stars, e Joana Machado, uma das mais reconhecidas vozes do novo smooth Jazz nacional.

The Michael Lauren All Stars
Dia 9 de Abril - 23h
S. Luiz - Sala Luís Miguel Cintra

Joana Machado
Dia 8 de Abril - 17h30
S. Luiz - Sala Mário Viegas

O nome diz tudo: o icónico baterista e professor norte-americano Michael Lauren reuniu a fina nata dos músicos nacionais para com eles gravar ''Once Upon a Time in Portugal'', disco de estreia considerado como um dos melhores álbuns de jazz nacionais dos últimos anos. O septeto leva agora à sala principal do Teatro S.Luiz mais do que os sacia, ou seja, a música enquanto «paixão, inteligência, alegria, beleza, elegância, coesão, partilha, exploração, entusiasmo, honestidade, emotividade e dinâmica», como Lauren sublinhou em entrevista.

Em palco, estarão Carlos Barretto, no contrabaixo, Diogo Vida, no piano, Hugo Alves, no trompete, Jeffery Davis, no vibrafone, José Menezes, no saxofone, Nuno Ferreira na guitarra e, claro, Michael Lauren na bateria para uma sessão imperdível de hard swinging, jazz funky, "New York Style" Jazz.

Dia 9 de Abril - 23h
Sala Luís Miguel Cintra

JOANA MACHADO

Depois de, em Setembro do ano passado, ter apresentado ''Life Stories'', o seu mais recente álbum de originais, Joana Machado e a sua voz cristalina sobem agora ao palco da Sala Mário Viegas agora sob a promessa de um concerto muito especial: lado a lado com os seus habituais companheiros - Bruno Santos, na guitarra, Óscar Graça, nas teclas, Romeu Tristão, no baixo e Joel Silva na bateria - a cantora apresenta temas dos seus dois últimos álbuns e a estreia de duas novas canções.

Dia 8 de Abril - 17h30
Sala Mário Viegas

LUIZ CARACOL EM COIMBRA


URBANVIBSZ APRESENTAM VIDEOCLIP "REASONS

“Reasons” é o novo e primeiro single de Urbanvibsz, do ano de 2017. O grupo português, que nos tem presenteado com trabalhos quentes e firmes ligados a realidade mais crua do “reggae music”, apresenta agora, com um ritmo doce e uma melodia envolvente, o primeiro single do 2º álbum de originais “Good Morning Babylon. Este tema vem aguçar as espectativas sobre o que podemos esperar deste próximo.

Good Morning Babylon promete ser um álbum “out of the box”, englobando várias vertentes musicais convergentes num sentido roots que é característico ao grupo. Este trabalho foi produzido pela editora independente Spot Fyah Records e está disponível em formato físico e nas plataformas digitais a partir do mês de Abril.

Urbanvibsz é vibração reggae, “old school”, com sonoridades até aos tempos atuais. Uma das bandas de reggae nacional que manteve o seu ativo ao longo dos anos e são oriundos da cidade do Barreiro.

O nome "Urban" porque reflecte a vivência e experiência de vida dos autores, e "Vibsz" porque e´feeling com groove ritmo e swing, ora mais brilhantes, ora mais escuras, que lhes confere uma identidade particular.

 É um projeto que conta com um coletivo de músicos de reggae, apresentado pelo frontman e vocalista "Neyman".

 A banda portuguesa conta neste momento com 3 trabalhos apresentados. "Escuta" (2010), onde faz parte o único tema oficial cantado em língua lusa, que dá o nome ao EP. "Free EP" (2012) chegou com 8 temas originais e o mais recente trabalho "Blessings"(2016), com 12 temas originais.

O próximo álbum . Good Morning Babylon –, prevê-se que em entre Março e Abril de 2017 esteja também disponível.